“É preciso ter intuição para ser um bom gestor”, afirma presidente do Hospital Israelita Albert Eistein

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

“Quem quer ter um cargo de gestão precisa ter foco e fazer escolhas certas”, afirmou o presidente do Hospital Israelita Albert Eistein, Cláudio Luiz Lottenberg, durante a reunião ordinária do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na noite de quarta-feira (11/8).

Lottenberg foi indicado como um dos líderes de melhor reputação pela revista Exame, em 2013, e eleito o Executivo de Valor na área da Saúde pelo jornal Valor Econômico em 2014 e 2015. Preside o Einstein desde 2001. Segundo ele, na época em que cursou medicina não havia cursos focados em gestão, como os que existem atualmente.

“É preciso ter intuição. Gestor não gosta que fale isso, mas a intuição é fundamental também para este cargo. Como pode ter um gestor feito história e tomado grandes decisões sem na época ter toda a tecnologia e conhecimento que se tem hoje?”, questiona.

Cláudio Luiz Lottenberg: "Saúde é debatida somente a cada quatro anos no Brasil". Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cláudio Luiz Lottenberg: "Saúde é debatida somente a cada quatro anos no Brasil". Foto: Everton Amaro/Fiesp


Segundo ele, o Einstein sempre primou pela tecnologia. Ele diz que para um hospital ser diferenciado, é preciso se inspirar, investir e não ter medo das mudanças, que tornam a medicina melhor.

Saúde no Brasil

Lottenberg ressalta que falta investimento de verdade na saúde brasileira. “É evidente que o gasto per capita é muito ruim. Faltam bons hospitais em São Paulo e no Brasil. Uma das minhas tristezas é que a saúde é debatida somente a cada quatro anos no Brasil. Precisamos debater mais.”

Para ele, a saúde deve ter um contexto focado na comunidade. “É preciso ter uma visão mais sinérgica no sistema da saúde. Desde o processo de sustentabilidade até a inovação. E para isso temos de ser menos corporativistas. Temos que acreditar!”

Lado empreendedor

Especializado em oftalmologia, o médico fundou em 1989 a Lotten Eyes Oftalmologia Clínica e Cirúrgica, que tem cinco endereços na cidade de São Paulo e já atendeu mais de 50 mil pacientes. “É disso que vivo. Afinal, como presidente não sou remunerado.”