‘Atleta do Futuro’ do Sesi-SP beneficiará 420 alunos em Jacareí e Campos do Jordão

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Campos do Jordão e Jacareí

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) firmou, nesta quarta-feira (20/08), convênio para o desenvolvimento da formação esportiva do Programa Atleta do Futuro (PAF) em Jacareí e Campos do Jordão. A iniciativa atenderá 420 alunos nas cidades.

Em Jacareí, 220 jovens entre seis e 17 anos terão aulas de futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. O convênio foi oficializado no Centro de Atividades (CAT) Karan Simão Racy da cidade.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, o PAF é positivo porque muitas cidades não têm orçamento para criar e manter um programa esportivo de qualidade. O Sesi-SP dá essa oportunidade, na sua visão. “Os investimentos do Sesi-SP em formação esportiva são vastos. Com o programa, pretendemos que os jovens tenham experiência em diversas modalidades esportivas”, disse.

A assinatura do PAF em Jacareí: futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A assinatura do PAF em Jacareí: futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Na avaliação de Ricardo Esper, diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Jacareí, que esteve presente na solenidade, a indústria dá mais um passo para o estímulo da formação cidadã dos jovens na região com a formalização do projeto. “O bom brasileiro nasce na escola, através do esporte”, afirmou.

Para Sandra Lopes, secretária de Esportes e Recreação de Jacareí, que esteve na cerimônia representando o prefeito Hamilton Mota, o programa dará aos jovens uma formação humana completa.

Campos do Jordão

Em Campos do Jordão, o programa atenderá 200 alunos, nas modalidades futebol e atletismo. A parceria foi assinada na sede da prefeitura local, no gabinete do prefeito Frederico Guirdoni.

Na cidade, os professores já foram capacitados pela equipe do Sesi-SP da região.

Futuros atletas na assinatura do PAF em Campos do Jordão: programa deve ser ampliado na cidade em breve. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Futuros atletas na assinatura do PAF em Campos do Jordão: programa deve ser ampliado na cidade em breve. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Na cerimônia de formalização do convênio, o prefeito pediu que o Sistema Sesi-SP de Ensino passe a ser implantado nas escolas municipais de Campos. Há previsão de que o PAF seja ampliado já nos próximos meses.

Com mais os dois convênios, o programa do Sesi-SP alcança 270 municípios no estado, com 147 empresas parceiras. São 27 modalidades ensinadas, 20 delas olímpicas.

‘Atleta do Futuro’ chega a mais 3 cidades e atende mais de 112 mil jovens no estado

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Cruzeiro

Alunos do PAF de Bananal, Lavrinhas e Arapeí, no interior de São Paulo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

O Programa Sesi-SP Atleta do Futuro chegou à marca de 268 cidades na manhã desta terça-feira (19/08). O projeto de formação esportiva foi assinado por mais três prefeituras na cidade de Cruzeiro, alcançando mais de 112 mil crianças e adolescentes atendidos.

Os novos convênios foram feitos com as prefeituras de Lavrinhas, para iniciação esportiva de 160 jovens em voleibol e natação; Arapeí, com a prática da modalidade de futebol para 100 potenciais atletas; e Bananal, com metodologias de ensino da entidade voltada para formação de 210 crianças e adolescentes em basquete, futsal, handebol e vôlei.

A solenidade de assinatura foi realizada no Centro de Atividades do Sesi-SP (CAT) em Cruzeiro. Segundo o diretor da unidade, Carlos Frederico D´Ávila Brito, o Sesi de Cruzeiro atende a 12 municípios da região. “São 11 convênios de cooperação técnica com metodologia do PAF e capacitação de professores. Com a assinatura com essas três cidades chegamos a 3.270 alunos, que estão tendo sua infância e adolescência alteradas por esse programa”, disse Brito.

Para o prefeito de Cruzeiro, Rafic Zake Simão, o PAF preenche um espaço que por vezes é deixado pela gestão pública da cidade por falta de recursos. “Uma dificuldade comum é a deficiência orçamentária de vários prefeitos. Quando a gente tem um parceiro como o Sesi-SP para trabalhar a parte esportiva esse apoio é muito bem-vindo”.

Professor de educação física de formação, o prefeito de Arapeí, Edson de Souza Quintanilha, também assinou o convênio do PAF com o Sesi-SP. Para ele, o programa é tão importante na formação do caráter de crianças e adolescentes quanto na formação de potenciais atletas. “Mesmo que não saia daqui um atleta olímpico, teremos pessoas com outra visão. Esporte também é formação de caráter”, disse.

Talentos descobertos

O judoca e campeão pan-americano Bruno Mendonça faz parte da equipe de atletas do Sesi-SP desde o ano passado. E foi até  Cruzeiro para incentivar os estudantes. “Treinava em Santos e fui um dia treinar no Sesi de Cubatão. Gostei do ambiente, acabei me adaptando e virando parte da família”, contou o atleta, que foi ao Sesi de Cruzeiro para participar de uma clínica com alunos dos PAFs da região sobre judô.

Ele acredita que, por meio do PAF, “muitos talentos são descobertos”. “Tem uma garotadinha que leva jeito. Começando cedo, a probabilidade de ter bons resultados é muito maior”, completou.

Judoca do Sesi-SP Bruno Mendonça, campeão pan-americano de judô. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Clínicas do Sesi-SP como a de judô com Bruno Mendonça devem percorrer o estado, segundo Alexandre Pflug, com o objetivo disseminar esportes ainda pouco explorados. “Nossos alunos vão participar de diversas clinicas de várias modalidades.  A ideia é fomentar a formação esportiva no estado”, completou Pflug.

Na capital paulista

Pflug também falou sobra a assinatura do convênio com a prefeitura de São Paulo para a iniciação esportiva de jovens atendidos pela rede do Centro de Educação Única (CEU). “Fizemos um convênio extremamente vitorioso para o Sesi-SP. Capacitamos cerca de 450 professores e gestores que trabalham no CEU e vai beneficiar cerca de 22 mil crianças”, disse Pflug.

Sesi-SP assina convênio para ‘Atleta do Futuro’ com mais três municípios

Guilherme Abati, Agencia Indusnet Fiesp

Nesta sexta-feira (01/08), o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) firmou parceria para desenvolvimento do convênio esportivo Programa Atleta do Futuro (PAF) com três municípios do estado de São Paulo: Anhembi, Bofete e Itatinga.

No início da manhã, a parceira com a cidade de Anhembi foi formalizada, com a assinatura do contrato no gabinete do prefeito do município, Gilberto Tobias Morato. Em Anhembi, 100 crianças do sistema municipal de educação terão aulas de futebol. “Independente do desempenho esportivo dos jovens, o interessante do programa que firmamos agora é a contribuição humanitária para o futuro cidadão”, disse o prefeito.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, o PAF é uma oportunidade única para a criança poder escolher o esporte que quer praticar ao longo da juventude.

“Muitas vezes, um jovem que não tem facilidade com futebol acaba desistindo de praticar esportes. Com o PAF, temos vivências em muitas modalidades. Assim ele tem tempo de encontrar sua inclinação esportiva e praticar atividades físicas continuamente”, disse o diretor.

Bofete

Em seguida, foi formado o convênio com a cidade de Bofete, onde 100 alunos terão aulas de futsal. O prefeito, Claudécio Eburneo, agradeceu a oportunidade que o Sesi-SP dá na qualificação da formação de jovens cidadãos.

“Nosso município, muitas vezes, tem dificuldades de atender a todas as necessidades da população. Temos muitos gastos em saúde aqui em Bofete. Um dos inúmeros fatores positivos do PAF é que ele é preventivo, age diretamente na saúde e bem estar das pessoas”, disse Eburneo.

Itatinga

A última assinatura do dia aconteceu na cidade de Itatinga, onde 400 jovens terão práticas em capoeira, futebol, tênis de mesa, futsal e handebol. Na ocasião, Pflug novamente ressaltou a importância de disponibilizar modalidades esportivas variadas para os jovens. “O PAF tem essa inclinação de fugir do padrão. Também ofertamos modalidades diferentes para que toda garotada tenha vontade de aprender”, explicou.

O prefeito Paulo Apolo agradeceu ao Sesi-SP pela iniciativa. “Formação esportiva faz parte da formação de qualquer cidadão do bem. É uma alegria pra Itatinga receber o PAF”.

Sobre o PAF  

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

O Programa contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas.

A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.  Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Município de Promissão e Sesi-SP assinam convênio esportivo para atender 100 alunos

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Promissão

O município de Promissão e o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) assinaram na tarde desta quinta-feira (31/07) convênio para o desenvolvimento de formação esportiva do Programa Atleta do Futuro (PAF).

A cidade é o 260º município a receber o convênio criado para estimular a prática esportiva. Em Promissão, o programa beneficiará 100 alunos com a prática de voleibol.

Meninas mostram convênio que possibilita aulas de futebol de salão e vôlei. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, o programa é uma contribuição valiosa à sociedade. “Tirar as crianças de casa para praticar esportes é uma luta muito importante. Por isso o PAF é tão benéfico”, disse.

Além de firmar a parceria, Pflug disse que em novembro deste ano, no aniversário da cidade, o líbero Serginho, atleta de vôlei do Sesi-SP, visitará a cidade para ter contato direto com os alunos do PAF.

“O exemplo do Serginho é muito importante e mostra o poder de superação. Ele tem origem humilde e enfrentou muitas dificuldades para se tornar um exemplo. Será ótimo tê-lo aqui para apoiar os jovens”, afirmou o diretor.

Para o prefeito da cidade, Hamilton Foz, o munícipio ganha um parceiro valioso na luta pela formação de uma geração comprometida com os principais valores da vida. “É um diferencial enorme trazer para perto das crianças atletas de alto nível. É uma parceria que vai enriquecer muito o município e nossa população”, afirmou.

O Programa

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

O Programa Atleta do Futuro contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Alexandre Pflug, diretor do Sesi-SP: “Tirar as crianças de casa para praticar esportes é uma luta muito importante. Por isso o PAF é tão benéfico”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Programa Atleta do Futuro do Sesi-SP beneficiará 120 alunos em Guaimbê

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Guaimbê

O município de Guaimbê, a 400 quilômetros da capital, assinou, na manhã desta quinta-feira (31/7), convênio para o desenvolvimento de formação esportiva do Programa Atleta do Futuro (PAF), iniciativa do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Com a assinatura, o município torna-se o 259º a receber o projeto. Criado para estimular o esporte e a cidadania, o PAF já atende 110 mil alunos. A previsão é atingir 300 cidades até o final de 2014.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, o programa é uma oportunidade única para que todas as crianças pratiquem esporte e aprendam conceitos de cidadania. “A metodologia, criada em 1991, era direcionada apenas a jovens do Sesi-SP. Em 2008, o programa foi ampliado, e, em parceria com municípios e indústrias, passamos a atingir um número maior de jovens”, explicou. “Hoje passamos dos 100 mil jovens atendidos”.

Segundo ele, com o programa, o Sesi-SP capacita professores da rede municipal por meio de uma metodologia própria de ensino. De acordo com Pflug, caso haja procura, o PAF em Guaimbê poderá ser ampliado, atendendo mais crianças em outras modalidades  esportivas.

A cerimônia de assinatura do PAF em Guaimbé: oportunidade para 120 crianças e jovens. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A cerimônia de assinatura do PAF em Guaimbé: oportunidade para 120 crianças e jovens. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Além disso, segundo Pflug, o município pode receber, caso tenha interesse, o Sistema Sesi-SP de Ensino, que leva a metodologia de ensino própria da instituição para as escolas municipais, e o Aprendendo Num Clique, programa de ensino de informática.

“O Sesi-SP quer ampliar suas atuações, levando ensino e qualidade de vida para o maior número de pessoas possível”, disse o diretor.

Oportunidade de crescimento

Albertino Brandão, prefeito da cidade, agradeceu ao Sesi-SP em seu discurso. “Mais uma vez o Sesi-SP presenteia a cidade de Guaimbê. Já havíamos recebido o Programa Alimente-se Bem, recentemente. Muito obrigado por mais essa oportunidade de fazer a cidade crescer”, disse.

Segundo ele, há um ano e meio no cargo, é muito difícil realizar um programa esportivo de qualidade na cidade. “Lutamos há tempos para realizar um trabalho esportivo em Guaimbê. Mas sempre esbarramos em alguns problemas. O benefício será enorme para nós”, disse o prefeito.

O programa

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Entre os 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos.  Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos.

Programa Atleta do Futuro, do Sesi-SP, chega a Biritiba Mirim

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp, de Biritiba Mirim

Em posição de luta enquanto posavam para fotos, os estudantes Camila Aparecida Santos, de 13 anos, e Ruan Pablo Macedo, de 12, eram dois dos convidados mais ansiosos pelo início da cerimônia de assinatura do convênio Programa Atleta do Futuro (PAF) em Biritiba Mirim, cidade a 80 quilômetros da capital, nas proximidades de Mogi das Cruzes.

O evento, que prevê a implementação no município do programa de formação esportiva do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), foi realizado na sede da prefeitura local.

“Amo o taekwondo”, disse Ruan, praticante da modalidade há oito anos e já na faixa vermelha/preta. “Acho que vai ser um bom incentivo.”

Ostentando a mesma faixa que ele, Camila, também praticante há oito anos, contou que ficou sabendo do projeto do Sesi-SP por uma amiga. “Estou empolgada.”

Criado para estimular a prática esportiva e a cidadania, o PAF já atende 110.600 alunos em 258 municípios paulistas. Em Biritiba Mirim, o programa beneficiará 240 crianças e jovens com a prática de basquetebol, futebol, futsal, taekwondo e tênis de mesa.

A capacitação dos professores envolvidos no projeto será realizada nos dias 6 e 7 de agosto, em São José dos Campos. Serão disponibilizados quatro professores e três estagiários pela prefeitura de Biritiba.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, que assinou o convênio com o prefeito local, Carlos Alberto Taino Junior, é muito importante que as famílias acompanhem o desenvolvimento das crianças e jovens participantes do PAF. “Com essa postura, os professores podem ajudar as famílias no que se refere ao comportamento dos filhos”, afirmou.

Pflug, mais à esquerda, e Taino Júnior, ao centro, com autoridades e participantes do PAF: suporte às famílias. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Pflug, mais à esquerda, e Taino Júnior, ao centro, com autoridades e participantes do PAF: suporte às famílias. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

A diversificação das modalidades, segundo Pflug, é outra prioridade do projeto. “Buscamos estimular a qualidade de vida, identificando talentos específicos”, explicou. “Estamos à disposição para atender Biritiba Mirim e podemos oferecer mais modalidades esportivas aqui no futuro.”

De acordo com o diretor do Sesi-SP, a seleção das atividades oferecidas em cada município tem por objetivo atender as demandas locais, sempre em sintonia com a formação dos professores de cada lugar. Por isso, a prática de taekwondo em Biritiba, por exemplo.

O primeiro uniforme

Entre as muitas palavras de agradecimento que já ouviu em suas andanças pelo estado de São Paulo após celebrar convênios com outras prefeituras, Pflug relembra histórias como o caso da mãe que o procurou para dizer que o uniforme do programa era o primeiro que o seu filho recebia para praticar esportes na vida. “O menino nunca tinha tido uma roupa própria para treinar”, lembrou.

O envolvimento dos pais é outro ponto alto. “Já tivemos casos de famílias que descobriram que os jovens tinham um comportamento tímido em casa e outro agressivo no esporte a partir dos relatórios do programa, o que fez toda a diferença.”

De acordo com Pflug, o PAF é uma oportunidade única para que todas as crianças pratiquem esporte e aprendam conceitos de cidadania. “O Sesi-SP vem transferindo sua tecnologia social na área do esporte mesmo para quem não é aluno da entidade”, disse. “Isto permite que milhares de jovens tenham acesso a diferentes modalidades esportivas por meio de uma metodologia desenvolvida por especialistas.”

“Ficamos muito felizes e agradecidos ao Sesi-SP por essa visão, pela parceria feita com as prefeituras em nome do esporte e da inclusão social”, discursou o prefeito.

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, sempre com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Tênis de mesa e futebol

Prontos para treinar tênis de mesa pelo PAF em Biritiba, os amigos Gabriel Augusto de Freitas, de 11 anos, e Vitor Akira, também de 11, garantiram estar animados para sair das práticas informais, em família ou na escola, para treinamentos mais direcionados.

“Aprendi com o meu pai”, contou Vitor . “Agora vai ser diferente”, animou-se Gabriel .

Craques da bola, Lucas Vinícius dos Santos Lima e Wiliam Aparecido, ambos de 14 anos, dizem amar o futebol e jogar sempre nas horas vagas. “Sei que vou me desenvolver muito agora”, contou Lucas. “Posso ter um futuro no futebol”, completou Wiliam.

A partir da esquerda: Wiliam, Lucas, Vitor e Gabriel. Empolgação com as aulas do PAF. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A partir da esquerda: Wiliam, Lucas, Vitor e Gabriel. Empolgação com o PAF. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Estrutura

O PAF contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria da instituição, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família.

Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Roseira faz parceria com Sesi-SP para receber Programa Atleta do Futuro

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Roseira

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) assinou na tarde desta quarta-feira (16/07), com a prefeitura de Roseira, município no Vale do Paraíba a pouco mais de 150 quilômetros da capital, convênio para o desenvolvimento do Programa Atleta do Futuro (PAF).

Na cidade serão atendidos 300 alunos da rede municipal, entre seis e 17 anos, que terão vivências nas modalidades esportivas futebol, futsal e lutas.

Ao centro, o prefeito de Roseira, Jonas Polydoro, e Alexandre Pflug, do Sesi-SP, após assinatura de convênio. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

O diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, participou da solenidade.

Na ocasião, o prefeito de Roseira, Jonas Polydoro, agradeceu a atuação do Sesi-SP. “Espero que esta seja a primeira de uma série de parcerias entre Roseira e o Sesi-SP, Espero também que os alunos possam aproveitar essa grande oportunidade.”

José Montanaro Júnior, gestor de vôlei do Sesi-SP, também participou da solenidade de assinatura. “Espero que as crianças, com esse programa, aprendam os principais valores do esporte, e que eles levem esses valores para o resto das vidas”, disse.

Mais de 600 jovens de Itararé vão receber formação esportiva pelo Sesi-SP

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Itararé

O Programa Atleta do Futuro (PAF), do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), chegou a mais um município na tarde desta quarta-feira (02/07). A prefeitura de Itararé assinou um convênio com o Sesi-SP para estimular a prática esportiva de 685 jovens em basquetebol, futsal, judô, voleibol e xadrez.

Assinaram o convênio a prefeita de Itararé, Cristina Ghizzi, e pelo diretor de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug.

A prefeita Cristina Ghizzi e o diretor de Esportes e Qualidade de Vida, Alexandre Pflug, com alguns alunos presentes à cerimônia. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Ao oficializar a parceria, Cristina afirmou que o convênio é ainda mais importante para a cidade do que para o próprio Sesi-SP.

“É uma alegria poder firmar esse convênio, reconhecendo o que a gente sempre reconheceu. E agora vamos colocar em prática”, disse a prefeita.

Da parte do Sesi-SP, Alexandre Pflug afirmou que o principal objetivo do PAF é estimular a prática de esportes, mas novos talentos também podem ser revelados por meio do programa.

“O foco não é só revelar talento, mas é a pratica da atividade física. Obviamente, se houver algum talento, poderemos investir mais nessa criança ou adolescente”, explicou Pflug.

Formação esportiva

Voltado para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, o PAF abre as portas para a forma de potenciais atletas. O projeto é divido em três fases.

No que se refere as crianças de seis a oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes do programa iniciam a prática esportiva, conhecendo diversas modalidades.

Dos 11 aos 17 anos, o aluno escolhe uma modalidade e a passa cumprir treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Sesi-SP assina convênio para a formação esportiva de 460 jovens em Itapeva

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Itapeva

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) assinou mais um convênio para formação esportiva de crianças e adolescentes na manhã desta quarta-feira (02/07). Dessa vez, o Programa Atleta do Futuro (PAF) contemplou a cidade de Itapeva, a quase 300 quilômetros da capital paulista.

Cerca de 460 crianças devem ser treinadas por 21 professores, já capacitados pelo Sesi-SP, nas modalidades voleibol, judô, karatê, ginástica artística, futsal, basquetebol e futebol. 

Assinaram o convênio o prefeito de Itapeva, José Roberto Comeron, e o diretor da Divisão de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug. “O jovem precisa de educação e o esporte traz essa possibilidade”, disse Pflug. 

Pflug (o segundo da direita para a esquerda) e autoridades em Itapeva: “O jovem precisa de educação e o esporte traz essa possibilidade”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Pflug (o segundo a partir da direita) e autoridades em Itapeva: “O jovem precisa de educação e o esporte traz essa possibilidade”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Após assinar o convênio, o diretor do Sesi-SP se comprometeu a trazer atletas da instituição, como o judoca Bruno Mendonça, que integra a seleção brasileira, para realizar clínicas com os participantes do PAF. 

“O Bruno Mendonça vai ser de bom ganho para as crianças do judô de Itapeva”, disse Pflug. Há um grupo de atletas dessa categoria na cidade que disputa torneios regionais. “Atletas são exemplos positivos”, completou Pflug.

Na avaliação do prefeito Comeron, a implementação do PAF na cidade contribui para que “o esporte em Itapeva seja visto com outros olhos”.

O secretário de Esportes da cidade, Rogério Galvão, o Papita, também participou do momento da assinatura. Ele já participou de uma capacitação do PAF em São Paulo. 

“Participei de uma capacitação do PAF no Ibirapuera. Para gente que trabalha com esporte, esse projeto vem no momento certo, para massificar nossos departamentos menores e fortalecê-los”, disse.

Formação Esportiva

Voltado para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, o Programa Atleta do Futuro abre as portas para a forma de potenciais atletas. O projeto é divido em três fases. 

No que se refere as crianças de seis a oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes do programa iniciam a prática esportiva, conhecendo diversas modalidades. 

Dos 11 aos 17 anos, o aluno escolhe uma modalidade e a passa cumprir treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais. 

Sesi-SP e Engenheiro Coelho assinam convênio para implantar o ‘Atleta do Futuro’

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, de Engenheiro Coelho

Depois de Caconde e Itobi, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), firmou na tarde desta terça-feira (01/07) mais um convênio do Programa Atleta do Futuro (PAF). Desta vez, com a prefeitura de Engenheiro Coelho, município a aproximadamente 168 quilômetros da capital paulista. O programa de formação esportiva beneficiará 200 alunos com a prática de futsal.

O acordo foi firmado pelo diretor de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, e pelo prefeito Pedro Franco.

O prefeito Pedro Franco com o convênio assinado em mãos ao lado do diretor de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

O PAF contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária. De acordo com a prefeitura, a prioridade nesse momento inicial serão as crianças de 6 a 10 anos. Nessa fase, entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

“O objetivo é que elas participem do maior número de modalidades. Assim os instrutores acabam detectando um talento, uma habilidade e estimulando o desenvolvimento em uma habilidade mais adequada às características das crianças˜, explicou Pflug ao conversar com o prefeito.

Franco afirmou que a parceria só agrega para o município. “Sabemos que somos uma cidade ainda pequena. Isso só vem agregar. Vamos sensibilizar qual a vocação das crianças. E isso vai proporcionar várias atividades. Quem sabe, futuramente, não podemos ter alunos disputando as Olimpíadas˜, disse o prefeito.

Pflug sugeriu ainda encontrar uma empresa local para ser madrinha da iniciativa e recomendou promover um evento de lançamento com a presença dos pais dos alunos.

Metodologia

Dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Itobi recebe Programa Atleta do Futuro do Sesi-SP

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, de Itobi

Na tarde desta terça-feira (01/07), o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) firmou mais um convênio para implantar o Programa Atleta do Futuro (PAF). Desta vez, a iniciativa chegou ao município de Itobi, a 235 quilômetros da capital paulista.

Em Itobi, o programa de formação esportiva beneficiará 200 alunos com a prática de futsal e voleibol. Criado para estimular a prática esportiva e a cidadania, o PAF atende aproximadamente 109 mil alunos em mais de 250 municípios paulistas.

O Sesi-SP foi representado na solenidade pelo diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, que assinou o convênio com o prefeito local, Alexandre Toríbio. A cerimônia aconteceu na prefeitura.

Pflug explicou a metodologia do PAF. “A ideia não é só revelar talentos, o mais importante é a avaliação do desenvolvimento dos alunos e o retorno que damos sobre isso para os pais”, disse.

Pflug, de marrom, ao centro: “O mais importante é a avaliação do desenvolvimento dos alunos”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Pflug, de marrom, ao centro: “O mais importante é a avaliação do desenvolvimento dos alunos”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Já o prefeito Toríbio agradeceu ao Sesi-SP pela parceria, ressaltando a necessidade de proporcionar atividades esportivas para as crianças, diminuindo o risco de envolvimento com drogas e bebidas alcoólicas. “A parceria oferece algo para as crianças se distraírem, com a possibilidade de se tornarem atletas”, afirmou.

Conceitos de cidadania

De acordo com Pflug, o PAF é uma oportunidade única para que todas as crianças pratiquem esporte, e aprendam conceitos de cidadania. “O Sesi-SP vem transferindo sua tecnologia social na área do esporte mesmo para quem não é aluno da entidade. Isto permite que milhares de jovens tenham acesso a diferentes modalidades esportivas por meio de uma metodologia desenvolvida por especialistas.”

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

O PAF contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Sesi-SP leva Programa Atleta do Futuro para Caconde

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, de Caconde

Na manhã desta terça-feira (01/07), o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) firmou mais um convênio para implantar o Programa Atleta do Futuro (PAF). Desta vez, a iniciativa chegou ao município de Caconde, a 290 quilômetros da capital paulista.

Em Caconde, o programa de formação esportiva beneficiará 500 alunos com a prática de futsal, futebol e handebol. Criado para estimular a prática esportiva e a cidadania, o PAF atende aproximadamente 109 mil alunos em mais de 250 municípios paulistas.

O Sesi-SP foi representado na solenidade pelo diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, que assinou o convênio com o prefeito local, Luciano Semensato. A cerimônia aconteceu na prefeitura.

Pflug destacou que o Sesi-SP promove, inicialmente, a capacitação dos professores envolvidos no projeto. “Fornecemos material didático e uniformes para todos os alunos”, disse. “O Sesi-SP pode promover ainda clínicas com a presença de atletas de renome e os alunos podem participar de competições organizadas pela instituição”.

Já o prefeito Semensato afirmou que a prefeitura tem “todo o interesse” em fazer o convênio dar certo, com outras modalidades, como judô e canoagem, sendo incorporadas numa segunda etapa. “Vamos assinar essa parceria e, podendo ampliá-la depois, ficaremos contentes”, disse. “A represa da região pode até ser usada para a prática da canoagem”.

De acordo com Pflug, o PAF é uma oportunidade única para que todas as crianças pratiquem esporte, e aprendam conceitos de cidadania. “O Sesi-SP vem transferindo sua tecnologia social na área do esporte mesmo para quem não é aluno da entidade. Isto permite que milhares de jovens tenham acesso a diferentes modalidades esportivas por meio de uma metodologia desenvolvida por especialistas.”

Além do esporte 

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

O PAF contempla crianças e jovens entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas. A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças.

Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Programa Atleta do Futuro chega a Jaguariúna para atender 1.200 crianças

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Jaguariúna

Nesta sexta-feira (27/06), a Prefeitura de Jaguariúna fechou parceria com o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para o desenvolvimento do Programa Atleta do Futuro (PAF), para incentivar a prática esportiva entre crianças de 6 a 17 anos.

A solenidade de assinatura do termo de compromisso aconteceu no encerramento da Semana de Estudos, voltadas para educadores de esporte da Prefeitura. Entre as atividades da semana, os profissionais receberam a capacitação do PAF.

No grupo, os jogadores Marcelinho e Serginho; o prefeito Tarcisio Cleto Chiavegato; o diretor de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug; e o técnico Marcos Pacheco (penúltimo da esquerda para a direita). Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Em Jaguariúna, o Programa Atleta do Futuro vai atender 1.200 crianças nas modalidades futsal, futebol, vôlei, vôlei de praia, natação, atletismo, jiu-jitsu e basquete. Com apoio da empresa Flextronics, o PAF vai envolver 21 profissionais da cidade, entre professores e estagiários, já capacitados pelo Sesi-SP.

O evento contou com a presença do prefeito de Jaguariúna, Tarcisio Cleto Chiavegato, e do diretor da Divisão de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug.

“Jaguariúna é uma cidade que cresceu bastante. Investimento no desenvolvimento industrial, no turismo e também no esporte, com a construção de 14 parques”, afirmou o prefeito. “Temos uma parceria de muitos anos com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na área de educação. Hoje estamos juntos mais uma vez, no Projeto Atleta do Futuro. Quero agradecer imensamente pela oportunidade.”

“O PAF tem uma metodologia própria, compreendendo conceitos que consideram as múltiplas possibilidades do esporte. O objetivo é promover o desenvolvimento pessoal e social dos alunos”, explicou Pflug.

Palestra

No fim da cerimônia, os educadores tiveram ainda uma palestra com o técnico da equipe masculina de vôlei do Sesi-SP, Marcos Pacheco, e dos jogadores Serginho (líbero) e Marcelinho (levantador). Eles apresentaram os principais conceitos do esporte, como o companheirismo, a liderança e a iniciativa e contaram casos pessoais para ilustrar a importância de cada um.

“A assinatura do Programa Atleta do Futuro significa possibilidade e oportunidade para essas crianças começarem no esporte. Muitas têm o sonho de ser um Marcelinho ou um Serginho. Mas qual é o caminho? Um deles é o PAF”, disse Pacheco.

“Por isso, cada professor tem uma responsabilidade muito grande. Mais do que formar atletas eles têm que despertar nas crianças o interesse pelo esporte, de dar a elas essa possibilidade e ajudá-las a conquistar seus sonhos.”

>> Sesi-SP leva Programa Atleta do Futuro para Vinhedo 

Sesi-SP inaugura quadra poliesportiva e assina convênio para 190 alunos em Catanduva

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Catanduva

Um dos maiores nomes da história do tradicional Clube Atlético Juventus, do bairro da Mooca, em São Paulo, o ex-jogador de futebol Moacir Bernardes Brida, o Brecha, foi designado oficialmente, na tarde desta quinta-feira (24/04), patrono da nova quadra poliesportiva da unidade do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) da cidade de Catanduva, a 395 quilômetros da capital.

Em cerimônia que contou com as presenças de Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo  (Senai-SP), e Alexandre Pflug, diretor de Esporte, Lazer e Qualidade de Vida do Sesi-SP, o papel do esporte e da educação na formação dos jovens foi ressaltado.

“A prática esportiva tem um valor imenso para inspirar futuras gerações”, afirmou Vicioni.  “Essa quadra é um presente para os alunos, para que esses  possam ser cidadãos corretos e dignos”.

Vicioni: “A prática esportiva tem um valor imenso para inspirar futuras gerações”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Vicioni: “A prática esportiva tem um valor imenso para inspirar futuras gerações”. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

“Para mim, é uma homenagem justa, porque meu falecido pai fez muito pelo esporte de Catanduva”, disse Felipe Brida, filho do atleta homenageado. “Espero que meu pai sirva de exemplo para todos os alunos do Sesi-SP”, completou.

Atletas do Futuro

Também durante a solenidade, foi assinado o convênio Programa Atleta do Futuro (PAF), que atenderá 190 alunos da rede municipal de ensino na cidade de Catanduva. Os alunos terão vivências e aperfeiçoamentos esportivos em natação.

“O PAF é o maior programa de inclusão esportiva que conheço”, avaliou Vicioni. “É um programa que permite atendimento de milhares de jovens de 6 a 17 anos”, completou.

São Sebastião e Ilhabela renovam convênio e iniciam formação esportiva em vela

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de São Sebastião

Mostrando a diversidade de modalidades esportivas e o aproveitamento da estrutura de cada cidade, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) renovou, nesta sexta-feira (21/03) o convênio do Programa Atleta do Futuro (PAF) com as cidades de Ilhabela e São Sebastião. Somadas, as duas cidades do litoral norte atendem cerca de 1500 crianças em várias modalidades, com destaque para a vela.

Nilce Signorini e Alexandre Pflug com o documento do convênio logo após a assinatura. Montanaro (com uniforme preto) representou o presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Os convênios foram assinados pelo diretor de esportes e qualidade de vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug; Nilce Signorini, vice-prefeita de Ilhabela; Fabio Figueiredo Lopez, secretário de esportes de São Sebastião; e José Bosco Fernandes de Castro, superintendente da Sabesp, empresa parceira do PAF no litoral norte.

O gestor da modalidade de vôlei do Sesi-SP, José Montanaro Júnior, representou o presidente Paulo Skaf e aconselhou os futuros campeões. “O Sesi-SP entende o esporte, antes de tudo, como uma ferramenta educacional. Por isso, aproveitem essa oportunidade e acreditem em vocês. Sonhem com os olhos abertos, sonhem em ser grandes campeões. Valorizem cada palavra do que o professor diz para vocês. Os valores que vocês vão aprender aqui, vão levar para a vida toda. E é desses valores que o Brasil precisa.”

Prática da vela atraiu interesse de muitos jovens. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Em São Sebastião, o PAF oferece 500 vagas para os esportes: futebol, futsal, futebol de areia, voleibol, basquete, tênis de mesa, vela, judô, xadrez e natação. Ilhabela tem mil vagas, nas modalidades futebol, futsal, voleibol, basquete, tênis de campo, vela, jiu-jitsu, natação, rugby, atletismo e dança.

Mais do que aproveitar a estrutura das duas cidades litorâneas, o Atleta do Futuro usa o mar para desenvolver a prática da vela, que atraiu muitos interessados e trouxe grandes resultados. Tanto que São Sebastião se tornou um polo de formação esportiva do Sesi-SP nessa modalidade, para treinar atletas de alto rendimento.

Um exemplo do sucesso da parceria no Atleta do Futuro é o atleta Pedro Luiz Marcondes Corrêa, de 16 anos, que já ganhou regatas nacionais e internacionais. Ele começou na vela fazendo um curso básico oferecido em São Sebastião. Por meio do PAF, seguiu treinando e começou a participar de competições, obtendo boas colocações. Já participou em competições no México, Itália, Estados Unidos, Portugal, Chile.

Regata celebrou assinatura do PAF. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Pedrinho, como é conhecido, ganhou recentemente o Sul-americano na categoria byte, realizada na Represa de Guarapiranga, e seu próximo desafio é a Olimpíada da Juventude, na China, e o Mundial de Byte, na Itália. Além de prêmios, o atleta diz que ganhou muito mais com o esporte.

“Na vela, tem dias que a gente não vai tão bem em uma regata. É como na vida: temos que aprender a dar a volta por cima, ter garra, perseverança, humildade e nunca abandonar seus sonhos.”

Tendo Pedrinho como exemplo, outros alunos da vela também querem ser campeões. Praticando Vela há seis meses, André dos Santos Silva Júnior, de 11 anos, tem metas ambiciosas. “Já aprendi muitas coisas, conheço as regras de regata, sei dar jibe, bordo, 360, 720”, conta o aluno, que diz que melhorou seu desempenho na escola depois que começou no esporte. “Quero ser um velejador mundialmente conhecido.”

No fim da solenidade, os alunos realizaram uma regata, que foi acompanhada pelos maratonistas aquáticos do Sesi-SP, Mariana Serrano e Lucas Cortini, que caíram no mar com a turma da vela.

Nadadores do Sesi-SP acompanham regata. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Programa Atleta do Futuro do Sesi-SP: 200 crianças e jovens dedicados ao esporte

Agência Indusnet Fiesp, de Redenção da Serra

Duzentas crianças e jovens de Redenção da Serra, município a 165 quilômetros de São Paulo, no Vale do Paraíba, vão passar a ter outra visão do esporte daqui por diante. Isso porque foi assinado, na manhã desta quarta-feira (19/03), com a prefeitura local, um convênio para o desenvolvimento de formação esportiva do Programa Atleta do Futuro (PAF), do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Estudantes: animação ao falar da possibilidade de praticar esportes. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A solenidade de assinatura foi realizada na Câmara Municipal e contou com a presença do presidente do Sesi-SP  e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O prefeito do município, Benedito Manoel de Moraes, e o diretor de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, também estiveram presentes.

Os estudantes Pedro Lucas do Carmo Carlos (16 anos), Yago Moreira (14) e João Vitor Lobato Porto (14) são alguns dos futuros participantes do PAF em Redenção.

“Estou animado”, disse Pedro. “Esse projeto vai ser bom para nós e para a cidade, os meninos não vão ficar sem fazer nada na rua”, afirmou Yago. “Estou bastante feliz em participar. Acho que isso vai mudar a minha cabeça e a minha saúde”, completou João.

No município serão atendidos 200 alunos, que praticarão futebol e atletismo.

Na solenidade, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP disse que o programa é uma grande oportunidade para que crianças e jovens pratiquem esportes gratuitamente e desenvolvam valores que levarão para a vida toda. Ele brincou com os alunos e até ensaiou passos de marcha olímpica para estimular os alunos.

“Vamos fazer atletismo aqui também, ampliar o convênio”, anunciou o presidente, já que a previsão inicial era ter somente futebol pelo projeto na cidade.

“Estamos na assinatura do convênio de número 193 do PAF”, destacou o diretor de Esportes e Qualidade de ida do Sesi-SP. “O impacto de uma iniciativa assim numa cidade pequena, com pouca oferta de atividades esportivas, como Redenção, é grande”, disse Pflug.

Além da prática esportiva, os alunos do PAF recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho e consumo, meio ambiente e pluralidade cultural, entre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

O programa

Presente em mais de 190 municípios, o Programa Sesi-SP Atleta do Futuro contempla 82.354 participantes entre 6 e 17 anos e as atividades estão organizadas em três fases, adequadas para cada faixa etária.

Na fase que compreende crianças entre seis e oito anos, os instrutores trabalham para promover qualidade de vida, integração e socialização por meio de jogos e brincadeiras lúdicas.

A partir dos oito anos, os participantes iniciam a prática esportiva, conhecendo as diversas modalidades e suas diferenças. Então, dos 11 aos 17 anos, os alunos optam por uma modalidade e realizam treinos específicos. Nesta fase, os atletas podem representar a equipe do Sesi-SP em competições estaduais e nacionais.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família.

Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Sesi-SP firma convênio do Programa Atleta do Futuro com Itaquaquecetuba

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

O Programa Atleta do Futuro chegou a mais uma cidade paulista nesta sexta-feira (21/02). O presidente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da Federação das Indústrias  do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, assinou o convênio do PAF com o prefeito de  Itaquaquecetuba, Mamoru Nakashima, e o secretário de Esportes local, Ronaldo Fernandes Nava. O município fica a 40 quilômetros da capital.

O objetivo inicial é atender cerca de 300 crianças de 6 a 17 anos do município. A princípio, será apenas na modalidade futebol de salão, mas o plano é expandir para outras opções mais adiante.

O secretário de esportes de Itaquaquecetuba destacou que o programa “vai melhorar a prática esportiva, a qualidade de vida e o convívio social”. Já o prefeito falou da importância da parceria público-privada. “A prefeitura sozinha não tem condições de tocar um projeto como esse”, disse Nakashima. “Contamos com a boa vontade dos empresários, não só para esse projeto, mas para outros. A cidade vai melhorar muito com esse tipo de parceria.”

Da esquerda para a direita: Pflug, Nakashima e Nava: parceria em nome de Itaquaquecetuba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A partir da esquerda: Pflug e Nakashima: parceria em nome de Itaquaquecetuba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Representando o Sesi-SP, o diretor de Esportes e Qualidade de Vida da instituição, Alexandre Pflug, afirmou que, além de incentivar a prática esportiva, o PAF busca encontrar novos talentos. “O Atleta do Futuro atende cerca de 100 mil crianças no estado e traz a possibilidade de revelar talentos na cidade, aproveitar um potenciais”.

Mogi das Cruzes recebe novas instalações esportivas no Centro de Atividades do Sesi-SP

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Mogi das Cruzes

Sempre incentivando a prática de esportes, principalmente entre as crianças e jovens, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), entregou, nesta sexta-feira (21/02), novas instalações esportivas no Centro de Atividades Nadir Dias Figueiredo, em Mogi das Cruzes, a 62 quilômetros da capital. O evento contou com a presença do presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Além da entrega das instalações totalmente renovadas, dois esportistas do município foram homenageados durante a solenidade. José Carlos Miller da Silveira, o professor  Tuta, é o patrono do Ginásio de Esportes e o atleta da bocha Ugo Truffa, da nova cancha do CAT de Mogi.

Paulo Skaf falou da alegria de inaugurar mais um espaço esportivo no Estado. “Sempre que a indústria investe em educação, é um momento muito bom. Investimos em escolas com ensino em tempo integral, que tem como fundamento aprender na sala de aula, mas também na quadra de esporte, nos laboratórios, nas atividades culturais”, disse. “A unidade de Mogi foi toda revitalizada, com atenção especial para as instalações esportivas, porque esporte é lazer, é saúde e é educação.”

Skaf, à esquerda: investimentos nas áreas dedicadas à prática de esportes em Mogi. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Skaf, à direita, e convidados na inauguração das instalações em Mogi. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

De acordo com o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, somando os investimentos feitos em toda região do Alto Tietê, entre obras já entregues e em andamento, foram cerca de R$ 170 milhões aplicados pelo Sesi-SP. “Temos investimentos no CAT de Mogi, onde também esperamos a solução com relação ao terreno para construir ainda uma nova escola para substituir as duas que já existem e também faremos investimentos no Senai-SP, em Ferraz de Vasconcelos onde já foi inaugurada uma escola”, explicou. E mais:  “Temos uma obra em andamento em Suzano que termina no final do ano e em Itaquaquecetuba, onde ainda aguardamos uma solução. Esse é o investimento da indústria na região.”

Revolução no esporte

O diretor de esporte e qualidade de vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, chamou ao palco os atletas presentes: a equipe de vôlei paralímpico, goalball, atletas do judô e a jogadora de vôlei feminino Priscila Daroit. Pflug destacou a atuação do Sesi-SP na área esportiva.

“A gente sabe dos investimentos e da revolução do Sesi-SP na área de educação e do esporte. O grande diferencial é o olhar que o Sesi-SP tem para o estado de São Paulo como um todo, com equipes de rendimento em várias cidades”, disse Pflug.

Emocionado, Professor Tuta agradeceu por receber uma homenagem ainda em vida. “Se hoje me considero um homem realizado pelo que conquistei, não consigo traduzir em palavras a alegria que essa honrosa homenagem, ainda em vida, me traz”, declarou o homenageado, que deixou um conselho aos presentes. “Aos jovens, gostaria de dizer: Não desistam de seus sonhos. Tracem um objetivo de vida e dediquem-se a ele com disposição e vontade.”

O atleta da bocha, Ugo Truffa, afirmou estar feliz não só pela homenagem, mas também pelo espaço dedicado ao seu esporte. “Depois da minha família, a bocha sempre foi a minha segunda paixão”, explicou. “Gostaria muito que os jovens praticassem a bocha, que agora tem uma das melhores canchas que já conheci. Agradeço ao Sesi-SP por essa homenagem.”

Da esquerda para a direita: Tuta, Skaf e Truffa: homenagem às personalidades locais. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Da esquerda para a direita: Tuta, Skaf e Truffa: homenagem às personalidades locais. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Inspiração

Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Sesi-SP e do Senai-SP, destacou o papel inspirador dos patronos. “Essa inauguração em Mogi é um momento especial para o Sesi-SP, pela justa homenagem aos que se destacaram no esporte”, afirmou. “Mas a escolha desses nomes vai além: ao escolher o professor Tuta e Ugo Truffa, o Sesi-SP indica para a atual e para as futuras gerações de esportistas uma fonte de inspiração. O grande papel do patrono é inspirar as pessoas a seguirem o seu exemplo.”

Jogos Estudantis 2013: esporte e integração em dia de festa na unidade do Sesi-SP de Jacareí

 Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp, de Jacareí

Era difícil encontrar alguém parado. Nas quadras, corredores e campos de futebol da escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em Jacareí, a 82 quilômetros da capital paulista, o que mais se via, neste sábado (23/11), eram adolescentes correndo ou jogando nas quadras e campos da unidade. Alguns, inclusive, na companhia dos pais. O motivo da festa? A disputa da final dos Jogos Estudantis 2013, isso na fase estadual, decidida em Jacareí e em outras três cidades: Matão (também neste sábado, 23/11), Araçatuba (em 09/11) e Votorantim (a ser realizada em 30/11).

A competição incluiu as modalidades de basquete feminino, vôlei masculino e feminino e futsal masculino. Isso além de atividades diversas para quem quisesse só se distrair, como tênis de mesa, pebolim, oficina de malabares, futebol de sabão, oficina de bijuteria e até uma cabine para tirar fotos.

“Os Jogos Estudantis existem para promover a integração entre os alunos”, explica o diretor da escola do Sesi-SP em Jacareí, Paulo Coelho. “Em todo o estado, a rede estimula a prática de esportes, ajuda a despertar talentos”.

De acordo com Coelho, a animação em torno do evento é tanta que os estudantes “já estão perguntando pela edição do ano que vem”. “Pensamos na educação de forma completa, com ensino de qualidade em tempo integral”.

 

Jogo de vôlei feminino na final dos Jogos em Jacareí: incentivo ao esporte. Foto: Isabela Barros/Fiesp

Partida de vôlei feminino na final dos Jogos em Jacareí: incentivo ao esporte. Foto: Isabela Barros/Fiesp

 

Segundo Marques, cada aluno do Sesi-SP participa de pelo menos 12 eventos de esporte e cultura aos finais de semana ao longo do ano.

Treino de basquete

As amigas Tainá Cristine Machado de Assis e Rafaelly Pereira de Lins, ambas de 14 anos e alunas do Sesi-SP em Caçapava, eram provas de como os Jogos Estudantis atraem a atenção dos alunos da rede. Entre uma cesta e outra do treino de basquete com atletas da equipe de rendimento da instituição, elas eram só elogios ao dia de esporte e recreação em Jacareí.

“A gente se diverte e aprende ao mesmo tempo no treino”, diz Rafaelly. “E ainda dá para conhecer muita gente”, completa Tainá.

Respectivamente técnicos das equipes sub 17 e sub 15 de rendimento do basquete feminino do Sesi-SP, Renato Zanolla e Pedro Funck Gambaini confirmavam a animação.

“Esse intercâmbio entre escolas é muito bom e incentiva inclusive a captação de alunos para as equipes”, diz Zanolla. “Os alunos adoram, se divertem. Para nós, é mais uma oportunidade de ficar de olho em novos talentos”, conta Gambaini.

Da esquerda para a direita: Gambaini, Marques, Coelho e Zanolla na missão de despertar talentos para o esporte. Foto: Isabela Barros/Fiesp

Da esquerda para a direita: Gambaini, Marques, Coelho e Zanolla na missão de despertar talentos para o esporte. Foto: Isabela Barros/Fiesp

Segundo o orientador de Esporte da escola do Sesi-SP A.E.Carvalho, no bairro de Artur Alvim, em São Paulo, Joel Militão Ferreira, os Jogos Estudantis são um “grande momento” no ano para muitos jovens. “Eles sempre saem querendo mais”, diz.

Envolvimento

Estiveram em Jacareí hoje alunos do Sesi-SP de cidades como Mauá, Ribeirão Pires, Suzano, Garulhos, São José dos Campos, Caçapava, São Paulo e Mogi das Cruzes.

Dentro do grupo dos visitantes de fora e vindos da capital paulista, os alunos Vitor Gonçalves e Diego Moraes Batista, ambos de 16 anos, foram dois que não se cansaram de circular por todas as áreas da escola da rede em Jacareí.

“A gente vem de boa vontade, gosta”, afirma Gonçalves. “E se envolve, dá para conhecer muita gente”, diz Batista.

Pais de Natan, de 12 anos, aluno do Sesi-SP de Jacareí, a dona de casa Maria do Carmo Castro Santos, de 50 anos, e o aposentado José Carlos dos Santos, de 53, foram até a escola acompanhar o filho neste sábado (23/11). “É uma ideia ótima essa dos Jogos, eles ficam integrados o dia todo. O Sesi-SP ajuda os alunos a se desenvolverem”, diz Maria do Carmo. “Ele adora”, reforça Santos.

Santos e Maria do Carmo: companhia para o filho no sábado do Sesi-SP em Jacareí. Foto: Isabela Barros/Fiesp

Santos e Maria do Carmo: companhia para o filho Natan em Jacareí. Foto: Isabela Barros/Fiesp

A banda

Além dos alunos que jogam e daqueles que aproveitam as atividades recreativas oferecidas, os Jogos contam ainda com a participação de estudantes voluntários, que ajudam na organização e na realização do evento.

Foi o caso de Leonardo Martins, de 16 anos, e Rafael Santos, de 17, matriculados no ensino médio do Sesi-SP de Jacareí e que, junto com o universitário Gabriel Martins, de 21 anos, formaram a banda que animou a competição na escola.

“Canto sozinho e vou lançar o meu primeiro CD no final do ano. Nos reunimos apenas para tocar nos Jogos”, explica Martins. “Sempre tocamos aqui na escola, nos saraus, por exemplo”, diz Santos.

Fazendo sucesso entre os participantes das disputas, a banda era outro exemplo da integração promovida pela iniciativa. “Os Jogos existem para aproximar os nossos alunos”, resume o diretor de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug.

 

Sesi-SP lança karatê como nova modalidade esportiva do programa ‘Atleta do Futuro’

Lucas Dantas, de Santos, Agência Indusnet Fiesp

Alexandre Pflug: jovens terão espaço para praticar o esporte no Sesi-SP de Santos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp.

Em evento com mais de 300 pessoas, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) lançou no sábado (31/08), em Santos, mais uma modalidade do programa “Atleta do Futuro”: o karatê.

Ao apresentar a iniciativa, o diretor de Esportes e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, explicou que ideia surgiu depois que o presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, conheceu, em uma reportagem pela TV, a história do jovem Álvaro Mendonça.

O garoto de apenas 13 anos, juntamente com sua família, pedia dinheiro em semáforos de Santos para angariar a quantia de R$ 4.000,00 e, assim, disputar o campeonato sul-americano em Fortaleza (CE). Sensibilizado, Skaf decidiu implementar mais uma modalidade esportiva no Sesi-SP, não só para ajudar Álvaro, mas para abrir oportunidades a jovens da Baixada Santista, celeiro de lutadores.

“Tudo veio de uma iniciativa inédita do presidente Skaf. Um dia eu estava em casa e ele me ligou contando a história de Álvaro. Em um mês, nós chamamos seus pais e preparamos tudo para criar a modalidade aqui em Santos, onde temos muitos jovens procurando espaço para praticar a modalidade e agora terão aqui no Sesi-SP”, explicou Pflug no Centro de Atividades Dr. Paulo de Castro Correia, unidade do Sesi-SP em Santos.

O técnico Carlos Magno Eduardo Batista (de pé), Álvaro (de calça preta) e a equipe. Meta é de chegar a 100 atletas até o final do ano. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Segundo Álvaro, ser o “embaixador” dessa atividade, ainda tão jovem, é uma honra. Ele disse que a “ficha ainda não caiu completamente”.

“É uma coisa muito grande, ainda não consegui pegar tudo. Mas estou muito feliz e tenho certeza de que, com o suporte do Sesi-SP e de todos aqui, não só eu, mas todo mundo vai conseguir resultados excelentes”, afirmou o jovem, que luta na categoria faixa roxa.

Álvaro integra uma equipe inicial de 25 atletas, dos 11 aos 17 anos –  alguns já campeões estaduais e nacionais. Todos serão treinados por Carlos Magno Eduardo Batista.

O técnico já planeja competições internacionais com os alunos e prevê um crescimento do interesse pela iniciativa do Sesi-SP. A meta, revela, é de ter 100 atletas inscritos no projeto até o final do ano.

“O karatê vai disputar os Jogos Pan-americanos de 2015, em Toronto, e é um dos que mais conseguem medalhas. Essa iniciativa é muito importante e pode ajudar na criação de muitos atletas, pode ajudar a crescer a equipe da seleção brasileira e até contribuir para que seja um esporte olímpico. Ter uma potência como o Sesi-SP do nosso lado é um ganho muito grande, traz mais visibilidade, atraindo cada vez mais atletas”, afirmou Carlos Magno Eduardo Batista, que em diversos momentos da solenidade se emocionou e teve que parar seu discurso, sendo bastante aplaudido.

Atletas fazem exibição de karatê na solenidade no Centro de Atividades Dr. Paulo de Castro Correia, unidade do Sesi-SP em Santos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp