Governo deve entregar 3,4 mi de moradias do Minha Casa, Minha Vida até 2014, diz ministro das Cidades

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, completou a entrega de um milhão de moradias este ano, afirmou o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, durante a abertura do Construbusiness 2012 – 10º Congresso Brasileiro da Construção  – evento realizado na manhã desta segunda-feira (03/12) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

10º Construbusiness - Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. Foto: Everton Amaro

Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro: 'Haveremos de chegar em 2014 com 3,4 milhões de unidades contratadas no programa'. Foto: Everton Amaro

Segundo Ribeiro, o governo deve superar a meta de três milhões de moradias até 2014. “Amanhã vamos participar de um evento para celebrarmos um milhão de moradias entregues ao povo brasileiro”, ele antecipou durante o evento.

O ministro informou que a meta de três milhões de moradias até 2014 foi acrescida de mais 400 mil unidades. “Haveremos de chegar em 2014 com 3,4 milhões de unidades contratadas no programa.”

Pelos cálculos de Ribeiro, o Minha Casa, Minha Vida gerou em 2011 uma renda de R$ 23,6 bilhões em empregos diretos. A expectativa para 2012 é de uma renda de R$ 34 bilhões.

“O setor da construção civil gera emprego de forma imediata. Isso faz com que a nossa economia possa ser ativada, impulsionada de forma igualmente rápida”, comentou.

A continuidade do programa se deu após a Fiesp sugerir, durante um encontro do Construbusiness, o aumento no subsídio para habitação voltada à população de baixa renda.

Programa Compete Brasil

10º Construbusiness - José Carlos de Oliveira Lima. Foto: Everton Amaro

José Carlos de Oliveira Lima: 'Com a adoção das ações propostas, vamos construir um Brasil competitivo'. Foto: Everton Amaro

Em sua 10ª edição, o Construbusiness elaborou um programa completo, chamado Compete Brasil, com soluções para resolver dificuldades ainda não solucionadas no setor de Construção até 2022 (ano do bicentenário da República).

Elaborado pela Fiesp, o documento oferece propostas em Planejamento e Gestão; Aspectos Institucionais e Segurança Jurídica; Funding; Mão de Obra; Impactos Tributários e Custos Produtivos, além de Sustentabilidade.

O objetivo central da federação é elevar o Brasil à condição de 5ª economia do planeta, uma vez que o setor de Construção responde por 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e por 42% da Formação Bruta de Capital Fixo.

Para cada R$ 1 produzido nesse setor, R$ 1,88 são adicionados à produção total do país; a cada R$ 1 milhão investidos em Construção, 70 novos empregos são criados no Brasil. A construção remunera seus trabalhadores, em média, 11,7% acima de outros setores da economia.

“Com a adoção das ações propostas, vamos construir um Brasil competitivo”, afirmou José Carlos de Oliveira Lima, vice-presidente e presidente do Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) da Fiesp.

Fiesp entrega a Michel Temer e ministro das Cidades propostas para aumentar competitividade da cadeia da construção

Agência Indusnet Fiesp*

O vice-presidente da República, Michel Temer,  e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, receberam na manhã desta segunda-feira (03/12), das mãos do presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, o caderno técnico com as propostas do 10º Construbusiness – Congresso Brasileiro da Construção 2012.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544578551

José Carlos de Oliveira Lima (Presidente do Consic/Fiesp), Aguinaldo Ribeiro (Ministro das Cidades). Michel Temer (Vice-presidente da República), Paulo Skaf (presidente da Fiesp e Ciesp), Silvio Torres (Secretário de Estado da Habitação de São Paulo) e Carlos Eduardo Auricchio (diretor-titular do Deconcic). Foto: Everton Amaro.

O documento – também entregue ao secretário de Estado da Habitação de São Paulo, Silvio Torres, representando o governador Geraldo Alckmin – é um programa completo, chamado Compete Brasil, que oferece soluções em Planejamento e Gestão; Aspectos Institucionais e Segurança Jurídica; Funding; Mão de Obra; Impactos Tributários e Custos Produtivos, além de Sustentabilidade.

Em seu discurso, Michel Temer disse que o aumento de renda de uma camada da população, nos últimos anos, criou um círculo virtuoso que incentiva a construção. “Essas pessoas passaram a consumir. Quando se consome, se exige produção. Especialmente no caso da construção. Nós estamos num caminho muito adequado”, disse o vice-presidente da República.

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, cumprimentou a presença de todas as autoridades e disse que o evento tem a importância de discutir tudo aquilo que vai destravar o setor. “Não pode faltar funding para financiar a cadeia de construção. Nós estamos nos antecipando aos fatos para que não haja problema. mas só o alerta não basta. Temos que buscar as soluções.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544578551

Skaf: importância de reduzir a tarifa de energia para aumentar a competitividade. Foto: Everton Amaro.

Skaf lembrou ainda que a Fiesp vem defendendo a redução do custo da conta de luz para todos os brasileiros e mencionou os investimentos da indústria paulista em educação, por meio do Sesi-SP e do Senai-SP.

Também participam o deputado federal Vicente Cândido da Silva (SP); o deputado estadual Itamar Borges (SP); o secretário municipal de Habitação, Ricardo Pereira Leite, entre outras autoridades, parlamentares e um público formado por empresários e presidentes de sindicatos do setor.

O evento prossegue com com participações de Inês Magalhães, secretária Nacional da Habitação do Ministério das Cidades; Heloísa Menezes, secretária do Desenvolvimento de Produção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, representando o Ministro Fernando Pimentel; Silmara Vieira da Silva, da Diretoria de Gestão Ambiental Urbana do Ministério do Meio Ambiente, representando a Ministra Izabella Teixeira; Esther Dweck, chefe da Assessoria Econômica do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, representando a Ministra Miriam Belchior; e Elder Vieira, Gerente Projetos do Ministério do Esporte, representando o Ministro Aldo Rebelo.

O evento foi encerrado com uma aprsClaudia Viegas, diretora da consultoria LCA, apresentou mais detalhes do Compete Brasil.


Outros pronunciamentos

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544578551

José Carlos de Oliveira Lima: setor da construção é forte indutor de empregos. Foto: Everton Amaro.

De acordo com Carlos Eduardo Auricchio, diretor-titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp, o evento apresentará propostas para melhorar a competitividade do país no setor.

Segundo o presidente do Consic, José Carlos de Oliveira Lima, o efeito multiplicador da cadeia é muito forte e o setor é um forte indutor forte de empregos. “Cada um milhão de reais [investidos], geramos mais 70 trabalhadores. Empregamos 12 milhões de pessoas na cadeia produtiva da construção”, afirmou.

O secretário de Estado da Habitação de São Paulo, Silvio Torres, enumerou investimentos do governo do Estado em infraestrutura que demandam produtos e serviços da cadeia de construção.

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, disse que desenvolver a sociedade em todas as suas camadas, é uma das principais diretrizes do governo federal. Citando o programa “Minha casa, minha vida”, Ribeiro disse que o governo celebra nesta terça-feira (03/12) a marca de dois milhões de contratos assinados. “Nossa presidente Dilma aumentou a meta e haveremos de chegar com 3 milhões e 400 mil unidades contratadas pelo programa”.

Ministro das Cidades discute desenvolvimento do setor da Construção no Brasil

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic) da Fiesp recebe nesta sexta-feira (25/05), em sua reunião mensal, o Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, na sede da entidade.

Durante a reunião, Ribeiro discutirá com os conselheiros da Fiesp a participação do ministério no desenvolvimento da construção civil no Brasil.

O encontro, promovido pelo Instituto Roberto Simonsen (IRS), será fechado, mas ao término, por volta das 12h, o ministro falará com a imprensa.

Serviço
Data/horário: 25 de maio de 2012, das 10h às 12h
Local: sede da Fiesp – Av. Paulista, 1313, auditório do 15º andar