Em Campinas, Skaf exalta importância do jovem empreendedor para o Brasil

Odair Souza, Agência Ciesp de Notícias

Cerca de 250 pessoas participaram na manhã desta quinta-feira (30/08), em Campinas, da abertura do IX Encontro Jovem Empreendedor, realizado pelo Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

Paulo Skaf em Encontro Jovem Empreendedor Campinas.

 

O encontro, que reuniu jovens empreendedores de Campinas e região e dos 29 núcleos regionais do NJE, contou também com a participação de personalidades da área empresarial e política, como o presidente  da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp),  Paulo Skaf, e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, José Afonso Bitencourt, entre outros.

Com o tema central Caminhos para o Crescimento, o evento apresentou os painéis complementares Caminhos da Educação, Oportunidades de Negócios para a Copa 2014 e Olimpíadas 2016. No período da tarde, os participantes acompanharão cases como História empreendedora, Novos modelos de negócios e Motivação e trabalho em equipe.

O presidente do Ciesp e da Fiesp, Paulo Skaf, considerou o envolvimento da juventude em ações proativas como “um espírito voltado para a geração de riquezas, de empregos e tudo o que é bom para a sociedade e o País”.

Skaf destacou o trabalho realizado pelos milhares de jovens membros dos NJE, do Ciesp, e do CJE, da Fiesp. “Esse engajamento demonstra a preocupação deles com empreendedorismo, com a educação e o bem-estar das pessoas”.

Condições para o Brasil crescer

Antes da abertura, o presidente do Ciesp e da Fiesp enfatizou as ações do empresariado na busca da competitividade do País e voltou a cobrar isonomia para que o setor produtivo brasileiro vença o desafio de competir em igualdades de condições no mercado global. Segundo ele, o grande desafio para alcançar essa meta é a diminuição dos custos de produção.

Em entrevista à imprensa, Paulo Skaf afirmou que os empresários continuam em “campanha” pela queda no preço da energia elétrica, do gás, dos juros, pela melhoria logística e da infraestrutura em aeroportos, portos, estradas e ferrovias. “Competitividade do País, é isso que vamos discutir aqui”, completou Skaf.

Nesta manhã, o presidente do Ciesp e da Fiesp, Paulo Skaf, voltou a comentar a queda da taxa Selic, para 7,5% aa, anunciada ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. “Há espaço para baixar mais. A taxa Selic pode ficar próxima à inflação que está projetada entre 4,5% e 5%.”

Na visão de Skaf, um patamar de 5% na taxa é bom para o brasileiro, para a indústria e para o governo, que terá seus gastos públicos diminuídos. Ele lembra que em 2011 o governo federal gastou quase R$ 180 bilhões com pagamento de juros. “É muito mais do que se investe em saúde e educação”, completou.