Perdão de dívida vai facilitar progresso do Sudão, afirma ministro sudanês durante visita à Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp 

Num gesto de gratidão e cooperação, o ministro de Negócios Estrangeiros sudanês, Ali Karti, aproveitou a reunião com empresários e com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Elias Haddad, nesta terça feira (18/06), na sede da entidade, para agradecer pelo perdão de uma dívida de US$ 43,2 milhões.  No final de maio deste ano, a presidente Dilma Rousseff anunciou a reestruturação de dívida externa de 12 países africanos no valor de US$ 840 milhões. Segundo Karti, a medida facilitou o desenvolvimento econômico do país.

Karti: parcerias com o Brasil, principalmente para projetos com o setor de açúcar e álcool.Foto: Julia Moraes/Fiesp

Karti: parcerias com o Brasil, principalmente para o setor de açúcar e álcool.Foto: Julia Moraes/Fiesp

“Isentar o Sudão de pagar sua dívida fortaleceu o progresso no país. Quero agradecer a todas as autoridades políticas e econômicas”, disse Karti.

Durante o encontro, seguido por um almoço na sede da entidade, o ministro sudanês pediu a ajuda da Fiesp para atrair investimentos para produção de açúcar e etanol no país africano, onde, segundo ele, estão sendo conduzidos quatro projetos para o setor sucroalcooleiro.

“O meu país precisa de aprofundamento na relação bilateral e o Brasil é um país importante. A agricultura também é uma peculiaridade do Sudão e queremos avançar ao nível que avançou o Brasil”, disse Karti. “Queremos aprofundar o relacionamento com a Embrapa também”, completou.

Esse ano, o Sudão começou a utilizar 10% de etanol misturado à gasolina. O país pretende ampliar sua produção para dar conta de exportar e atender a demanda local.

Haddad: portas abertas para os sudaneses na Fiesp. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Haddad: esforços para desenvolver relações comerciais com os árabes. Foto: Julia Moraes/Fiesp

O vice-presidente da Fiesp, Elias Miguel Haddad, manifestou apoio e registrou o desejo dos empresários paulistas em estreitar o comércio com países como o Sudão. “Temos feito um esforço bastante expressivo para desenvolver a relação comercial com os países árabes”, afirmou Haddad ao lembrar visitas de autoridades à Fiesp, como a do presidente do Egito, Mohamed Morsi, em maio deste ano.