Modelo de leilão por menor tarifa é o mais adequado para a competitividade, diz gerente do BID

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O gerente de Infraestrutura e Meio Ambiente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Alexandre Rosa, endossou nesta segunda-feira (06/05) a posição da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) pelo modelo de leilão por menor tarifa.

Segundo Rosa, o regime favorece a competitividade do país.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000839

Alexandre Rosa, gerente de Infraestrutura e Meio Ambiente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no 8o. Encontro de Logística e Transportes da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“Acreditamos, assim como a Fiesp, que o modelo de leilão pelo menor preço é a melhor alternativa”, disse o gerente do BID ao participar do painel “O Novo Arranjo Institucional e os Investimentos em Infraestrutura”, que abriu o 8º Encontro de Logística e Transportes da entidade.

No critério de menor tarifa, o Estado renuncia o pagamento de outorga.

Mais cedo, em discurso de abertura do encontro, o diretor do Departamento de Infraestrutura (Deinfra), Carlos Cavalcanti, havia afirmado que o leilão de concessões por menor tarifa garante uma competição entre empresas sem o custo de “sustentar mais uma receita aos cofres públicos” e um preço menor ao consumidor final.

“A Fiesp defende esta política. A prestação de serviços públicos, na área de infraestrutura, não pode servir para o Estado arrecadar mais. É para o consumidor pagar menos”, afirmou Cavalcanti.

O gerente do BID, Alexandre Rosa, acredita ser “adequado para a competitividade do país” transferir ao usuário final o ganho da competição no leilão.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545000839