Do café ao contrato: Fiesp é cenário de networking para empresários de todas as áreas

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O primeiro contrato fechado foi por indicação da Fiesp. Assim como as primeiras entrevistas foram concedidas após a participação na sétima edição do Acelera Startup, em novembro de 2015. Trata-se de um concurso de empreendedorismo promovido pela federação com o objetivo de aproximar empresas de investidores. Por essas e outras, quando perguntado sobre o impacto do apoio da indústria paulista à sua startup, o empresário Marcio Torres, da Opa!, responde com um “você não faz ideia”, destacando a força do networking feito no prédio em formato de pirâmide na Avenida Paulista.

“Temos vários clientes por conta dos contatos que fizemos aí”, diz Torres, que foi finalista da edição do Acelera da qual participou. “Com a Fiesp referendando o nosso trabalho, tivemos acesso a muitas empresas da rede de ensino privado até do Rio de Janeiro, onde estamos baseados”.

Assim, a estimativa do empreendedor é de que 20% dos contratos que a Opa! tem hoje são fruto do networking feito durante e depois do concurso. A empresa desenvolveu um aplicativo de controle da frequência escolar de alunos que dispensa a realização das chamadas em sala, economizando tempo dos professores e fazendo contato com os estudantes faltosos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

O Acelera Startup: concurso de empreendedorismo e muito networking. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Assim como Torres, são muitos os empresários que acreditam nas oportunidades oferecidas em encontros, palestras, congressos, workshops, seminários, cafés e almoços. Nos intervalos, nenhuma troca de cartões é em vão.

“Os congressos organizados pela Fiesp com o objetivo de apresentar estratégias e perspectivas para os setores sempre oferecem espaço para compartilhamento de experiências e networking”, afirma a empresária Lolita Hannud, proprietária da grife de moda feminina Lolitta. “O Acelera Startup, que eu acompanho e acho muito bacana, é considerado o evento com a maior bancada de investidores da América Latina”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

Lolita: sempre há espaço para compartilhar experiências. Foto: João Wainer

Questão de convivência

Veterano dos eventos e reuniões da Fiesp, o diretor titular adjunto do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da entidade Luiz Eulalio de Moraes Terra conta que o mais importante “é o convívio, ter a oportunidade de conversar com outros empresários”.

“No Deconcic existe todo um trabalho de aproximar a cadeia do setor”, diz. “Conversando, abrimos caminhos e conhecemos novos empreendedores e até autoridades da área, a Fiesp promove essa integração”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

Terra: “Conversando, abrimos caminhos e conhecemos novos empreendedores”. Foto: Arquivo Pessoal

Fiesp assina convênio com Portugal para estimular internacionalização de startups

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, e o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, assinaram nesta quarta-feira (16/11) memorando de entendimento para o fomento ao intercâmbio para internacionalização de empresas nascentes de base tecnológica (startups). O documento foi firmado na sede da Fiesp, em cerimônia com a participação também do ministro da Ciência e Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab.

Skaf destacou a importância do empreendedorismo para o Brasil, o que a Fiesp estimula, por exemplo, com o Concurso Acelera Startup. Ele espera ver nas próximas edições a participação de empresas portuguesas no evento.

A ideia do convênio é abrir espaço para startups brasileiras em Portugal e para empresas portuguesas no Brasil. Cabral destacou que os dois países querem promover o empreendedorismo e incentivar as empresas inovadoras. “Para isso é preciso fazer essa ponte entre as instituições onde há empresa inovadoras”, disse, lembrando que a Fiesp é exemplo nesse campo e tem trabalho muito interessante com startups. O Acelera, promovido pela Fiesp, é um dos exemplos em que se pode concretizar o convênio, com a participação de empresas portuguesas, explicou o ministro. “Temos que selecionar empresas portuguesas com soluções interessantes para participar do Acelera.”

Cabral disse que um dos passos para a aproximação mútua é a divulgação em Portugal do Acelera. “Da mesma forma se pode fazer o sentido contrário, do Brasil para Portugal.” Empresas de aplicativos com sucesso em Portugal poderiam aproveitar, com facilidade de adaptação, o enorme mercado brasileiro. E para as startups brasileiras, Portugal poderia oferecer a facilidade de tradução para os vários idiomas do mercado europeu.

Outro passo é ver como possibilitar a reciprocidade no uso das incubadoras em ambos países. E também é importante, disse o ministro, tentar reciprocidade também em fundos e outros recursos financeiros para o desenvolvimento das startups. A meta, explicou, é que Portugal trate as startups brasileiras como se fosse empresas portuguesas e vice-versa. Para isso, no caso de Portugal, não é preciso mudar a legislação, bastando alterar a formatação de fundos.

O ministro da Economia de Portugal ressaltou também que há ainda muito espaço a explorar em relação às pequenas e médias empresas e em termos também de cooperação científica e tecnológica.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

Cabral, Skaf e Kassab com o memorando que visa ao fomento de startups. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Empreendedores internacionais tiram as dúvidas de participantes da 9ª edição do Concurso Acelera Startup da Fiesp

 Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp 

O mundo é o limite. Novidade desta 9ª edição do Concurso Acelera Startup da Fiesp, de incentivo ao empreendedorismo, a mentoria internacional atraiu muitos participantes da iniciativa na tarde desta segunda-feira (07/08). Os interessados receberam dicas de empresários e especialistas do Vale do Silício, nos Estados Unidos, da Dinamarca e de Israel. Para tanto, foram instaladas quatro cabines de teleconferência, com 15 minutos de conversa liberados por vez. Organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF), o evento vai até esta terça-feira (08/11), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na capital paulista.

“Perguntei como o nosso aplicativo seria aceito fora do Brasil ao consultor dinamarquês”, conta Eduardo Voegel, da Light Lemon e à frente do projeto Eleven.

Do que se trata? De um aplicativo que transforma o movimento de seus usuários em doações para instituições de caridade. “Passei três meses correndo dez quilômetros por dia porque precisava emagrecer 33 quilos por questões de saúde”, diz. “E comecei a pensar em por que não transformar aquele esforço em algo que pudesse ajudar os outros”.

Assim, basta que os interessados se cadastrem façam login com suas redes sociais e comecem a contar seus passos e movimentos a pé. Depois de determinado grau de movimento, são atingidos os pontos para a doação para a causa escolhida, feita por empresas participantes do projeto. “Já estamos fechando acordo com uma grande rede de supermercados para ser patrocinadora da iniciativa”, diz Voegel.

O projeto recebeu Menção Honrosa (Escolha dos Investidores) na última edição do Hackathon, maratona de desenvolvimento de aplicativos realizada na Fiesp em outubro.

Nesse sentido, o papo de Voegel com o dinamarquês Martin Justesen, gestor e fundador da Sund Innovation, hub da Universidade de Copenhagen, o ajudou a ver que a iniciativa teria espaço no exterior. “Mesmo nos países ricos que não enfrentam os mesmos problemas do Brasil há disposição em colaborar com causas como a dos refugiados ou com o combate à fome na África”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

As cabines de mentoria internacional do Acelera: orientações variadas sobre negócios. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Também em busca de informações sobre o potencial da sua ideia fora do Brasil, Adalberto Silvestre, do aplicativo Lar Digital, de soluções para vendas online de empresas de itens para casa e construção, saiu animado da conversa com o diretor de Soluções WorldWide da ECI Telecom, de Israel, Marco Berger. “Queria ouvir alguém de Israel porque sei que lá as empresas têm muito foco internacional, pelo fato de o mercado interno ser pequeno”, disse Silvestre. “Tive uma ótima orientação sobre direcionamento de mercado”.

Pagamentos online e aprovação

Outro participante do Acelera que conversou com o israelense foi Felipe Hideki, criador do projeto Meu Primeiro Livrinho. Trata-se de uma startup que visa incentivar a leitura a partir da produção de livros totalmente customizados para crianças. “Esse é o primeiro Acelera de que participo, o evento é muito bem estruturado”, disse Hideki. “Com o Berger, tive boas orientações sobre pagamentos online e formas de aprovação dos livros junto aos clientes”.

No caso de Giovanna Borini, da startup Grautec, de pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de extração de componentes a partir de resíduos, as boas orientações irão além da mentoria internacional oferecida pelo Acelera. A empresa de Giovanna trabalha com soluções como o uso de elementos do bagaço da cana que sirvam como fonte de fibras para outros produtos. “Conversei com o dinamarquês Justesen, que me deixou o seu e-mail e se colocou à disposição para ajudar mais”.

Para o diretor titular do CAF, Sylvio Gomide, esse contato com empreendedores internacionais é uma boa oportunidade para que os participantes do Acelera respirem outros ares. “É bom respirar um pouco do ar do Vale do Silício aqui”, disse. “E uma excelente oportunidade de tirar dúvidas e alavancar negócios”.

A disputa

O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores. Participam projetos ou empresas, tanto pré-operacionais (sem faturamento) quanto operacionais (que já tenham faturamento), nas categorias geral; esporte; negócio social; realidade virtual e games.

O evento conta ainda com palestras sobre inovação, investimento e empreendedorismo e acompanhar as apresentações dos pitches (apresentações) dos finalistas à banca de investidores mais seleta do mercado. Para os 300 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação haverá dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias.

Os dez mais bem avaliados (sendo seis operacionais e quatro pré-operacionais) chegarão como finalistas do evento, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (com duração de até três minutos), à banca de investidores. Dois deles serão os vencedores, sendo um operacional e outro pré-operacional, independentemente da categoria. Serão premiados projetos e empresas inovadoras tanto em fase pré-operacional quanto operacional.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 300 mentores e mais de 250 investidores. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Para saber mais sobre a iniciativa, só clicar aqui

Consultoria para formar empreendedores de sucesso no Acelera Startup

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Não tem cara feia na fila para entrar na área em que estão os consultores (mentores). Pelo contrário: o clima é de expectativa e animação. Inscritos na oitava edição do Concurso Acelera Startup, de empreendedorismo, os participantes esperavam, na tarde desta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, em São Paulo, a sua vez de tirar dúvidas com especialistas de áreas como marketing, finanças, investimentos e direito, entre outras. O trabalho de mentoria é parte da competição organizada pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF). O evento termina no final desta quarta-feira (06/07), quando serão divulgados os nomes dos dois vencedores.

“O Acelera reúne muita gente do mercado, com empresas grandes envolvidas”, afirmou Carlos Batista, participante do concurso com a sua Easetask, empresa em fase de projeto. O negócio consiste na oferta de serviços de assistência pessoal como marcar médico, pesquisar preços e até comprar flores se for preciso.

Com os mentores, o empreendedor conversaria sobre contratos e inovação.

Com empresa aberta há sete meses, a sua Vivalá, de turismo de experiência para o mercado corporativo e pessoas físicas, Daniel Cabrera esperava a sua vez de falar com os consultores sobre investimentos e direito tributário.

“Estamos num momento de captação de investimentos e queremos expor o nosso projeto para mais pessoas”, explicou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

Cabrera: empresa aberta há sete meses e foco nos contatos com investidores. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Também interessado em apresentar a sua ideia, Daniel Araújo, responsável pela Be Visto, plataforma de conteúdo gratuito e colaborativo na internet, queria tirar dúvidas sobre o chamado “pitch”, apresentação curta, em poucos minutos, do negócio.

“Queremos conseguir investidores para a nossa ideia, preciso aprimorar essa parte de como me preparar para vender o projeto”, afirmou.

Vindo direto de Curitiba, no Paraná, com o mesmo objetivo dos demais participantes que a acompanhavam na fila, Luciana Penante também queria falar sobre o pitch com os mentores.

Seu projeto, o Leia.me, consiste numa rede social para escritores, um espaço para a publicação de textos literários. “Quero elaborar melhorar o modelo de negócios”, disse ela, que ficou sabendo do Acelera pela internet e por indicação de amigos que já conheciam a fama da competição, a maior do Brasil em empreendedorismo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251545

Luciana: direto de Curitiba para o Acelera e interessada em elaborar melhor seu modelo de negócios. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Confira a programação completa do Acelera na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo

Acelera Startup: maior concurso de empreendedorismo do Brasil oferece oportunidades na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

É uma questão de oportunidade. De aproveitar todas as chances até a tarde desta quarta-feira (06/07). Isso porque foi aberta, na manhã desta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, em São Paulo, a 8ª edição do Concurso Acelera Startup, de empreendedorismo. Organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF), o evento vai escolher dois vencedores entre os 250 participantes. Além da disputa em si, serão oferecidas palestras, consultorias e serviços de orientação para os empreendedores.

“É importante investir em relacionamento”, disse o diretor-titular do CAF, Sylvio Gomide. “Em ocasiões assim é possível ouvir uma dica que pode transformar o seu negócio”.

Segundo o membro do CAF Renê Rodrigues, também presente à cerimônia de abertura do Acelera, o concurso é um “tumulto organizado” e repleto de oportunidades. “Temos mentorias sobre marketing, assuntos jurídicos e financeiros, por exemplo”, explicou. “É só escolher a sua dúvida”.

Celeiro de empreendedores, a competição é palco de muitas histórias de persistência. “Temos o caso de um empreendedor que venceu em sua terceira participação no Acelera”, afirmou o membro do CAF Bruno Ghizoni. “Uma força de vontade que é fundamental para o empreendedor”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

A abertura do Acelera na manhã desta terça-feira (05/07): palestras, consultoria e muitas oportunidades. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Na manhã desta terça-feira (05/07), foram apresentados painéis de debates sobre sistemas de financiamento, comunicação e inovação. A tarde será dedicada às mentorias (orientações personalizadas) para os participantes do concurso.

Os vencedores serão anunciados no final desta quarta-feira (06/07).

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 400 mentores e mais de 250 investidores, sendo anjos, representantes de fundos de investimentos e empresas que trabalham com inovação aberta. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Confira a programação completa na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo


Vencedores do Acelera Startup comemoram expansão e reconhecimento do mercado

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A vida deles nunca mais foi a mesma. E o que importa: mudou para melhor depois que eles decidiram se inscrever no Concurso Acelera Startup, maior competição de empreendedores do Brasil, organizada pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF) desde 2012. Vencedores na disputa, viram seus negócios deslancharem e suas redes de contatos cresceram numa velocidade jamais imaginada antes. E estimulam todos os interessados em empreender a fazerem o mesmo. A oitava edição do evento começa nesta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, na capital paulista, se encerrando na quarta (06/07), com a divulgação dos resultados.

Além de incentivar o empreendedorismo, o Acelera Startup aproxima projetos e empresas de investidores.

“Não tivemos crise em 2016”, conta Valmir Valverde Júnior, da Carrega +, que fornece carregadores portáteis de celulares e tablets para eventos e empresas. O empresário ficou em segundo lugar na quarta edição do Acelera, em 2014. “Crescemos mais de 300% ao ano desde que participamos do concurso”.

Hoje membro do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, Júnior diz que o maior ganho foi o reconhecimento trazido pela conquista. “O mercado passou a nos respeitar”, conta.

Além de fornecer os carregadores para eventos, a Carrega + ainda disponibiliza esses objetos para estabelecimentos como restaurantes, vendendo espaço publicitário nas peças, atividade que já responde por 80% do faturamento da empresa.

Não menos animado, Sergio de Andrade Coutinho Filho, da Sayou, de tecnologia de capina elétrica, diz que o primeiro lugar na 3ª edição do Acelera, em 2013, “abriu uma nova rede de contatos e despertou o interesse dos investidores”.

Nesse embalo, a linha de produtos da empresa cresceu e hoje tem produtos de capina elétrica para os mercados agrícola, urbano e florestal, com o lançamento de opções para uso residencial no varejo em 2017.

“O Acelera é uma das melhores iniciativas de empreendedorismo existentes no Brasil hoje”, diz. “Crescemos 100% ao ano, sou muito grato à Fiesp”.

Quase um noivado

Campeão na categoria Energia na 6ª edição do evento, em 2015, o responsável pela área de Investimentos da Somatec, Paulo Morais, diz que a vitória acabou com o “ceticismo de mercado” em relação aos produtos da marca. O carro-chefe da linha da empresa é o retentor eletromagnético, que ajuda as indústrias a consumirem menos energia, entre outros benefícios.

“Existimos desde 1999, mas foi só depois do concurso que nos tornamos conhecidos e reconhecidos”, explica ele. “Agora crescemos 80% ao ano”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

Morais, da Somatec: “Só depois do concurso nos tornamos conhecidos e reconhecidos”. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Com mais de 2 mil equipamentos instalados em indústrias de todo o país, a Somatec está em fase de negociação com alguns investidores. “Passamos a ser procurados e ouvimos algumas propostas”, conta. “Posso dizer que estamos namorando sério e caminhando para um noivado”, brinca.

Por isso, a gratidão com a disputa de empreendedores promovida pelo CAF é eterna. “O Acelera é um dos eventos mais importantes do Brasil e da América Latina na área, tem um peso imenso”.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 400 mentores e mais de 250 investidores, sendo anjos, representantes de fundos de investimentos e empresas que trabalham com inovação aberta. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Confira a programação completa na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo

Sesi-SP promove concurso Acelera – Jovens em Ação para alunos do ensino médio da rede

Agência Indusnet Fiesp,

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) promove, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e o Sebrae-SP, a segunda edição do concurso “Acelera – Jovens em Ação”, inspirado na temática “Sesi-SP contribuindo para o legado social e empreendedor dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”.

Destinado a alunos do ensino médio matriculados na rede do Sesi-SP, o concurso prevê a elaboração de um projeto com foco nas áreas de desenvolvimento do produto e evento esportivo. O objetivo da iniciativa é promover ações que fomentem, entre o público juvenil, o empreendedorismo, o protagonismo e a interação de competências. Os projetos devem mobilizar e estimular a comunidade a conhecer a importância da prática de atividade e do esporte, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.

Para participar, os alunos devem montar equipes mistas, compostas por no mínimo dois estudantes e no máximo oito. A participação é gratuita e os alunos interessados deverão procurar a direção de suas escolas para obter detalhes de como participar.

No ato da inscrição, a equipe deve selecionar qual a temática do trabalho, segundo as seguintes categorias: produto com foco em performance esportiva; produto associado a um software (APP); evento associado à inclusão social; e evento associado à promoção da cultura esportiva. Os projetos vencedores na linha de eventos serão subsidiados pelo Sesi-SP e deverão ser realizados nos meses de novembro e dezembro.

Serão avaliados os seguintes critérios para a seleção dos trabalhos: apresentação do projeto, características empreendedoras da equipe; e descrição e clareza das informações apresentadas em cada um dos itens do projeto.

Todas as escolas da rede receberam treinamento e capacitaram um tutor para acompanhar os projetos inscritos. As equipes participantes também poderão realizar um curso on-line do Sebrae. As informações detalhadas estão disponíveis com os tutores de cada escola.

Serão feitas seletivas locais e regionais. A última fase será a estadual, a ser realizada na capital paulista. A previsão é reunir até 52 projetos na final, que passarão pelo crivo de uma banca de investidores e empresários. Os melhores projetos serão convidados a continuar suas ações para estimular os alunos a desenvolver seu próprio negócio.

Clique aqui para saber mais sobre o concurso.

Vencedores do Acelera Startup são anunciados na Fiesp

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Foram anunciados nesta quarta-feira (17/6) os vencedores da 6ª edição do  Acelera Startup, concurso organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF) da entidade. Neste ano, o Acelera Startup foi segmentado em três categorias: Água, Energia e Segurança. E teve a participação de cerca de 1200 empreendedores.

Sylvio Gomide, diretor titular do CAF, comentou que a inscrição para o concurso já não é simples desde o começo, com a intenção de selecionar os melhores disputadores. “Não adianta ter apenas uma ideia, esse não é o público para estar conosco. Para estar aqui tem que correr atrás, assim como vocês fizeram”, explicou Gomide.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

Leonardo Mendes Nogueira (terceiro da esq. para dir.), vencedor na categoria Segurança. Foto: Everton Amaro/Fiesp


A pedido do presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, o diretor adiantou que as próximas edições do Acelera devem abranger mais as regiões no interior paulista, com o apoio do Núcleo dos Jovens Empreendedores (NJE). “Temos mais de 10 estados que participam do evento, mas queremos dar uma atenção especial às regionais do Ciesp. Vamos ampliar o acesso para o Acelera, com mais visibilidade de parceiros, levando a mesma metodologia para essas cidades”, disse Gomide.

Premiados

Vencedor na categoria Energia, Paulo Morais, da empresa Somatec Blocking: Retentores Eletromagnéticos, agradeceu pela paciência de cada investidor e pelo amplo aprendizado do concurso. “O sucesso do evento está dentro da grandeza da casa, dessa iniciativa e de todos os que participaram. Por isso é uma honra representar essa geração de empreendedores como essa”, disse Morais.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

Paulo Moraes (segundo da esq. para dir.) vencedor na categoria Energia. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Na categoria Segurança, Leonardo Mendes Nogueira, da Altave, foi o vencedor. “São quatro anos de suor nesse projeto que acreditamos muito. Queremos ser uma empresa nacional, mas com sucesso internacional, para colocar a marca made in Brazil lá fora”, afirmou.

Para Sylvio Gomide, a categoria Água é de interesse geral devido às dificuldades que São Paulo tem enfrentado nos últimos meses, e projetos inovadores no setor são de extrema importância. O vencedor nessa categoria foi Ricardo Azevedo, da empresa Ectas. “Eu entrei no empreendedorismo porque quero um país melhor e, por isso, vamos em frente com esses projetos”.

Conheça as iniciativas

Energia  – Somatec Blocking

O retentor eletromagnético Somatec Blocking é uma tecnologia nacional que garante a redução do consumo de energia através, entre outras coisas, da eliminação dos efeitos das elevações de tensão e dos efeitos das descargas atmosféricas. Além da redução do consumo de energia, há uma ampliação da vida útil dos equipamentos elétricos e eletrônicos.

Água – Ectas 

A Ectas tem projetos em reúso de água, com estações ultra-compactas de alta-performance que tratam a água de chuva e de esgoto e distribuem para residências e pequenos negócios.

Segurança – Altave

A empresa desenvolve tecnologias aeronáuticas, em especial plataformas mais leves do que ar. Em 2012 a empresa lançou o Altave Horizonte, balão cativo para videomonitoramento e o Altave Cob, focado em telecomunicações. Depois de testes com o Batalhão de Operações Especiais (Bope)  e com o  Exército no Rio de Janeiro,  São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais, a Altave foi selecionada para oferecer seu mais novo modelo, o Altave Omni, para a segurança das Olimpíadas 2016, no Rio, superando soluções estrangeiras.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

Ricardo Azevedo (terceiro da esq. para dir.) venceu na categoria Água. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Formalização

O membro do CAF da Fiesp, Marcos Lorençani, informou que 50% de todos os inscritos no Acelera Startup possuíam CNPJ e os outros 49%, não, o que mostra que o número de formalização das startups aumentou nos últimos anos.

“Antes, o percentual era bem mais baixo. Isso nos deixa feliz”, comentou.


O Brasil que funciona é o que está no Acelera, diz Skaf

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, abriu nesta terça-feira (16/6) a 6ª edição do Concurso Acelera Startup. Skaf elogiou a “energia de fazer, de construir coisas boas” dos participantes do Acelera, envolvidos em novas ideias e novos projetos. Segundo Skaf, o concurso é um intervalo no meio do atual momento de dificuldades no Brasil, “com crise econômica, com crise política, com crise moral, com crise de vergonha na cara”.

“O país precisa de pessoas como vocês”, disse, em referência a todos os participantes, incluindo as mentoras e mentores. Skaf considera o Acelera um exemplo do Brasil que funciona. “Este Brasil de guerreiras, de guerreiros, que trabalham no dia a dia, em suas empresas, microempresas, os microempreendedores individuais, os microempreendedores, uma média empresa, uma grande empresa, profissionais, gente da agricultura, do comércio, da criação, da inovação”, afirmou. “Isso tudo é o Brasil que funciona.”

Skaf criticou a “turminha, que é aquele Brasil que não funciona direito, que atrapalha a vida de todo mundo”, preocupada apenas em arrecadar impostos. “Por isso sou muito contra o aumento de impostos, porque vai lá, mete a mão no bolso e arranca quase 40% – até mais, porque as pessoas acabam tendo que pagar para ter educação, saúde e segurança, por falta de eficiência da gestão pública.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251546

Paulo Skaf abre o Concurso Acelera Startup, organizado pela Fiesp. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


O presidente da Fiesp e do Ciesp lamentou não poder acompanhar ao vivo o anúncio dos vencedores, por ter que viajar para Brasília. “Por que tenho que estar em Brasília? Para segurar, para não aumentarem mais impostos.”

“Lamentavelmente, num país que arrecada R$ 2 trilhões em impostos, só se ouve falar que faltam recursos”, afirmou. “Não tem dinheiro para saúde, não tem dinheiro para educação, não tem dinheiro para segurança, não tem dinheiro para infraestrutura. E o que faz com o dinheiro, faz malfeito. Temos escolas em que as crianças não aprendem.”

Água, energia e segurança

Skaf aprovou a escolha dos temas segurança, água e energia. “Para saber se um país é competitivo ou não, vá saber o custo da energia”, disse. “No Brasil, temos geração com predomínio da hidroelétrica, o que é bastante competitivo e é limpo, mas nos últimos 2 anos tivemos que usar nossas térmicas, devido à falta de chuva, e aí onerou o preço de energia, e nesse momento, apesar de termos a geração mais barata e competitiva, temos os preços mais altos de energia.”

Presidente também do Sebrae-SP, Skaf pediu que a entidade apoie os 250 finalistas. A ideia é que eles passem por um processo de capacitação e gestão de suas empresas. “Amanhã, no encerramento, já pode ser anunciado como fica o canal com o Sebrae para os 250 finalistas”, afirmou.

Skaf foi muito aplaudido ao anunciar que, no almoço para o qual convidará os finalistas e potenciais investidores, quer “ver os investidores assinarem o cheque”.

“A coisa não termina amanhã”, disse Skaf, graças às condições criadas pelo CAF para aproximar investidores e empresas. Também os mentores, voluntários, continuam em contato com os participantes.

Skaf encerrou sua fala dizendo que ficará muito feliz se os 250 projetos finalistas se transformarem “em negócios que deem certo, que empreguem, que gerem riqueza e que estimulem as pessoas no caminho do trabalho, do desenvolvimento e, acima de tudo, do empreendedorismo”.

Promovido pela Fiesp, o Concurso Acelera Startup é o maior evento de investimento-anjo da América Latina e tem como objetivo fomentar o empreendedorismo, além de integrar as necessidades e as expectativas dos empreendedores e dos investidores interessados em investir em projetos e/ou empresas inovadoras.

‘Leve seu discurso vencedor com um brilho nos olhos’, diz 3º colocado do Acelera Startup

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Catapultado em seu projeto. Foi essa a sensação do engenheiro civil Rubens Benbassat, idealizador do Banheiro 360°, ao conquistar a terceira colocação no concurso Acelera Startup, promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), no começo de maio. Foi a primeira vez que ele participou de uma competição desse tipo.

De forma inovadora, o Banheiro 360° recria banheiros e espaços físicos em espaços compactos, como hotéis, feiras e navios.

Benbassat: terceiro lugar em sua primeira disputa num concurso de empreendedorismo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Benbassat: terceiro lugar em sua primeira disputa num concurso de empreendedorismo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Para Benbassat, em um ambiente de obstáculos para o empreendedor brasileiro, o que faz realmente a diferença é a persistência, a determinação e a vontade de realizar seus sonhos.

Confira abaixo a entrevista completa.

Fiesp – Seu projeto ficou entre os três melhores do concurso Acelera Startup, realizado em maio. Para você, como empreendedor, o que essa conquista representa?

Benbassat – Representa um passo importante no caminho da concretização do projeto. Ainda terei muitos obstáculos pela frente, mas me sinto catapultado pelo terceiro lugar. Que venham outros desafios e oportunidades para ultrapassarmos.

Qual a sua avaliação sobre o atual estágio da cultura empreendedora brasileira?

Estamos ainda longe do ponto ideal, mas, nos últimos anos, percebo que surgiram muitos projetos, incentivos e oportunidades para alavancar de forma consistente a criação de negócios inovadores.

 Você esperava que seu projeto conquistasse a colocação que conseguiu?

Não tão rápido. Foi a primeira vez que eu “publiquei” o projeto Banheiro 360°. Mas, como sei do potencial do produto, vejo agora que mereci o reconhecimento dos investidores. Comentava com colegas no almoço do segundo dia do Acelera, após apresentar a ideia aos investidores, que já estava satisfeito até então com as orientações dos mentores e por assistir às palestras de investidores e empreendedores consolidados.

 Qual foi sua inspiração para criar o Banheiro 360º?

Há alguns anos, estudando sobre sustentabilidade e observando a construção dos banheiros, tive esta inspiração. Veio num insight ao enxergar as coisas com um outro olhar. Foi totalmente inovador pois nunca se executou um banheiro distribuído desta forma: uma peça sobre a outra girando em painéis conforme a escolha do usuário.

 Quais são, na sua opinião, as maiores dificuldades do empreendedor brasileiro?

Sabemos que temos cada vez mais capital disponível, mas falta uma estrada lisa para caminhar. Em vez disso, temos um “atoleiro” cheio de obstáculos burocráticos. Assim, deixamos de evoluir com facilidade e corremos muito mais riscos. Isso demanda muito mais energia e esforço do empreendedor brasileiro em comparação com os estrangeiros. Fora isso, os altos impostos e a deficiência na nossa educação não criam um ambiente adequado.

Que dica você diria para um empreendedor que gostaria de seguir seus passos?

Acredite, acredite e acredite. Esteja sempre antenado nas oportunidades de programas de startups quando elas estiverem acontecendo. Persista e insista. Além disso, prepare-se com uma apresentação bem convincente, clara e objetiva, bem montada com slides na forma de uma história. Depois de treinar e ensaiar bastante leve seu discurso vencedor com um brilho nos olhos. Venda a sua ideia e convença o investidor.

‘Desenhe um caminho executável e siga nele até o fim’, diz vencedor do Acelera Startup

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Ele não acreditava que poderia vencer a edição de 2014 do Acelera Startup, concurso promovido em maio pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).  Mas o empreendedor Murilo Canova Zeschau, diretor geral da empresa incubada Brastax Tecnologias de Saneamento com Microalgas, superou não apenas sua própria expectativa como outros 150 projetos inscritos para conquistar o primeiro lugar na competição.

O projeto idealizado pelo jovem empreendedor e por outros três oceanógrafos de Santa Catarina desenvolve tecnologias sustentáveis de saneamento para tratamento de efluentes gerados durante o abate de aves. O processo proposto inova nos métodos de saneamento, garantindo a purificação do efluente, além de gerar economia de água.

Com a ideia, os quatro estudantes esperam neutralizar os volumes gerados dos efluentes líquidos originados no processo industrial do abate.

Zeschau: cultura empreendedora começa a crescer no Brasil. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Zeschau: cultura empreendedora começa a crescer no Brasil. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Após quase três meses da conquista, Zeschau, para quem a cultura empreendedora brasileira começa a crescer, conta que o projeto já começa a atrair a atenção de clientes em todo o país.

Confira abaixo a entrevista completa com o vencedor do Acelera.

Fiesp – O que representou para você, como empreendedor, ter o seu projeto escolhido como o melhor no concurso Acelera Startup?

Zeschau – Primeiramente a satisfação pessoal de ter conquistado o primeiro lugar. Nada melhor do que se esforçar muito para atingir um objetivo e obter o máximo. Como empreendedor, ter sido vencedor do maior evento de investidores-anjo do Brasil faz você se sentir mais confiante no que diz respeito à apresentação do seu negócio, principalmente utilizando o modelo de “pitch” (apresentação rápida), algo tão difícil de produzir de maneira eficaz. Também foi possível estabelecer um networking amplo com atores importantes na cena startup, principalmente investidores e consultores de negócios.

Na sua opinião, qual o atual estágio da cultura empreendedora brasileira? Estamos muito atrás dos países mais desenvolvidos do mundo neste quesito?

Entendo que no Brasil estamos na fase de estruturação da cultura de ecossistema de startups, mais especificamente na fase exponencial de crescimento desta área, adotando algumas práticas que já dão certo em países mais desenvolvidos. Por exemplo, nos EUA a universidade e as empresas andam juntas. Aqui ainda temos um modelo de parceria que não é tão ligado. Mas os avanços estão ocorrendo de maneira muito rápida, e, ano a ano, podemos perceber principalmente um aumento no número de eventos ligados ao empreendedorismo. Também existe um aumento no número de instituições que apoiam o setor das startups, e com isso acabam por aparecer mais recursos para estas empresas nascentes.

Como o Acelera Startup ajuda pessoas inovadoras a transformarem suas ideias em algo real para o mercado?

O evento tem dimensão nacional, trazendo profissionais e empreendedores de diferentes estados para participar. Este encontro por consequência já faz com que sejam criadas parcerias e possíveis sociedades, sendo esse o principal objetivo do concurso. Desta forma, os projetos ou ideias que estão no concurso acabam por encontrar um caminho de viabilização para operar em pouco tempo, devido ao auxílio dos investidores. No mesmo sentido, o reconhecimento que o Acelera nos trouxe fez o projeto alcançar níveis nacionais que não esperávamos tão cedo. Por exemplo: um abatedouro de aves da Bahia entrou em contato conosco para entender melhor a nossa proposta, ou seja, já temos um potencial cliente.

Você esperava que seu projeto conquistasse a colocação que conseguiu?

Sinceramente, não. Nossa startup participou deste evento em 2013, e na ocasião, não ficamos nem entre os dez melhores projetos/ideias. Em 2014 estávamos mais estruturados em todos os sentidos técnicos e gerenciais, o estágio de maturação do projeto evoluiu muito em um ano. Com isso, estávamos mais confiantes, mas, mesmo assim, foi uma surpresa obter o primeiro lugar no Acelera Startup, considerando o alto nível de todos os projetos que estavam concorrendo, com empreendedores qualificados.

Que dica você daria para um empreendedor que gostaria de seguir seus passos?

Desde que iniciamos nosso projeto, em 2012, acabamos entrando em áreas específicas nas quais não somos especialistas. A equipe de sócios é formada por quatro oceanógrafos, com isso sempre tivemos que buscar entender assuntos fora da nossa área. Desta forma, deixo a mensagem para os empreendedores sempre buscarem derrubar barreiras imaginárias que criamos e que, na realidade, não existem. Se você quer algo, desenhe um caminho executável e siga nele até o fim, com muito esforço. Nossa equipe trabalha mais que 12 horas por dia, inclusive em alguns finais de semana e feriados. Acreditamos que isso realmente faz a diferença, então o conselho maior seria trabalhar muito.

Como foi a trajetória do projeto desenvolvido desde o primeiro dia até a vitória do concurso?

A Brastax iniciou suas atividades em 2012, a partir do sonho de quatro acadêmicos do curso de oceanografia de implementar a primeira fazenda de microalgas em escala comercial do Brasil. Com isso foi criado um grupo de estudos, com foco na produção de uma microalga em função do seu alto valor agregado e de suas diversas utilidades. Com o avanço nas pesquisas, foi identificado seu potencial como integrante de um sistema otimizado de biorremediação de ambientes poluídos e sua utilização para o melhoramento de carne de aves. Os esforços foram então direcionados para o saneamento de efluentes de abatedouros avícolas, os quais em alguns casos geram milhões de metros cúbicos deste resíduo, bem como seriam potenciais clientes para a compra da microalga produzida para alimentação das aves da própria produção, visto o benefício nutricional e antioxidante gerado para estes animais. Através de testes exploratórios realizados pela Brastax, foi comprovado o potencial de utilização da microalga neste tipo de resíduo, bem como de altos teores de produção do antioxidante de interesse, a astaxantina, determinando assim a missão da empresa.

Quais são, na sua avaliação, as maiores dificuldades do empreendedor brasileiro? 

Acredito que o maior desafio esteja relacionado ao encontro das fontes de recursos, visto que esta cultura de busca por investidores para startups é bastante nova, tornando difícil o mapeamento e a obtenção de fomento. Também acredito que temos características de “fazedores”, ou seja, partimos logo para a execução. No meu ponto de vista, realizar um planejamento mais estruturado faz com que os projetos sejam melhor desenvolvidos e com isso atinjam o sucesso da empresa. Dito isso, sempre procuro tirar um tempo para refletir sobre o projeto de maneira mais ampla, para traçar novas estratégias.


Vencedores do Acelera se reúnem com investidores na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A tarde desta quinta-feira (22/05) foi de troca de ideias e bons contatos entre empreendedores e investidores na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Em encontro promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da instituição, dois dos vencedores da última edição do concurso Acelera Startup se reuniram com representantes e sócios de empresas de investimentos. O objetivo era simplesmente conversar, apresentar modelos de negócios, falar, ouvir, considerar possibilidades futuras de negócios.

“O nosso objetivo é linkar empreendedores e investidores”, explicou o diretor do CJE e coordenador do Comitê de Investimento e Inovação do grupo, Bruno Ghizoni da Silva. “O investimento-anjo é um casamento e hoje saímos dos cinco minutos de apresentação do Acelera para uma conversa mais aprofundada, que foi a ignição desse relacionamento.”

Para o segundo colocado no Acelera, o sócio-fundador da Carrega+, de dispositivo móvel de carregamento de baterias de celular, Júnior Valverde, “só os ‘toques’ dos investidores já foram diferenciais”.

“Gostei de ouvir que preciso usar as necessidades do mercado ao mesmo tempo em que ofereço inteligência”, explicou.

A reunião com os vencedores do Acelera e os investidores na Fiesp: boas possibilidades. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A reunião com os vencedores do Acelera e os investidores na Fiesp: possibilidades. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Com três meses de atividades e sede em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, a Carrega+ oferece quatro tipos de carregadores portáteis, um dos quais tem duração de 22 horas. Os produtos podem ser oferecidos para a locação para eventos de empresas, ou mesmo para a distribuição como brindes em formatos variados, como latinhas ou até bolas.

Além disso, Valverde é o mais novo integrante do CJE. Sem falar nos contatos com potenciais parceiros e investidores já acertados no encontro desta quinta-feira (22/05).

Catapultado

Terceiro colocado do Acelera, Rubens Benbassat, sócio-fundador da Banheiro 360º, de construção de toaletes em espaços reduzidos, disse se sentir “catapultado” (jogado para o alto) depois de participar do concurso. “Agora começo a afinar as conversas, possibilidades de investimento são abertas”, explicou.

Além dos contatos com investidores combinados na reunião na Fiesp, Benbassat também já foi alvo de sondagens “de fora”.

Cultura empreendedora

Sócio e CEO da Project One, de investimentos, Ricardo Sodré diz que vem prontamente quando convidado pelo CJE para encontros do tipo porque quer “espalhar a cultura empreendedora”.

“Os empreendedores têm que aprender a validar suas ideias, entender o negócio”, afirmou. “É importante criar experimentos. Para ter retorno, tem que testar o produto no mercado.”

Sodré informou ainda que vai apresentar os dois projetos vencedores do Acelera para outras empresas e investidores.

O mesmo será feito por Eduardo Cortez, representante da Cedrom Assessoria e da PayyCom, de tecnologia de recuperação de créditos. “Gostei bastante do que vi”, disse. “A gente não consegue ter esse contato mais aprofundado durante o Acelera. Me comprometi a apresentar as ideias para outras empresas.”

Aos empreendedores interessados em fazer contato para discutir suas ideias de negócios com o CJE, Ghizoni da Silva diz que é possível procurar o Comitê de Investimento e Inovação do grupo nos e-mails cje@fiesp.com.br e pamela.merique@fiesp.com.br ou no telefone (11) 3549-4695.

Hackathon premia apps que fazem a diferença nas áreas de segurança, saúde e educação

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Vinte e oito horas de trabalho e dedicação depois, veio a recompensa: foram anunciados, na tarde desta domingo (27/04), os vencedores do Hackathon, maratona de desenvolvimento de aplicativos para as áreas de saúde, educação e segurança promovida pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Na competição, programadores, desenvolvedores, designers e empreendedores encararam o desafio de criar apps com soluções para os três setores, ideias que fizessem a diferença no cotidiano das pessoas.

Detalhe: tudo aconteceu de forma ininterrupta: quem quis, pôde dormir na própria sede da federação, na Avenida Paulista, em barracas montadas e oferecidas pelo evento, realizado com toda a infraestrutura de alimentação e suporte geral para os participantes. Ao longo da jornada criativa (e produtiva) iniciada na manhã deste sábado (26/04), mentores e responsáveis pela organização permaneceram à disposição dos competidores, divididos em grupos com cinco membros cada, durante toda a madrugada.

Segundo o diretor titular do CJE, Sylvio Gomide, foram 140 participantes inscritos nos grupos, com a participação de outras 60 pessoas envolvidas  na organização do evento, entre palestrantes, mentores, técnicos e organizadores. Ao todo, passaram a noite na Fiesp 91 inscritos no desafio. “Recebemos participantes da capital e do interior, de cidades como Campinas, Limeira e São Carlos, por exemplo”, disse. “Também tivemos representantes de outros estados, como Mato Grosso e Paraná. Mudamos totalmente a programação da Fiesp, que nunca ficou aberta 24 horas para um evento do tipo”.

Gomide, ao centro, de azul, acompanhado dos vencedores das três equipes campeãs do Hackaton: 200 participantes na maratona de desenvolvimento de aplicativos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Gomide, ao centro, acompanhado dos vencedores das três equipes campeãs do Hackathon: 200 participantes na maratona de desenvolvimento de aplicativos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Hora de comemorar  

Assim, ao final da segunda edição do Hackathon (a primeira foi em setembro de 2013), os campeões foram: equipe Sky Hawk, na categoria Segurança; Heróis, em Saúde e VemBilu em Educação. Com a conquista, todos estão automaticamente inscritos no Acelera Startup, a ser realizado nos dias 07 e 08 de maio, na Fiesp. O concurso, também organizado pelo CJE, aproxima empreendedores de investidores.

“Criamos uma proposta de aplicativo para resolver a ajudar um problema sério de segurança”, explicou o programador Elton Sasaki, do grupo Sky Hawk. O que eles fizeram? Desenvolveram um sistema que, com um clique num botão, consegue acionar a polícia em caso de emergência. “A nossa sensação é de dever cumprido, mas acho que a ficha ainda não caiu”, disse Luiz Afram, outro integrante do time vencedor.

A preocupação com a utilidade social também guiou o trabalho da turma Heróis na área da Saúde. Dessa forma, o app Herói incentiva a doação de sangue nas cidades. “Vamos levar o projeto adiante, acompanhar o crescimento desse filho que é o aplicativo”, afirmou Adilson Barison, representante do grupo. “Pensamos em replicar a iniciativa para outros segmentos, como o de doação de medula óssea”.

Quem quer estudar acompanhado de pessoas com interesses comuns terá no VemBilu, desenvolvido pelos vitoriosos do setor de Educação do Hackathon, um aliado. O sistema aponta, por localidade e por disciplinas, quem pode colocar o conteúdo em dia com estudantes com os mesmos objetivos. “A gente apostou na ideia, trabalhou, não dormiu”, contou Jacqueline Alves, da equipe. “Agora vamos aproveitar o Acelera”, disse Fernando Alvez, também integrante do grupo.

As barracas à disposição dos competidores: 91 pessoas dormiram na Fiesp. Foto: Luis Gustavo

As barracas à disposição dos competidores: 91 pessoas dormiram na Fiesp. Foto: Luis Gustavo


Os prêmios

Além do reconhecimento e da inscrição automática no Acelera Startup, os vitoriosos levaram como prêmio vales para fazer cursos na Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap); bônus de R$ 1,5 mil do sistema MaxiPago para cada grupo que quiser desenvolver games cujos custos incluam pagamentos por meio digital; um curso à escolha no IMasters e uma inscrição de cortesia na próxima edição do evento Intercomp.

No segundo semestre tem mais

Depois de agradecer pelo empenho dos participantes e de todos os envolvidos na organização do Hackathon, Gomide destacou que a terceira edição do evento, prevista para o segundo semestre de 2014, será “ainda melhor do que a segunda”. “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”, disse.

Gomide: “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Gomide: “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O diretor titular do CJE registrou ainda a vista do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ao evento, na tarde deste sábado (26/04). “Ele ficou muito impressionado e chamou a sua atenção a concentração dos grupos”, contou. “Todos os vencedores já estão convidados a tomar um café com ele na Fiesp em maio”, afirmou, destacando as possibilidades que estão diante dos empreendedores da tecnologia reconhecidos pela federação neste final de semana.

Fiesp prorroga inscrições para concurso que aproxima startups de investidores

Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) prorrogou as inscrições para o concurso Acelera Startup, que agora vão até 27 de abril, pelo site www.fiesp.com.br/acelera. O objetivo da ação é estimular o empreendedorismo entre pessoas que tenham boas ideias e projetos ainda em desenvolvimento ou que já tenham criado a sua startup e precisam de investidores.

O evento acontece nos dias 07 e 08 de maio, no edifício-sede da Fiesp, na Avenida Paulista. Para o concurso serão selecionadas as 150 melhores ideias, projetos e/ou startups, que terão a oportunidade de participar de palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias.

Apenas os dez melhores chegarão como finalistas ao concurso, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (em poucos minutos), a uma banca formada por grandes investidores-anjo do Brasil. Três deles serão os grandes vencedores do concurso. Além de fomentar o empreendedorismo e aproximar as startups de possíveis apoiadores, a Fiesp espera colaborar com a difusão do tema no meio empresarial.

Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 07 e 08 de maio de 2014

Local: Edifício-sede da Fiesp: Avenida Paulista, 1313, São Paulo

Inscrições: http://www.fiesp.com.br/acelera

Fiesp realiza o maior evento em empreendedorismo do Brasil nos dias 7 e 8 de maio

Agência Indusnet Fiesp

Reconhecido como o principal evento de empreendedorismo e investimento-anjo do Brasil, o “Concurso Acelera Startup”, organizado pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), será realizado nos dias 7 e 8 de maio, na sede da entidade, em São Paulo. O objetivo é fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de participantes e de investidores-anjo para a geração de negócios.

O evento é aberto e gratuito para empreendedores que tiverem suas ideias, projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. Os interessados devem fazer a inscrição até o dia 23 de abril de 2014, diretamente na página do evento: http://www.fiesp.com.br/acelera.

Na edição anterior, em 2013, como parte integrante do Festival do Empreendedorismo (Festemp), foram avaliados mais de 1.000 projetos inscritos. Desses, 350 projetos/startups acabaram selecionados para participarem de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, mentorias e avaliações de investidores. Mais de 50 investidores-anjo formaram a maior banca do país, com um montante total de investimento disponível em torno de R$ 500 bilhões. Somando as três edições anteriores (2011, 2012 e 2013), o evento já gerou investimentos-anjo de mais de R$ 1 milhão.

Aceleração de negócios

Dividido em dois dias de atividades, o “Concurso Acelera Startup” vai destacar ações que estimulem o empreendedorismo e o aumento da rede de inovação no Brasil. O primeiro dia será dedicado à capacitação dos empreendedores e ao aprimoramento dos negócios por meio de palestras e mentorias.

O segundo dia terá como foco a avaliação de 150 negócios por investidores-anjo. Eles selecionarão os dez melhores, que terão a oportunidade de realizar apresentações de curta duração (no formato “pitch”, em poucos minutos), no palco central do Acelera, para o público presente e para a banca de investidores. O potencial de investimento em projetos/startups gira em torno de R$ 1,5 milhão.

As inscrições de ideias, projetos e/ou startups acontecem até esta quarta-feira (23/04), pelo endereço: http://www.fiesp.com.br/acelera. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato pelo e-mail: cje@fiesp.org.br.

Serviço

Evento: 4º Concurso Acelera

Datas: 07 e 08 de maio de 2014

Horário: das 07:30h às 20h, em ambos os dias

Local: Edifício-sede da Fiesp

Endereço: Avenida Paulista, 1.313 – São Paulo/SP

Site: http://www.fiesp.com.br/acelera

Vencedores do Acelera Startup comemoram disputa e começam a ser procurados por investidores

Giovanna Maradei e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Uma capina elétrica, um software para ajudar na inclusão social de crianças autistas e um programa para estimular as vendas diretas foram os vencedores do Acelera Startup, uma das atividades mais disputadas do Festival de Empreendedorismo (Festemp), realizado nos dias 25 e 26 de setembro, no Anhembi, na capital paulista.

A iniciativa teve 300 projetos selecionados pelos membros do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Desses, os dez melhores tiveram a chance de vender seu negócio a uma banca de investidores por meio do formato “elevator pitch”, ou seja, de forma rápida, no tempo de uma conversa de elevador. Vencido o desafio, os campeões já colhem os frutos de seu trabalho. E começam a conversar com investidores.

Primeira colocada na disputa, a Sayyou Brasil está começando as suas operações agora e atualmente tem quatro sócios e quatro funcionários, com sede na capital paulista. A empresa desenvolveu um equipamento chamado capina elétrica. Do que se trata? De uma peça que, acoplada ao trator, capina o campo sem o uso de outro tipo de energia além da própria energia mecânica vinda do movimento do veículo. “É uma alternativa ao uso de produtos químicos para a capina”, explica Sérgio de Andrade Coutinho Filho, um dos sócios-diretores da Sayyou. “Uma alternativa limpa e com custo reduzido”, diz ele.

Paulo Skaf com os vencedores do Acelera Startup, no Anhembi, em setembro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Paulo Skaf com os vencedores do Acelera Startup, no Anhembi, em setembro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Para o empreendedor, fez toda a diferença ter participado do Acelera. “Não esperávamos ganhar, vimos muitos projetos bons na seleção”, diz. “Já fomos procurados por investidores interessados na nossa ideia e estamos conversando com alguns fundos de investimento”.

Lá do Recife

O projeto que ficou em segundo lugar no Acelera do Festemp surgiu durante pesquisa para uma dissertação de mestrado no Centro de Estudos Avançados do Recife (Cesar), na capital pernambucana. Foi quando o responsável pela iniciativa, Eraldo Guerra, começou a pensar no desenvolvimento de um software que ajudasse crianças autistas a se desenvolverem, o Can Game. “Acho que não escolhi o tema, mas o tema me escolheu, não foi nada premeditado”, diz. “Entre tantos temas, foi o autismo que me conquistou”.

Guerra explica que o programa foi desenvolvido por meio de uma proposta interdisciplinar voltada para alunos do ensino médio. “É muito bom empreender algo que possa beneficiar a sociedade”, explica.

Sobre a participação no Acelera, o empreendedor diz que essa foi uma experiência “única”. “Fiz excelentes contatos, aprendi bastante e espero ter projetos todos os anos para participar do evento”, afirma. “Valeu a pena cada momento, mesmo que o ar condicionado estivesse tão forte”, brinca.

Depois da vitória, Guerra explica que já existem interessados “colaborando de alguma forma”. “Acredito que em um espaço curto de tempo iremos atingir os nossos objetivos”.

Para vender mais

Terceiro colocado no Acelera, o Contatix consiste num software desenvolvido para aumentar a produtividade das empresas que trabalham com vendas diretas, por sinal um setor de atuação muito forte no Brasil. A iniciativa ajuda na comunicação com os clientes, identificando oportunidades nas redes sociais, por exemplo.

A ideia é oferecer um sistema simples, que possa ser usado pelo maior número possível de usuários. Segundo informações da empresa, o objetivo principal é ser simples o suficiente para que qualquer pessoa possa usar e poderoso o suficiente para que grandes usuários possam extrair o melhor da solução.

No último dia do Festemp (26/09), as três empresas vencedoras receberam os cumprimentos do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, no Anhembi.