Mesa-redonda traz resultados da campanha Água é Vida Cuide desse bem do Sesi-SP

Projetos de Consumo Consciente de Água e exposição de cases de sucesso foram os temas centrais da mesa-redonda “Projetos socioambientais de conservação, reúso e consumo consciente da água”, realizada nesta quarta-feira (26) durante a Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Social.

Sob mediação de Marco Barbieri, diretor-adjunto do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, a palestrante Dulce Marchini Nery, analista de Projetos Sociais do Sesi-SP, abriu a seqüência de painéis destacando os resultados dos dois anos de implantação da campanha Água é Vida Cuide desse bem na rede Sesi-SP.

Ela citou as unidades mais bem-sucedidas e ressaltou dados da cidade de Jundiaí, que conseguiu redução de 54,33%. Também comentou as estratégias adotadas pela unidade para obter efeito tão expressivo e ações tomadas, como troca de torneiras, controle de hidrômetros, redutor de pressão nas torneiras, controle de vazamentos e troca de encanamentos.

Em linhas gerais, o projeto sensibilizou 376 mil pessoas diretamente e, indiretamente, mais de um milhão. Nas 22 unidades implantadas, houve redução de consumo 98 milhões de litros. Em termos práticos, se uma pessoa consome 200 litros/dia (dados Sabesp), a redução daria para abastecer 338 famílias (4 pessoas) durante um ano.

De Jundiaí, destacam-se as seguintes ações de sensibilização:

  • Formação de grupo gestor,
  • Palestras, vídeos e exposição,
  • Visitas às estações de tratamento de água e esgoto e nos rios que abastecem o município: Rio Jundiaí-Mirim (responsável por 95% do abastecimento da cidade), Córrego do Moisés, Rio Atibaia (reversão sazonal) e Ribeirão da Ermida.Já as ações tecnológicas que ajudaram na redução são: colocação de temporizadores nos chuveiros, aspersores e mudança nas estratégias de limpeza e irrigação das áreas verdes, válvulas de acionamento a pedal nas cozinhas e nos consultórios.


Cases de sucesso

Nurian Tarcila Feliciano, diretora da Opersan Resídulos Industriais Sociedade Ltda. (Jundiaí), apresentou o primeiro case, intitulado Reúso de Água na Indústria: Estudo de Caso da Central de Tratamento da água da Opersan.

Vencedor do 3º Prêmio Fiesp de Conservação e Reúso de Água (2008), o projeto visa economizar recursos naturais não renováveis e reduzir a geração de afluentes. Quarenta e sete por cento do consumo mensal de água na CTO é de origem de reúso, resultado obtido graças a três ações tomadas pela empresa: conscientização ambiental e treinamento dos funcionários e colaboradores, melhorias no processo de produção e implementação de projetos de reuso da água.

Houve, ainda, significativa redução de 63% no consumo de água proveniente de poço artesiano (de 219 mil litros – média mensal antes da implantação dos projetos de reúso e conscientização – para 81 mil litros). Em fevereiro deste ano, o consumo de água do poço artesiano estava em 17 mil litros, o menor consumo histórico. E, por fim, caiu em 7% a geração de efluentes no volume lançado na rede coletora de esgoto.

Marcelo de Oliveira Beleboni, químico industrial da Autopeças Rei (Ribeirão Preto), fechou o ciclo de explanações com o projeto Àguas de Março, vencedor do Prêmio Sesi de Qualidade no Trabalho (PSQT 2008).

A ideia era reduzir os impactos ambientais da empresa com uma gestação socioambiental que atenda às legislações vigentes. Proposta: enfatizar o tratamento e reutilização de água, tendo como fonte um poço artesiano utilizado pela indústria na produção e uso em geral.

Depois de conscientizar os funcionários e instalar redutores de pressão nas torneiras e hidrômetros por departamentos, os resultados alcançaram redução de consumo de 30% a cada um minuto.