Empreendedor do ano, fundador da Cacau Show afirma que pessoas são o segredo do sucesso

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Fundador da Cacau Show durante Congresso do CJE

Alexandre Tadeu Costa, fundador da Cacau Show, revelou nesta segunda-feira (28) a receita do sucesso nos negócios para os mais de 450 participantes do VII Congresso Paulista de Jovens Empreendedores da Fiesp. Para alcançar êxito, o empresário criou e fez uso da sigla UMPC (Um Monte de Pequenas Coisas). E ensinou que os ingredientes de uma empresa bem-sucedida são: simplicidade, algum talento, muito trabalho, comprometimento inegociável e, acima de tudo, equilíbrio entre razão e emoção.

Bem-humorado – apesar do atraso para chegar ao evento –, usando calças jeans, tênis e doma (traje específico usado por Chefs), Costa entrou pelos fundos do auditório no Teatro Sesi São Paulo distribuindo trufas de sua fábrica para o público, enquanto se dirigia ao palco.

Ele contou como começou no ramo dos chocolates, ao fundar uma das principais fabricantes nacionais de chocolates finos, empresa que seria marca Top of Mind em lojas especializadas em vendas de chocolate, segundo pesquisa Datafolha.

“Por que não fazer chocolate de excelente qualidade, com matéria-prima muito boa, e oferecer ao cliente um preço mais democrático? Todo mundo gosta do que é bom, mas as pessoas não têm dinheiro para comprar. Então eu descobri que poderia fazer um bom chocolate de forma democrática”, relatou Costa.

Para ele, o pilar mais importante na construção e direção de uma empresa é o relacionamento com os funcionários. “Basta tratar gente como gente. Não podemos esquecer as pessoas têm demandas diferentes e não são simples buscadoras de metas.”

O executivo se reúne para conversar com seus funcionários pelo menos uma vez por mês, em um momento que ele gosta de classificar como “bate-papo com os aniversariantes do mês”. “Como vou saber o nome de 1.100 pessoas? Então, eu sento com eles pra conversar, levo meu violão, esse é o lado ruim da história, eles têm que me aguentar cantando”, brincou.

Costa mora com a mulher e os três filhos perto de uma de suas fábricas, a unidade de Itapevi. São duas na região; uma delas destinada à produção de chocolates sem açúcar. E toda Sexta-Feira Santa, ele prepara um belo almoço, não para a família, e sim para os funcionários na unidade de Itapevi. “Eu vou, de fato, para a cozinha e faço o almoço dos colaboradores. Sirvo todo mundo.”

Na avaliação de Alexandre Costa, atitudes como esta de cultivar a relação com

Alexandre Costa distribui trufas Cacau Show ao chegar no Teatro do Sesi-SP

funcionários acabam se tornando uma grande vantagem competitiva para empresários que estão à frente de seus negócios. “As pessoas têm de ser lembradas. Temos que investir para que elas realmente possam alcançar os objetivos da empresa”, enfatizou o executivo que recebeu o premio Prêmio Empreendedor do Ano 2011, promovido pela Ernst & Young Terco.

Concorrência

Segundo o fundador da Cacau Show, viver na zona de conforto é venenoso para o empreendedor, e a concorrência é importante porque faz a empresa criar e inovar em produtos para atrair a atenção do consumidor. “Quando você acha que está tudo bem, a coisa começa desandar. Cada passo que a concorrência dá, eu mostro para a empresa como se o mundo fosse acabar. Isso faz com que a gente fique cada vez menos confortável. E quando está desconfortável, você está pronto para fazer o seu melhor”, arrematou.

Fruto de um negócio de família retomado por Costa aos 17 anos, a marca está presente em 26 estados, conta com cinco fábricas no País, 1.100 colaboradores na indústria e 3.950 colaboradores na rede de franquiados.