Aline Silva conquista o bronze no terceiro dia de luta olímpica no Pan

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Lutadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da seleção brasileira, Aline Silva venceu a disputa pelo bronze na noite desta sexta-feira (17/7), terceiro dia de luta olímpica nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Aline venceu a atleta de Porto Rico, Ana Gonzalez, por 10 a 1 e conquistou a medalha de bronze na categoria até 75kg, no estilo livre.

Aline, vice-campeã mundial, estreou na competição enfrentando a norte-americana Adeline Gray, campeã do torneio, reeditando a final do Mundial do Uzbequistão, em 2014. Adeline foi melhor na luta e venceu a brasileira por superioridade técnica (10 a 0). Aline voltou para repescagem e na disputa pelo bronze não deu chances para Ana Gonzalez, de Porto Rico. A brasileira aplicou o encostamento, golpe que encerra a luta imediatamente, e conquistou a medalha.

Com o pódio, Aline chega a sua segunda medalha em Jogos. Na edição de Guadalajara, em 2011, a paulista ficou com a medalha de prata.

Aline Silva com sua medalha de bronze do Pan. Foto: Washington Novaes/COB

Aline Silva com sua medalha de bronze do Pan. Foto: Washington Novaes/COB

 

Campeã dos Jogos Sul-americanos, Gilda Oliveira, categoria até 69kg, foi neutralizada durante toda luta pela argentina Luz Vazquez e não conseguiu avançar na chave. Como a disputa já era em fase de semifinal, a brasileira ficou impedida de disputar a repescagem. O ouro da categoria ficou com Dori Yeats do Canadá, a prata com a venezuelana Maria Acosta, e os bronzes com a argentina Luz Vazquez e com a mexicana Diana Miranda.

Estreando nos Jogos Pan-americanos, Kamila Barbosa disputou de igual para igual com a cubana Yusnylys Guzman na categoria até 48kg. A brasileira acertou uma queda de quatro pontos, fez 4 a 1 no placar e quase executou o encostamento na cubana. Mas no segundo tempo Guzman reagiu, virou o placar e avançou para semifinal por superioridade técnica (15 a 4). Com o resultado da atleta cubana na outra luta, que não conseguiu chegar até final, Kamila não foi repescada. A medalha de ouro da categoria ficou com a canadense Genevieve Morrison, a prata com atleta do Peru, Thalia Mallqui, e os bronzes com a norte-americana Alyssa Lampe e a colombiana Caroline Bustos.

Atleta da luta olímpica do Sesi-SP, Aline Silva concorre a prêmio do COB

Agência Indusnet Fiesp

Realizado anualmente, o Prêmio Brasil Olímpico, do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) ganhou uma nova categoria neste ano: Atleta da torcida. Entre os selecionados, Aline Silva, da luta olímpica do Sesi-SP é uma das concorrentes.

Para essa nova categoria, o COB escolheu 12 atletas (seis no masculino e seis no feminino), que repercutiram de forma positiva durante a temporada, marcando o esporte brasileiro em 2014, seja pela performance esportiva, atitudes e condutas, exemplo de superação, conquista inédita ou proximidade e identificação com público.

O vencedor será eleito pela votação popular, pela internet, e levará para casa um prêmio no valor de trinta mil reais.

Para votar em Aline Silva, clique aqui e acesse o site do COB.

Foto: Benjamin Steinbruch recebe atleta Aline Silva

Agência Indusnet Fiesp

Benjamin Steinbruch e a atleta Aline Silva na sede da Fiesp. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), Benjamin Steinbruch, recebeu na tarde desta sexta-feira (19/09) a atleta Aline Silva, que levou medalha de prata no Mundial de Luta Olímpica, no Uzbequistão, na semana passada. Aline Silva faz parte da equipe de Luta Olímpica do Sesi-SP.

Steinbruch parabenizou atleta que alcançou o melhor resultado do Brasil na modalidade. Após a conquista da medalha inédita para o país, Aline se prepara para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016.

‘Medalha mostra que estou no caminho certo’, diz Aline Silva, da luta olímpica do Sesi-SP

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Dia 10 de setembro ficou marcado na história do esporte brasileiro com a conquista inédita da atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) Aline Silva, medalha de prata no Mundial de Luta Olímpica, no Uzbequistão. Foi o melhor resultado do Brasil na modalidade esportiva.

Assim como a conquista inédita, a manhã desta sexta-feira (19/09) também ficará gravada na memória de Aline. Emocionada, a lutadora foi recebida com muita festa pelos alunos do Sesi-SP do Centro de Atividades (CAT) Luís Eulálio de Bueno Vidigal Filho, em Osasco, onde treina a equipe de luta olímpica. Ganhou buquês de flores, abraços, beijos e posou para muitas fotos.

Dia de festa no Sesi-SP de Osasco, com a presença da medalhista mundial, Aline Silva. Foto: Tâmna Waqued

“Maior que a medalha é esse momento de reconhecimento.  Geralmente eu falo muito, mas hoje eu estou sem palavras” disse, chorando de emoção com a calorosa recepção.“Essa medalha mostra que estou no caminho certo, que tenho que me aperfeiçoar e seguir treinando forte”.

Durante a celebração, a atleta relembrou as dificuldades que precisou superar para a conquista inédita no Uzbequistão. “Depois de 2006, tive uma lesão na coluna, problemas financeiros, cheguei a passar fome quando morei em Curitiba, fui diagnosticada com um problema na tireoide”.

Para a atleta, o Sesi-SP foi “essencial” para a conquista inédita. “O Sesi-SP me resgatou, em 2009 e foi fundamental para eu conquistar essa medalha”.

Com a medalha de prata no pescoço, Aline começa a pensar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. “Apesar de buscar uma vaga nas Olímpiadas, penso com cautela. Irei trabalhar campeonato por campeonato até lá”, conta.

Aline ainda ressaltou o papel que o atleta profissional tem na formação de uma nova geração de esportistas. “Todo atleta tem a responsabilidade de ser exemplo para essas crianças. Treinamos aqui e os alunos nos observam e se espalham em nós. É ótimo”.