Geopolítica energética está na pauta do 13º Encontro Internacional de Energia da Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A relação de países quanto ao planejamento estratégico será um dos focos de discussões entre empresários e autoridades no 13º Encontro Internacional de Energia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), evento que será realizado nos dias 6 e 7 de agosto, no Hotel Unique, na capital paulista. Com seis temas centrais, o encontro propõe o tema “Geopolítica Energética”, com debates sobre a energia no contexto da economia sustentável, visão estratégica e diálogo entre os mercados.

“No capítulo geopolítica energética nós não falamos exclusivamente de planejamento energético no Brasil, mas retomamos no encontro todas as discussões sobre energia e emissões de gases efeito estufa e seus efeitos na mudança do clima”, destaca Carlos Cavalcanti, diretor-titular do Departamento de Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp.

Cavalcanti antecipa que no centro das discussões do evento estará o papel da hidroeletricidade como fonte de energia mais competitiva e de menor emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) no mundo.

Segundo levantamento da Agência Internacional de Energia (AIE), dois terços (66%) das emissões mundiais de GEE derivam da produção de energia. O estudo aponta ainda que o Brasil – que figura na lista das maiores economias do mundo – tem a matriz energética mais limpa, com 47% de utilização de fontes renováveis e de baixa emissão de GEE.

No Brasil, a hidroeletricidade predomina com 84%. E a Fiesp defende que os recursos hídricos disponíveis não só no país, mas no mundo, devem ser aproveitados por meio da construção de usinas hidrelétricas, já que o nível de emissão de GEE é baixo, cerca de 6 kg de CO2e/MWh contra 878 kg de CO2e/MWh gerados pela produção de eletricidade a partir do carvão mineral.

Preço da tarifa

O preço da tarifa de energia está entre os problemas do setor de energia em pauta no encontro da Fiesp, segundo Carlos Cavalcanti. “Para dar um exemplo, o governo desonerou o imposto para não subir o preço da gasolina. É isso que eles têm de fazer com a energia elétrica”, disse o diretor do Deinfra/Fiesp sobre a decisão do governo, no mês passado, de zerar a alíquota da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (Cide) para manter o preço do combustível que chega ao consumidor final.

Serviço
13º Encontro Internacional de Energia da Fiesp
Data/horário: 6 e 7 de agosto de 2012, das 8h30 às 18h
Local: Centro de Convenções do Hotel Unique
Endereço: Av. Brigadeiro Luis Antonio, 4.700, Jardim Paulista, capital
Veja a programação no site: http://www.fiesp.com.br/agenda/encontro-energia/