Deputados venezuelanos pedem ajuda humanitária à Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

O Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp vai estudar formas de mobilizar a indústria farmacêutica do Brasil, a fim de amainar a crise provocada pela falta de medicamentos na Venezuela. O pedido foi feito pelo presidente da entidade, Paulo Skaf, depois de ouvir apelo por ajuda humanitária de deputados venezuelanos de oposição nesta terça-feira (23/2).

“Solicitamos ao presidente da Fiesp, Paulo Skaf, e ao corpo diretivo que intervenham junto aos laboratórios brasileiros para que consigamos ajudar a tantos enfermos que estão morrendo por falta de medicamentos em nosso país”, declarou o deputado federal venezuelano, Luis Florido (Partido Voluntad Popular), após reunião na sede da entidade.

Acompanhado por Williams Dávila (Partido Acción Democratica), também oposicionista ao governo do atual presidente Nicolás Maduro, Florido expôs que a crise na Venezuela vai além do aspecto político e ideológico, chegando a uma crise social e humanitária.

Segundo os congressistas, a oferta de até 85% dos principais remédios é afetada pela atual crise, e a população sofre, sobretudo, com a falta de medicamentos para hipertensão, diabetes e quimioterapia além de antirretrovirais, anticonvulsivos e antibióticos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539942479

Paulo Skaf com os deputados venezuelanos Luis Florido e Williams Dávila. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Fiesp participa de ajuda humanitária no Haiti

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539942479

Médicos e enfermeiros voluntários embarcam para Lês Cayes, no Haiti. Foto: Divulgação

O Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde (Comsaude) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em parceria com a Associação Médica Brasileira (AMB) e com os profissionais da organização não-governamental Expedicionários da Saúde, está participando de ajuda humanitária prestada às vítimas do terremoto que atingiu o Haiti, no começo deste ano.

Na semana passada, médicos e enfermeiros voluntários embarcaram para a capital do Haiti, Porto Príncipe. Com o apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS), os profissionais prestam atendimento no Hospital Canadense Brenda Strafford, em Lês Cayes, a 150 quilômetros da capital.

Além de auxiliar no trabalho destas equipes, o Comsaude enviou equipamentos médicos, doados pela empresa Baumer. “Esta foi a maneira que encontramos para minimizar de forma efetiva o sofrimento da população haitiana”, explica o coordenador do Comsaude, Ruy Baumer.