‘A Madrinha Embriagada’ recebe quatro prêmios Bibi Ferreira

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Ao lado do ator Cleto Baccic, o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, discursa durante cerimônia de premiação. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O espetáculo “A Madrinha Embriagada” venceu três categorias do mais importante prêmio do teatro musical brasileiro, o Bibi Ferreira, em cerimônia realizada na noite de segunda-feira (13/10), no tradicional Theatro São Pedro, na Barra Funda, zona Oeste de São Paulo.

A peça foi eleita como melhor musical pelo voto popular. Kiara Sasso conquistou o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante, por sua interpretação da personagem ‘Eva’, Fause Haten venceu na categoria Melhor Figurino e Gabriel D’Angelo levou o troféu de Melhor Desenho de Som.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Kiara Sasso agradece pelo prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O Sesi-SP conquistou ainda a Medalha Arthur Azevedo – Prêmio Bibi Ferreira pelo Projeto Educacional em Teatro Musical. A premiação tem como objetivo de homenagear instituições que contribuem para o crescimento e o fortalecimento do teatro musical no país. A medalha foi concedida ao Sesi-SP pelas ações, que incluem o curso de formação de atores, as oficinas de vivência em teatro musical e a montagem “A Madrinha Embriagada”.

Produzido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), “A Madrinha Embriagada” foi o espetáculo que concorreu no maior número de categorias, com 10 indicações.

O superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves, participou da cerimônia de entrega dos prêmios.

Criado em 2012, o Prêmio Bibi Ferreira celebra o crescimento dos musicais no país e já se tornou referência para artistas, público e crítica. Anualmente, o evento premia as produções e profissionais de teatro musical de destaque na cidade de São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Fause Haten foi o vencedor na categoria Melhor Figurino. Foto: Everton Amaro/Fiesp

‘A Madrinha Embriagada’ tem maior número de indicações ao Prêmio Bibi Ferreira

Agência Indusnet Fiesp 

Na segunda edição do mais importante prêmio do teatro musical brasileiro, o Bibi Ferreira, o espetáculo “A Madrinha Embriagada” recebeu 10 indicações. É o musical que concorre no maior número de categorias.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Sara Sarres concorre ao prêmio de melhor atriz pela interpretação de Jane Valadão em “A Madrinha Embriagada. Foto: Everton Amaro/Fiesp

“A Madrinha Embriagada” foi indicada aos prêmios de melhor musical, melhor atriz (Sara Sarres), melhor ator (Ivan Parente), melhor atriz coadjuvante (Kiara Sasso), melhor direção (Miguel Falabella), melhor coreografia (Kátia Barros), melhor direção musical (Carlos Bauzys), melhor figurino (Fause Haten), melhor desenho de som (Gabriel D’Angelo) e melhor versão (Miguel Falabella).

Produzido pela Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), “A Madrinha Embriagada” ficou em cartaz por 11 meses, no Teatro do Sesi São Paulo, com a distribuição gratuita de cerca de 150 mil ingressos (saiba mais no infográfico sobre o espetáculo).

As indicações divulgadas são para a escolha do júri. Os indicados a melhor musical – voto popular serão divulgados no dia 15 de agosto. O prêmio será entregue no dia 13 de outubro, em uma cerimônia que terá Chico Buarque como homenageado.

Mais informações no site do Prêmio Bibi Ferreira.

Miguel Falabella: ‘A Madrinha Embriagada’ foi um momento especial para todos nós’

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Em noite de emoção no palco e na plateia, com direito a muitos aplausos em cena aberta, chegou ao final, neste domingo (29/06), a temporada do musical A Madrinha Embriagada no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista. O espetáculo, montado com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), estreou em agosto de 2013 e teve 325 apresentações gratuitas, com público de 150 mil pessoas.

A Madrinha Embriagada foi um momento especialíssimo na vida de todos nós”, afirmou o diretor da peça, Miguel Falabella, no palco, ao final da apresentação. “O teatro musical chega com mais facilidade que outros gêneros ao coração das pessoas”.

Falabella: “O teatro musical chega com mais facilidade que outros gêneros ao coração das pessoas”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Falabella: “O teatro musical chega com mais facilidade ao coração das pessoas”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Falabella agradeceu o empenho do elenco, da equipe técnica e do então presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, pelo apoio para a realização do projeto.

Presente à última sessão da temporada, uma das autoras das músicas e letras do musical, uma adaptação de The Drowsy Chaperone, Lisa Lambert, fez questão de registrar a sua admiração pela montagem brasileira comandada por Falabella. “Essa foi a performance mais emocionante que eu já vi do espetáculo”, afirmou Lisa. “Nunca fui tão tocada pela peça quanto esta noite”.

Para a superintendente do Sesi-SP, Débora Botelho, a expectativa de é que o musical seja “o primeiro de muitos” a ser montado com o apoio da instituição e da Fiesp. “Vocês são todos brilhantes”, elogiou.

Débora: que 'A Madrinha Embriagada seja o primeiro de muitos musicais montados com o apoio da Fiesp e do Sesi-SP. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Débora: que 'A Madrinha Embriagada seja o primeiro de muitos musicais montados com o apoio da Fiesp e do Sesi-SP. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Outro que não conteve a emoção foi o diretor geral de produção e intérprete do personagem Aldolpho, Cleto Bacicc. “Foi muito bom participar de um projeto de cunho social e cultural com essa qualidade e com 150 mil ingressos distribuídos gratuitamente”, disse. “Sem falar que os embriagados nos surpreenderam com todas as suas participações”, afirmou ele numa alusão aos fãs da peça, que lotaram o Teatro do Sesi-SP e cantaram muitas canções, de cor, com os atores.

Um doce para O Homem da Poltrona

Além de palavras de carinho ao elenco e muitos aplausos em cena aberta, até mesmo de pé, em alguns momentos, os fãs do espetáculo surpreenderam os artistas com iniciativas como a entrega de um doce para Ivan Parente, que interpreta o Homem da Poltrona, numa das cenas. O ator devorou o mimo na hora.

Ao final da apresentação, os “embriagados” entregaram presentes a todos os integrantes do elenco, que também receberam flores da produção.

Com o palco lotado por todos os envolvidos na produção, incluindo as mais variadas equipes técnicas, como a de fisioterapeutas, Falabella fechou a noite com um convite: “Em setembro, teremos O Homem de La Mancha aqui no Teatro do Sesi-SP”, contou ele, animado com o seu próximo projeto de teatro musical a ser viabilizado com o apoio da indústria paulista.

Falabella, ao centro, com o elenco e a equipe técnica de 'A Madrinha Embriagada': noite de emoção. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Falabella, ao centro, com o elenco e a equipe técnica de 'A Madrinha Embriagada': emoção. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ acaba com sensação de dever cumprido

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Após mais de 11 meses em cartaz, o espetáculo “A Madrinha Embriagada” chegou ao fim na noite deste domingo (29/06) no Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Para os atores, prevaleceram as sensações de dever cumprido, honra e um pouco de tristeza pelo fim da temporada. Já o púbico deve levar na memória não só as músicas preferidas, mas novas amizades.

“A gente se matou de fazer apresentações: oito por semana, uma maratona. Vocês não têm ideia do quão cansativo é. Mas eu faria tudo isso de novo com o maior prazer e honra”, contou Saulo Vasconcelos, que interpreta o produtor Iglesias no espetáculo, menos de uma hora antes de começar sua última apresentação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Cleto Baccic (Adolpho). Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Para Vasconcelos, a escolha pelo espetáculo foi um “tiro certo” para iniciar o Projeto Sesi-SP de Teatro Musical e “coube perfeitamente para a proposta de ingresso gratuito”.

“Esse público é formado por uma maioria que não tem condição de pagar de 170 a 250 reais, que é a média de preço que se cobra. E é justificável esse preço absurdo porque são produções caríssimas e um investimento que precisa ser retornado. Mas esse público que vem aqui é basicamente constituído por essas pessoas e a relação delas é a mais sincera, mais divertida possível. A sensação é de dever cumprido, de vitória”, disse o ator que já protagonizou espetáculos como “O Fantasma da Ópera”.

O ator Cleto Baccic, que interpreta o argentino Adolpho em “A Madrinha Embriagada”, contou que sua maior recordação dessa temporada é o retorno do público.

“Não tenho palavras para agradecer ao Sesi-SP e a Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] por apoiar o teatro brasileiro e não só pela minha classe, mas por todas essas pessoas aqui. Tem gente que nunca teve oportunidade de assistir a um espetáculo de teatro e, no entanto, eles estão aqui graças a esse investimento”, disse um Baccic emocionado minutos depois de tirar fotos com os espectadores. “Eu faço questão de ter esse contato, de acabar o espetáculo e conversar com as pessoas. E superou nossas expectativas e as do Sesi-SP também”, completou.

‘A Madrinha’ mais de 50 vezes

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Ingride (centro) virou a madrugada para assistir ao espetáculo mais uma vez. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Do lado da plateia, há pessoas que assistiram a um musical pela primeira vez e gostaram tanto que repetiram dezenas de vezes. É o caso da autônoma Ingride Alves Bens, de 47 anos, que na última apresentação assistiu a “A Madrinha Embriagada” pela 51ª vez.

“Cheguei aqui às 22h de ontem para ficar para o dia seguinte. Fiquei de pé até as 9h de hoje quando liberaram a portaria para a gente poder sentar um pouco”, contou Ingride, que optou por ficar em pé durante toda a noite. “Para não amassar minha roupa”, explicou.

Ela passou a noite no portão do Teatro do Sesi-SP com mais nove pessoas. Uma delas é o filho Marcio William Bens, de 18 anos, e os outros oito são amigos que ela e o filho fizeram após enfrentarem as filas para pegar ingresso ao longo das mais de 50 vezes que assistiram ao musical.

“A gente pegou papelão, colocou na beira do portão do lado de fora e enquanto uns dormiam encolhidinhos, os outros ficavam tomando conta. A gente forma uma família”, disse Ingride em sua noite de despedida do espetáculo. “Agora não sei o que vou fazer para substituir esses dias que tenho vindo para cá.”

O professor de inglês, Vinícius Guimarães, assistiu ao Madrinha mais de 40 vezes “porque não tem outro musical como esse, o nível do espetáculo e dos atores é muito alto, o que é muito difícil de encontrar de graça”, defendeu.
Ele fez amizade com Ingride e disse que é uma coisa que acaba acontecendo com muitas pessoas “porque a gente fica nas filas, esperando cinco horas para ter ingresso”.

O confeitador Leandro Sena, de 19 anos, também engrossa o couro dos quarentões em sessões doe “A Madrinha”. Ele garantiu que repete tantas vezes o mesmo musical porque “nunca é a mesma coisa, mas nem que seja um fio de cabelo que cai no chão diferente, a gente percebe”. Outro atrativo para voltar dezenas de vezes ao teatro é o elenco. “Os atores são muito simpáticos.”

Sem ostentar tantas sessões, a psicóloga e atriz Lígia Lage, 31 anos, e o designer João Mendonça, 32, aguardavam na numerosa fila para entrar no Teatro do Sesi-SP e assistir pela primeira vez ao espetáculo.
“Eu já tinha desistido, mas através de um amigo acabamos conseguindo de última hora”, contou Lígia. Para ela, é fantástico o Sesi-SP distribuir ingressos de graça para musicais como “A Madrinha” .

“Porque o povo brasileiro precisa de entretenimento com cultura de verdade.”

A expectativa de Mendonça era de assistir a uma peça “bastante divertida”. Apesar de a temporada durar mais de 11 meses, ele pediu: “poderia ser mais longa”.

Novo musical

Veterana em musicais protagonizando espetáculos como “O Fantasma da Ópera” e “Les Misérables”, a atriz Sara Sarres resumiu a noite: “muita emoção.

Sentimento de gratidão enorme e de orgulho por ter feito parte desse projeto que trouxe mais de 150 mil ingressos gratuitos. “Estou triste por uma temporada que está se encerrando, mas feliz por esse lindo começo para a cultura.”

Ela se referiu ao Projeto Sesi-SP de Teatro Musical, que, além de formar atores para o mercado desse gênero artístico, também vai oferecer mais um espetáculo de graça a partir de setembro, a montagem de “O Homem de La Mancha”, musical baseado na obra de Miguel de Cervantes com direção de Miguel Falabella.

Para Cleto Baccic, o novo espetáculo tem um significado especial. “O sonho impossível continua ser possível de ser realizado aqui no Sesi-SP.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Sara Sarres, Frederico Reuter, Saulo Vasconcelos e Kiara Sasso. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

‘A Madrinha Embriagada’: temporada levou 150 mil pessoas ao Teatro do Sesi-SP

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O encanto das 325 apresentações de A Madrinha Embriagada, a serem completadas na noite deste domingo (29/06), com a sessão de encerramento da temporada do espetáculo, não se limitou ao palco. Na plateia e na entrada do Teatro do Sesi-SP, não faltaram boas histórias nos bastidores do espetáculo, montado com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

“Já tivemos de tudo no teatro: um rapaz pediu a namorada em casamento, outro casal comemorou bodas de prata, uma senhora bem idosa, que fazia aniversário, foi ver a peça acompanhada de todos os filhos e netos. E eram muitos!”, conta o diretor geral da produção e intérprete do personagem Adolpho na trama, Cleto Baccic.

Em cena, Baccic já teve que exercitar seu jogo de cintura em situações como a de uma cartola um tanto folgada na cabeça. “No início da temporada, usava o cabelo longo. Quando cortei, a circunferência da cartola que usava diminuiu drasticamente, só que eu não me ative a esse detalhe”, diz. O resultado? “Na cena do ‘mico’, na qual entro com o tal adereço, a peça vinha parar no meu nariz, o que por si só já era um ‘mico’. Tive que fazer a coreografia com a cartola pulando na minha cabeça em vários momentos”.

Vasconcelos, à esquerda, e Baccic: muita concentração em cena. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vasconcelos, à esquerda, e Baccic: muita concentração em cena. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Além da habilidade de equilibrar um chapéu folgado e dançar ao mesmo tempo, Baccic também precisou segurar o riso em diversas situações ao longo da temporada, iniciada em agosto de 2013. “Certa vez, na hora em que derrubo a bengala e o Homem da Poltrona diz que tem certeza de que foi o ‘Rolando Bartelli’, uma criança que estava logo na primeira fileira, bem na minha frente, comentou: ‘sim, foi ele mesmo!’. Tive que segurar o riso”, lembra. “Adoro a reação do público, principalmente quando é assim, espontânea”.

De disciplina para não perder a concentração, Saulo Vasconcelos, que interpreta o Sr. Iglesias em A Madrinha Embriagada, entende. Segundo o ator, que já participou das montagens brasileiras de musicais como O Fantasma da Ópera, Cats e A Bela e a Fera, entre muitos outras, plateias formadas principalmente por crianças e adolescentes estão entre as mais desafiadoras. “É preciso redobrar a concentração”, diz Vasconcelos. “Alguns jovens brincam dizendo frases como ‘ah, não diga!’ na cena em que falta luz e o O Homem  da Poltrona comenta o que aconteceu”, conta.

E isso não é tudo. “Também já ouvimos espectadores fazendo barulho de grilos e de outros animais em momentos em que o palco fica escuro”, diz. “Só tendo uma disciplina absurda para não perder o clima”, conta.

Desce, cama, desce!

Numa cena em que interage com uma cama cenográfica, Vasconcelos só não chegou a passar apuro devido à agilidade da equipe de produção do musical. “A cama, embutida na parede, não desceu imediatamente algumas vezes”, diz. “Já estava pensando numa solução e mentalizando ‘desce, cama, desce’ quando consegui ouvir, do palco, até marteladas nos bastidores para resolver o problema. Sempre deu tudo certo”.

Vasconcelos e a cama que quase emperrou: marteladas nos bastidores. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vasconcelos e a cama que quase emperrou: marteladas nos bastidores. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


No fim das contas, essas e outras situações ficarão guardadas, com carinho, nas memórias do elenco e do público ao final da concorrida temporada da peça, vista por 150 mil pessoas. “Poder levar às pessoas, sem distinção de classe social, um espetáculo com acabamento impecável, elenco de primeira, orquestra ao vivo, durante 11 meses e inteiramente gratuito, é o que mais me emociona e me motiva a continuar sonhando”, afirma Baccic.

E isso para não falar do clima nos bastidores. “O ambiente sempre foi extremamente agradável e eu não me refiro apenas ao elenco, mas também à equipe técnica”, conta. “Rimos juntos, sofremos juntos, nos preocupamos uns com os outros. Somos como uma família”. Uma família agora repleta de boas histórias para contar.

Fãs de ‘A Madrinha Embriagada’ já sentem saudade e prestigiam final da temporada

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Na noite deste domingo (29/06), a estudante de teatro musical e atendente Priscila Carvalho, de 29 anos, vai ao Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo, para ver, pela 80ª vez, seu musical predileto. Fã que é, não poderia ficar de fora da sessão de encerramento da temporada de “A Madrinha Embriagada”, espetáculo montado com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Assim como Priscila, outros admiradores viram o seu amor pelos palcos crescer depois de conhecer a saga de personagens como O Homem da Poltrona, Jane Valadão, o Sr. Iglesias ou Adolpho, apenas para citar alguns.

“‘A Madrinha’ é um espetáculo especial”, diz Priscila. “Primeiro pela entrada gratuita, uma iniciativa ótima da Fiesp e do Sesi-SP, depois pelo elenco e, em terceiro lugar, pelo fato de ser uma comédia muito divertida, capaz de fazer qualquer um esquecer do mundo lá fora”.

Apta a repetir todas as falas e de cantar todas as músicas da peça, a atendente elege “Surpresa Fatal” como a sua canção predileta.

Priscila ao lado de Cleto Bacicc: “A Madrinha é um espetáculo especial”. Foto: Arquivo Pessoal

Priscila ao lado de Cleto Baccic: “A Madrinha é um espetáculo especial”. Foto: Arquivo Pessoal


Conhecida de todo o elenco, é cumprimentada pelo nome nos bastidores e já tirou fotos “com todos os atores”. Uma empolgação multiplicada entre os amigos. “Já levei mais de dez pessoas para assistirem o musical”, conta.

Embriagados

Prestes a ver “A Madrinha Embriagada” pela 30ª vez, também neste domingo (29/06), a biomédica Graziela Vieira, de 23 anos, é outra admiradora que levou muita gente para o Teatro do Sesi-SP nos últimos 11 meses. Uma missão que ganhou força depois da criação de uma página sobre o espetáculo na rede social Facebook.

“Tivemos mais de 3 mil curtidas na página e, com isso, formei um grupo de 30 pessoas que estão sempre em contato para ir ao teatro e conversar sobre A Madrinha”, diz. Segundo ela, são todos “embriagados” pelo projeto.

Graziela: “Fui embora para casa com os olhos brilhando e o coração apertado quando vi pela primeira vez”. Foto: Arquivo Pessoal

Graziela: “Fui embora para casa com os olhos brilhando e o coração apertado quando vi pela primeira vez”. Foto: Arquivo Pessoal

As razões de tanto amor? “A peça é emocionante e gratuita, oferecendo oportunidade para todas as pessoas que nunca tinham visto um musical antes”, conta. “Fui embora para casa com os olhos brilhando e o coração apertado quando vi pela primeira vez”.

O elenco, formado pela “nata dos atores” do gênero, também é destacado. “São todos maravilhosos, sem falar nos figurinos criados pelo Fause Haten e na direção do Miguel Falabella”.

Para não morrer de saudade com o fim das apresentações, Graziela já faz planos de comparecer, com a mesma assiduidade, às sessões de “O Homem de La Mancha”, o próximo musical a ser montado com o apoio da Fiesp e do Sesi-SP e direção de Miguel Falabella, com estreia prevista para setembro de 2014. “Nem vi ainda e já digo que sou fã”, garante.




Saulo Vasconcelos espera boas surpresas do Curso de Formação em Teatro Musical

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A animação é a de um iniciante. Aliás, talvez seja esse o segredo dos grandes como ele: a capacidade de não perder o encantamento diante dos novos desafios. Pois Saulo Vasconcelos, coordenador de interpretação e teatro do Curso de Formação em Teatro Musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), inaugurado em março, é um entusiasta a respeito do projeto e de sua missão na iniciativa. Para ele, o objetivo é formar artistas que logo mais estarão “brilhando nos melhores musicais”.

E olhe que, de brilho, ele entende. É impossível falar sobre a trajetória dos espetáculos musicais no Brasil nos últimos 15 anos sem destacar a sua participação em produções importantes. Algumas delas: “O Fantasma da Ópera”, “Cats”, “Les Miserables”, “A Bela e a Fera”, “Mamma Mia”, “Priscilla, A Rainha do Deserto” e “A Madrinha Embriagada” (em cartaz até junho no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista).

“Visitamos seis universidades fora do Brasil para conhecer o melhor entre o que é oferecido em formação para teatro musical no mundo e adaptamos à nossa realidade”, explica Vasconcelos.

Vasconcelos: referências internacionais adaptadas à realidade brasileira no curso. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Vasconcelos: referências internacionais adaptadas à realidade brasileira no curso. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Segundo ele, as turmas de alunos foram divididas em grupos menores, com dez participantes cada, para atender melhor os futuros astros e estrelas. Na pauta do curso, aulas de teoria musical, canto e canto coral, entre muitas outras. “Trabalhamos técnica vocal e coral até o último semestre”, diz.

E tudo isso num nível “superior ao que se tem hoje” em termos de formação na área. “Nossos alunos terão cinco horas de aulas por dia, com os melhores professores disponíveis no mercado”, afirma Vasconcelos. “Esperamos surpresas muito boas, ver essas pessoas brilhando nos melhores musicais”.

De acordo com o coordenador de interpretação e teatro do Curso de Formação em Teatro Musical do Sesi-SP, os professores envolvidos no projeto têm liberdade para  trabalhar os conteúdos e fazer as conexões que acharem que faz sentido em suas classes.

Em Brasília

Vasconcelos conta que a sua formação profissional foi baseada no canto e no teatro, sempre fazendo aulas avulsas das duas disciplinas em Brasília, no Distrito Federal, onde nasceu. “Estudava Economia na faculdade e fazia esses cursos à parte”, diz. “Em 15 anos, aprendi bastante e troquei muitas experiências, isso me deu uma boa formação”.

Mesmo assim, afirma ele, “teria feito muita diferença ter participado num curso como esse do Sesi-SP quando eu era mais jovem”.

De encher os olhos

Além da chance de proporcionar boas oportunidades para os futuros talentos dos palcos, o astro dos musicais brasileiros diz que tem orgulho da “estrutura oferecida pelo Sesi-SP aos alunos”. “É de encher os olhos”, diz. “As pessoas chegam lá e se impressionam, querem que o trabalho dê certo”, afirma Vasconcelos, animado como se fosse a primeira vez em que se vê diante de uma estreia.

No Teatro do Sesi-SP, palavras viram ‘luz’ em apresentação para pessoas com deficiência

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Sábado, cinco de abril, quatro da tarde. Quando as luzes se apagam e o ator Edgar Bustamante entra no palco para encarnar o Homem da Poltrona, protagonista do espetáculo “A Madrinha Embriagada”, 90 pessoas da plateia ficam bem atentas às palavras que saem de seus fones de ouvido.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Plateia se encantam com a audiodescrição do espetáculo no Teatro do Sesi. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Tal qual tradução simultânea, esse grupo – parte dos mais de 450 espectadores que lotam o Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) – escuta a narração de Livia Motta.

Da voz da especialista brotam informações, em tempo real, sobre tudo o que acontece no palco: os gestos dos atores, suas roupas, de que modo eles se movimentam, as mudanças de cenário e muito mais.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Livia Motta fazendo a narração do espetáculo. Foto: Helcio Nagamine/FIESP

Esse serviço é chamado de audiodescrição, recurso de acessibilidade que aumenta o entendimento de pessoas com deficiência visual em espetáculos e produtos audiovisuais.

“É um recurso muito importante para que eles tenham uma dimensão completa do espetáculo. Um musical é uma obra grandiosa, que tem cenário, figurino, tudo com uma riqueza muito grande de detalhes. E se não for a audiodescrição, eles vão perder tudo isso”, comenta Livia, doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Livia trabalha nessa atividade desde 2005. E a cada espetáculo se sente realizada de poder prestar esse serviço. “Para nós é a melhor parte ver as pessoas com deficiência visual rindo [das piadas das peças] e se emocionando junto com as outras pessoas.”

A iniciativa de agregar a audiodescrição em peças no Teatro do Sesi-SP é resultado de uma parceria entre a instituição e a Associação Amigos Pra Valer, fundada e coordenada por José Vicente de Paula, de 57 anos.

“A gente adora cultura. Vamos mostrando com isso que somos pessoas normais. A gente vibra com tudo”, assinala Vicente.

“Sem audiodescrição eu vou aproveitar 60%, que é o texto. Só que a gente perde todo o movimento de palco, os figurinos, o movimento de entra e sai, a troca de roupa. A audiodescrição é uma ilustração, completa os 100%”, explica.

Renato Leal, outro espectador com deficiência visual, detalha os momentos em que essa facilidade tornou melhor sua compreensão do espetáculo: “Quando eles entraram no avião; quando a Jane ficou na cama, que foi embutida; quando o Aldolpho pensou que estava fazendo amor com a noiva, mas estava fazendo amor com a madrinha da noiva. E outros mais.”

Mesmo tendo acompanhado outros musicais, a analista de gestão de pessoas Roseli Garcia, 41 anos, ficou encantada com  apresentação de “A Madrinha Embriagada” encenada no primeiro sábado de abril (05/04).

“As palavras bem entonadas são como luz. Ganham sentido naquele momento. É uma forma de poder assistir ao espetáculo e poder me incluir diante de todo o público”, resume Roseli.

O ator Edgar Bustamante guarda elogios para a experiência de apresentar-se para esse público. “Muito gostoso, muito tocante, perceber a reação deles, no final, todo mundo chorando.”

Segundo ele, o espetáculo com direção de Miguel Falabella mostra sua capacidade de arrebatar qualquer público. “Não tem diferença nenhuma. A gente tem que estar sempre pronto para agregar todo tipo de público, sem preconceito, sem qualquer tipo de discriminação. A gente fazendo com verdade, vontade e alegria certamente vai tocar todo mundo que estiver por perto.”

Depoimentos

Mario Luis Brancia, de 52 anos, agente de gestão – “É mais uma experiência de verdade da cultura inclusiva, em que todas as pessoas vão estar juntas e depois poder comentar. Por mais que a peça seja musical, a gente precisa dos detalhes, os gestos que ocorrem durante o espetáculo, como as pessoas estão vestidas, o movimento da dança. É um espetáculo de muita música e se a gente só ouvir, vai apreciar? Vai, mas fica pela metade. Fica incompleto. O recurso da audio descrição veio para verdadeiramente completar.”

Marilene Rodrigues de Paula, professora aposentada – “Estão incluindo a gente de igual para igual. A gente assistiu da mesma maneira, aproveitou da mesma maneira que eles aproveitaram. Foi sensacional. O Sesi-SP está de parabéns.”

Francisco Salvino Carvalho dos Santos, 16 anos, estudante – “Com a audiodescrição, a gente tem bastante noção do que está acontecendo.”

Roseli Garcia, 41 anos, analista de gestão de pessoas – “O espetáculo me deu muita alegria. O espetáculo é muito inteligente e muito alegre. É um espetáculo que não te cansa. O Sesi-SP tem muita iniciativa valiosa, tem muito valor. Leva as pessoas a assistir aquilo que não podem assistir.”

José Vicente, 57 anos, fundador e coordenador da associação Amigos Pra Valer – “O Sesi-SP, para mim, é um parceiro. É muito bom aqui por ser muito acessível, ao lado do metrô.”

Teatro Musical ganha noite de homenagem inédita na Paulista

Agência Indusnet Fiesp 

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizam, na segunda-feira (24/03) uma aula show comandada pelo ator e diretor Miguel Falabella para apresentar a primeira turma do curso de Formação de Atores em Teatro Musical, no Teatro do Sesi São Paulo, às 20h30. O evento, uma homenagem ao legado do teatro musical brasileiro, reunirá protagonistas de musicais que marcaram época e de produções em cartaz no Brasil. Os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada, a partir das 19h30, na bilheteria do Teatro do Sesi-SP, no dia do evento (24/3).

Durante o show, estarão atuando no mesmo palco Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello (Crazy For You), Laila Garin (Elis A Musical), Emílio Dantas (Cazuza), Danilo de Moura (Tim Maia), Saulo Vasconcelos (A Bela e a Fera), Sara Sarres (O Fantasma da Ópera), Kiara Sasso (A Noviça Rebelde), Paula Capovilla (Evita), Ester Elias e Marcos Tumura (Les Misérables), Amanda Acosta (My Fair Lady), Rachel Ripani, Andrezza Massei (Mamma Mia!), Cleto Baccic (Cats), Bianca Tadini (West Side Story), Cláudio Galvan (Império), Paula Capovilla (Evita) e o elenco de “A Madrinha Embriagada”.

Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Inédito no Brasil, o curso de formação de atores irá beneficiar a indústria brasileira de entretenimento por meio da formação de atores. O objetivo da iniciativa é combinar o desenvolvimento do potencial criativo dos alunos da rede Sesi de ensino, a capacitação profissional de atores e a formação de plateia para espetáculos de teatro musical.

Com o programa, o Sesi-SP alcança sua terceira meta no Projeto Educacional em Teatro Musical, iniciado em meados do ano passado.  Em agosto de 2013, a entidade apresentou o espetáculo gratuito “A Madrinha Embriagada” – já assistido por mais de 100 mil pessoas e em cartaz até junho de 2014 – e, semestralmente, oferece 390 vagas em oficinas de vivência em teatro musical em duas unidades da capital (Vila Leopoldina e A.E. Carvalho) e em Campinas, São Caetano e São José dos Campos.

Ao todo, são duas turmas, pela manhã e à tarde, com 32 alunos cada. O curso tem o objetivo de formar atores especializados em teatro musical, com habilidades de canto, dança e interpretação.

O programa tem como coordenador geral, Cleto Baccic, ao lado dos coordenadores de área (maestro Carlos Bauzys, música; Sara Sarres, canto; Vivian Albuquerque, corporal; Saulo Vasconcelos, interpretação; e Christina Trevisan, coordenadora pedagógica).

Programa do show

Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello – Crazy for you
Emílio Dantas – Cazuza pro dia nascer feliz, o musical
Sara Sarres – 
O Fantasma da Ópera
Saulo Vasconcelos – A Bela e a Fera
Bianca Tadini – West Side Story
Rachel Ripani e Andrezza Massei – Mamma Mia!
Cláudio Galvan – Império
Laila Garin – Elis, A Musical
Danilo de Moura – Tim Maia – Vale Tudo
Kiara Sasso – A Noviça Rebelde
Ester Elias e Marcos Tumura – Les Misérables
Amanda Costa – My Fair Lady
Cleto Baccic – Cats
Paula Capovilla – Evita


Serviço

Aula show com Miguel Falabella e homenagem ao Teatro Musical
Data e horário: 24 de março, segunda-feira, às 20h30
Local: Teatro do Sesi São Paulo e Espaço Fiesp I (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Classificação etária: 10 anos
Duração: aproximadamente 1h50

Entrada gratuita (os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada, a partir das 19h30, no dia do evento).

Cleto Baccic: emoção com o 1º curso técnico para atores de Teatro Musical do Brasil

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Pura emoção. Assim é o ator e produtor cultural Cleto Baccic. Na pele do gato roqueiro Rum Tum Tugger, no musical “Cats”, do romântico Harry Bright, de “Mamma Mia!” e do amante argentino Adolpho em “A Madrinha Embriagada”, ele arranca suspiros do público. O sucesso se justifica, já que Baccic não nega a sua grande paixão: o teatro musical.

Em outro palco, durante o lançamento do Projeto Educacional em Teatro Musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), em maio de 2013, ele também emocionou a plateia ao compartilhar o seu sonho: “Sonhar é elevar o intelecto humano e agir pelo bem das pessoas. O sonho que hoje compartilho com vocês é um ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social”.

Baccic: ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Baccic: ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Quase um ano depois de iniciado o projeto, com as aulas inauguradas nesta segunda-feira (10/03), ele fala, em entrevista exclusiva ao portal da Fiesp, sobre o importante momento vivido pelo teatro musical brasileiro:  o Brasil é o terceiro país produtor de espetáculos do gênero. E ainda sobre a sua imensa alegria por ajudar a criar o que ele considera ser “o primeiro Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical no Brasil”.

Veja, a seguir, a entrevista na íntegra:


De onde surgiu o desejo de criar o Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical com o Sesi-SP?

Cleto Baccic – Era um sonho antigo. Há alguns anos eu havia criado um programa de formação complementar para os alunos de uma escola pública em Severínia, no interior do estado de São Paulo, mas o projeto acabou não saindo do papel.

Esse sonho começou a tornar-se realidade quando encontrei o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, uma pessoa que, como eu, acredita que só por meio da educação e da promoção da cultura é possível fazer um país melhor para todos.  Daí surgiu a possibilidade de desenvolver algo específico para o Sesi-SP, o projeto tomou maior proporção e pude dar asas à minha imaginação.

E a ideia inicial já era esse Curso com ênfase profissionalizante?

Cleto Baccic – Em princípio, eu imaginei que, a partir do programa de formação complementar, poderíamos criar as Oficinas de Vivência em Teatro Musical do Sesi-SP. Mas isso não era tudo. Faltava um curso técnico que formasse atores completos, artistas que pudessem corresponder à demanda de mercado.

Vale lembrar que, com muito orgulho, somos, hoje, o terceiro país produtor de espetáculos musicais. Com isso veio a ideia de elaborar o Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical do Sesi-SP.

Em termos de público de espetáculos musicais ainda temos muito a caminhar, correto?

Cleto Baccic – Sim. E esse foi outro aspecto importante que não poderia ficar de fora do projeto para o Sesi. O objetivo também era criar políticas de acesso a espetáculos de teatro musical para a população menos favorecida. Assim, inserimos a montagem do musical “A Madrinha Embriagada”, que hoje já distribuiu mais de 92 mil ingressos gratuitos.

E qual foi o seu principal desafio para montar esse curso de formação específica para Teatro Musical?

Cleto Baccic – Na realidade, foram muitos os desafios, mas, graças à minha equipe, que trabalhou firmemente nos últimos 18 meses, concluímos cada etapa com muita satisfação.

O primeiro deles foi a total falta de referência sobre o que seria adequado às necessidades dos alunos brasileiros. Para nós não seria interessante copiar algum currículo estrangeiro e achar que serviria a nossa realidade.

Partimos para a pesquisa de campo na qual mais de 50 profissionais brasileiros de destaque no mercado foram entrevistados entre produtores, maestros, diretores, atores, bailarinos e cantores.

Vocês tiveram também alguma inspiração ou fizeram pesquisas nos grandes centros de referência internacional?

Cleto Baccic – Sim, claro. Parte da minha equipe foi para os Estados Unidos e para o Reino Unido para a pesquisa in loco. Visitamos cinco universidades norte-americanas e duas britânicas.

Mas, é importante que se diga que o Sesi-SP está lançando o “primeiro” Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical aqui no Brasil!  Isso porque o que encontramos em outras instituições de ensino são cursos livres ou técnicos em artes cênicas onde, eventualmente, se aprende algumas cadeiras relativas ao teatro musical.

No processo de construção do curso, você conseguiu reunir cinco experts de áreas diversas do teatro musical. Como você destacaria a contribuição de cada um deles?

Cleto Baccic – Tenho um super time! Esse projeto não aconteceria sem o empenho de cada um deles. Todos são mesmo experts em suas áreas. O maestro Bauzys tem larga experiência educacional e já dirigiu mais de dez musicais no Brasil. A Chris Trevisan é diretora de teatro e acadêmica com experiência em formatação de currículo de pós-graduação em artes cênicas. A Vivian Albuquerque tem sólida formação acadêmica e extensa prática educacional em dança. Saulo Vasconcelos e Sara Sarres são as duas maiores referências do teatro musical brasileiro, com larga experiência educacional em teatro e técnicas de canto.

O curso é de nível técnico e, obviamente, direcionado aos adultos. Você pode falar um pouco dessa escolha de formato e público?

Cleto Baccic – É preciso dizer que temos alunos de 18 a 50 anos em sala de aula, o que, para nós, é muito gratificante.  Por tratar-se de um curso de nível médio e por não querermos restringir o limite de idade, optamos por alunos maiores de 18 anos.

Eu creio que o currículo entregue ao Sesi-SP poderia ser diluído em quatro anos e se transformar em curso superior. Ele está adensado em três anos, com enorme riqueza e rigor de conteúdo pedagógico.

Baccic em cena como Adolpho em "A Madrinha Embriagada": paixão e reconhecimento. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Baccic como Adolpho em "A Madrinha Embriagada": paixão e reconhecimento. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


A carga horária é bem intensa e exigirá muito dos alunos e também dos professores. Você poderia nos dar uma visão de que tipo de aulas/professores os alunos terão?

Cleto Baccic – Eles terão aulas de segunda a sexta em dois períodos. Quanto às aulas, a nossa grade curricular contempla desde danças brasileiras até história do teatro clássico. Nossos professores são verdadeiros especialistas em suas áreas, todos foram indicados por minha equipe e submetidos aos crivos da Casa.

Os alunos que passarem por essa formação estarão aptos a desempenhar que tipo de atividade profissional e em quais áreas do mercado das artes ou do entretenimento?

Cleto Baccic –Como disse anteriormente, a nossa preocupação é com a formação do ator completo. Quanto mais recursos o ator oferece ao seu diretor é melhor, porque, assim, mais chances ele terá de conseguir uma colocação no mercado.

Na verdade, esperamos moldar o futuro do teatro musical brasileiro em uma nova etapa, na qual atores com formação mais estruturada estarão à disposição das produções.

E qual a sua expectativa pessoal quanto ao futuro desses alunos e desse curso?

Cleto Baccic – Nossa, me sinto como um pai que torce pelo crescimento do filho e pelo seu desenvolvimento profissional.

Mas, com todos os recursos oferecidos pelo curso, espero que eles saibam aproveitar essa oportunidade e que em breve possamos dividir a cena juntos!

Cumprindo meta, Sesi-SP dá início ao curso de formação de atores em teatro musical

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Esta segunda-feira (10/03) foi dia de começar a realizar sonhos no Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Com a primeira aula do curso profissionalizante de Teatro Musical, realizado na unidade da Vila Leopoldina, na capital, o Sesi-SP alcança sua terceira meta na área depois do lançamento do espetáculo gratuito “A Madrinha Embriagada” e do oferecimento de oficinas de Teatro Musical.

Os alunos do curso profissionalizante de Teatro Musical do Sesi-SP: dedicação. Foto: Tamna Waqued/Fiesp

Os alunos do curso profissionalizante de Teatro Musical do Sesi-SP: dedicação. Foto: Tamna Waqued/Fiesp


Ao todo, são duas turmas, pela manhã e à tarde, com 32 alunos cada. O curso tem duração de três anos, com o objetivo de formar atores especializados em teatro musical, com habilidades de canto, dança e interpretação.

Apesar da emoção da “estreia”, o profissionalismo não ficou de lado no primeiro dia de aula. O coordenador administrativo do curso, Cleto Baccic, começou o dia exigindo pontualidade e dedicação dos alunos. Ao lado dos coordenadores de área (maestro Carlos Bauzys; música; Sara Sarres; canto, Vivian Albuquerque, corporal; Saulo Vasconcelos, interpretação; e Christina Trevisan, coordenadora pedagógica), Cleto falou sobre a seriedade de um curso profissionalizante.

“Tenho muito orgulho de todos vocês que estão aqui, que foram selecionados com cuidado para fazer esse curso, mas agora é preciso profissionalismo e dedicação de cada um”, disse Baccic, que falou sobre horário, assiduidade e uso de material escolar.

Depois das explicações iniciais sobre o funcionamento do curso, os alunos foram para a primeira aula: danças brasileiras. Além de conhecer as danças que existem no país, os futuros talentos trabalham com conceitos de corporalidade, ritmo e musicalidade. Na primeira aula, o tema foi a ciranda pernambucana.

Na sequência, vieram as aulas de percussão corporal, teoria musical e canto coral. Os professores já colocaram os alunos para praticar e soltarem a voz. O resultado emocionou os coordenadores, que chegaram no fim da aula, com os profissionais da unidade da Vila Leopoldina.

Todas as artes

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Shayene (27 anos) e Gabriel (19): ambos apaixonados por teatro. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Selecionados entre mais de 800 inscrições, os alunos terminaram a aula com mais certeza de que querem seguir carreira no teatro musical. Shayene Freitas dos Santos, de 27 anos, estuda teatro desde os 9 anos e encontrou no curso oferecido pelo Sesi-SP a oportunidade de desenvolver seus talentos.

“Conheci a área musical em uma companhia teatral da qual eu participava, e montamos o espetáculo “Rent”. Descobri minha paixão, onde eu podia juntar todas as artes”, conta a aluna. “No Brasil, até então, não existia um curso como esse do Sesi-SP, muita gente estuda no exterior e eu não tinha condições. Essa oportunidade é uma benção.”

Shayene diz que o curso vai ajudar a preencher lacunas na sua formação artística. “Eu canto, mas não tenho uma formação técnica. Danço, mas não sou bailarina. E até no teatro, no qual já sou formada, sei que tenho muito para aprender”, afirma ela, que atualmente trabalha com eventos. “Estou muito focada no curso, que é um sonho sendo realizado.”

Brilho no olho

Outro apaixonado por teatro, Gabriel Vicente da Silva, de 19 anos, também se encantou pelos musicais.   “Com 12 anos, minha mãe já me encaminhou para o mundo do teatro porque percebeu minha aptidão, meu desejo, meu brilho no olho”, conta. “O teatro virou minha única fonte de renda e a minha inspiração na vida. Logo comecei a trabalhar com canto”, diz ele, que também foi aprender jazz e dança de salão.

Por meio da dança, ele foi para a China, trabalhando em diversos projetos artísticos. Na volta ao Brasil, soube do curso do Sesi-SP. “Consegui pegar o último prazo de inscrição, foi uma correria para fazer as audições, porque estava trabalhando no interior de São Paulo”, lembra. “A  cada audição na qual eu era aprovado, era uma felicidade. Porque eram muitas pessoas, com grande potencial, para poucas vagas”, diz Silva, que destacou a equipe de profissionais do curso, formados por pessoas que são referência para quem quer seguir a carreira. “O primeiro dia de aula já foi sensacional. Em um dia, recebemos tanto conteúdo que pareceu uma semana de curso. Imagine o que vamos aprender em três anos!”

Os melhores profissionais

Depois de estudar balé e fazer teatro amador na Paraíba, Waldírio Oliveira Castro, de 22 anos, decidiu vir para São Paulo em busca de aperfeiçoamento, em novembro de 2013. Em dezembro, encontrou no curso de teatro musical do Sesi-SP a oportunidade perfeita. “Na Paraíba, não há a cultura do ator se preocupar em dançar e cantar. Com o teatro, estudei balé, mas cantava só institivamente. Vim para São Paulo para estudar e encontrei o curso do Sesi-SP.”

Depois da primeira aula, Castro saiu ainda mais animado. “Os melhores profissionais de Teatro Musical estão aqui. A estrutura é ótima, estudaram muito para montar a grade. Somos privilegiados por estar no primeiro curso de formação técnica nessa área no Brasil.”

Estudante da Paraíba é aprovado no Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A seleção para o curso de curso de formação de atores em teatro musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) atraiu quase 1000 escritos para as suas 64 vagas. Inclusive gente que veio de longe, bem longe, com o objetivo de se preparar para um dia brilhar nos palcos. A lista de selecionados, divulgada nesta segunda-feira (20/01), teve entre outros, o do paraibano Waldirio Oliveira Castro, de 22 anos. O estudante saiu de João Pessoa para participar da disputa.

Ao todo, são 32 aprovados para a turma da manhã e 32 aprovados para a turma da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Orgulhoso da própria força de vontade, Waldirio Oliveira Castro conta que sonhou muito em fazer parte da primeira turma de atores em teatro musical do Sesi-SP. “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração. É isso que funciona”, conta.

Waldirio: . “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração. É isso que funciona”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Waldirio: . “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Os candidatos ao curso foram avaliados por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.

Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.

Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

>

De metalúrgico a tenor no curso de formação de atores em teatro musical do Sesi-SP

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Ele é metalúrgico de formação. Mas tem alma de artista e, a partir de agora, é nesse talento pessoal que pretende investir. Osni de Oliveira da Silva, de 29 anos, é um dos aprovados para o curso de formação de atores em teatro musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A lista de selecionados foi divulgada nesta segunda-feira (20/01).

Ao todo, são 32 escolhidos para a turma da manhã e 32 para a da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Segundo Osni Oliveira da Silva, a notícia da aprovação no curso foi recebida “com muita emoção”. Ao lado da mãe e do filho, o metalúrgico, atualmente desempregado, deixou a banca selecionadora encantada com a sua performance de tenor ao cantar a italiana ‘O Sole Mio’. “A partir de agora eu vou ser um artista completo”, comemorou.

Osni conquistou os selecionadores: “A partir de agora eu vou ser um artista completo”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Osni durante a seleção: “A partir de agora eu vou ser um artista completo”. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Orgulhosa pela conquista do filho, Elita Oliveira da Silva contou que o talento de Osni é uma herança dos avós e do pai, que cantavam na igreja. “Um dom que ele tem desde que nasceu”, disse ela.

Seleção rigorosa

O orgulho de Oliveira diante da aprovação no curso se justifica. Assim como os demais selecionados, ele foi avaliado por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi


Camareira é aprovada para o Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Ariane de Almeida Camargo Sá, de 21 anos, trabalha atualmente como camareira no musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo. Logo mais, poderá mostrar o seu talento não mais nos bastidores, mas nos palcos: ela foi uma das aprovadas para o curso de formação de atores em teatro musicaldo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A lista de selecionados foi divulgada nesta segunda-feira (20/01).

Ao todo, são 32 aprovados para a turma da manhã e 32 aprovados para a turma da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Envolvida no mundo dos musicais cinco dias por semana, em seu trabalho como camareira, Ariane diz que há tempos sonha em trocar de lado e subir no palco. Ao ser informada do curso do Sesi-SP diretamente pelo elenco da peça, ela não perdeu tempo e se candidatou a uma vaga no projeto.

“Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas, como cultura, quando eu me formar”, conta. “Passar do backstage para a frente do palco é um sonho que eu tenho há muito tempo”, completa, emocionada.

Ariane: “Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas, como cultura, quando eu me formar”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Ariane: “Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Os candidatos ao curso foram avaliados por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

“A Madrinha Embriagada”

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.

Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

Retrospectiva 2013 – Um ano para ser lembrado

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Foi um ano para não ser esquecido. E que há de ser lembrado com orgulho como um período de muitas conquistas para a indústria paulista. Passos importantes dados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) que você poderá relembrar, por área, nos textos das nossas retrospectivas, na seção Notícias do site.

Estão lá fatos como a vitória que foi a liminar concedida pelo Tribunal da Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), no dia 11 de dezembro, suspendendo o aumento do IPTU na cidade de São Paulo.

E tem mais: o Superior Tribunal de Justiça (STJ) indeferiu, no dia 18 de dezembro, em Brasília (DF), o pedido da Prefeitura de São Paulo para cassar a liminar que suspende o aumento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) no município. Com a decisão, o aumento do IPTU continua suspenso.

Também vale a pena ler de novo sobre a visita de chefes de estado como os presidentes François Hollande, da França, e Dilma Rousseff, do Brasil, à Fiesp, em 13 de dezembro. Na ocasião, o presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf, destacou a necessidade de estabelecer melhores relações comerciais entre os países.

“Presidente Hollande, para que possamos dar um passo à frente, é fundamental que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia prospere”, afirmou Skaf na ocasião.

Hora de reindustrializar o Brasil

No balanço de 2013, não pode ser esquecida uma das principais realizações do Departamento de Competitividade (Decomtec) da Fiesp foi colocar na pauta do debate político a importância da reindustrialização para o país.

No mês de agosto, foi realizado o seminário “Reindustrialização do Brasil – Chave para um projeto nacional de desenvolvimento”, um evento assistido por mais de 3 mil pessoas no qual especialistas discutiram propostas de políticas para reindustrializar e dinamizar a economia brasileira.

Ainda na seara do Decomtec, foi novamente divulgado um estudo para avaliar a posição de competitividade do Brasil dentro de um conjunto com 43 países (cerca de 90% do PIB mundial), o Índice de Competitividade das Nações (IC-Fiesp). 

Com resultados divulgados em novembro, o trabalho revelou que o Brasil ocupa, atualmente, a 37ª posição, liderada, nesta ordem, pelos EUA, Suíça e Coréia do Sul. Apesar de melhorar 1,1 ponto em sua nota, continuou no grupo de países com baixa produtividade, atrás do México, Tailândia e Filipinas.

Que 2014 seja melhor para a economia

Na área econômica, de acordo com o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, Paulo Francini, “2013 vai ficar no passado como um ano não agradável de ser lembrado”.

Isso porque a atividade industrial de São Paulo, medida pelo INA, deve encerrar o ano com ganho de 2,5%. Embora seja positivo, o crescimento não recupera as perdas registradas em 2012, quando a produção manufatureira paulista, na mesma medida, caiu 4,1%.

Ao longo do ano, o Depecon divulgou 11 índices de atividade industrial de São Paulo.  De janeiro a outubro de 2013, o INA registrou variação positiva de 2,8%.

O comportamento do setor manufatureiro em novembro e dezembro será conhecido no começo de 2014, quando a divulgação dos índices retoma a agenda. Mas Francini alerta que o resultado do ano está fadado a ser “medíocre”.

Educação para o desenvolvimento

As ações da indústria paulista na área de educação só ganharam força nos últimos 365 dias.

“Em 2013, as ações educativas realçaram o incentivo ao estudo da ciência e da tecnologia a partir do ensino fundamental e, posteriormente, no ensino médio”, disse o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves. “Esse aprendizado foi fortalecido nas oficinas e laboratórios. Assim, vamos ampliar a difusão da ciência, da tecnologia e de conceitos de engenharia e matemática também aos jovens do ensino fundamental”.

Segundo Vicioni Gonçalves, o Sesi-SP e o Senai-SP se empenham e seguirão empenhados na oferta de educação de qualidade, o que também é uma forma de “estimular o desenvolvimento econômico”. “Em 2015, teremos 90 mil alunos na educação fundamental em regime integral no Sesi-SP”, disse.

Investimento em cultura

O ano cultural foi marcado pelo lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical – que inclui o espetáculo ‘A Madrinha Embriagada’, dirigido por Miguel Falabella, diversas exposições e peças teatrais, mostras variadas na Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, apresentações musicais e debates.

Abaixo, os links de todas as retrospectivas publicadas no site da Fiesp. Boa leitura!

Ação Regional
Agronegócio
Biotecnologia 
Capital Humano
Competitividade
Construção
Couro, Calçados e Acessórios
Cultura
Defesa
Economia
Educação
Empreendedorismo
Esporte
Infraestrutura
Internacional
Jurídico
Meio Ambiente 
Mineração
Papel, Gráfica e Embalagem
Pequena e Média
Pesca
Petróleo e Gás
Qualidade de Vida
Relações Trabalhistas e Sindicais
Responsabilidade Social
Saúde
Segurança
Têxtil, Confecção e Vestuário


Retrospectiva 2013 – Um ano para entrar na história das produções culturais e artísticas

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

Uma agenda cultural agitada e variada. Na área cultural, o ano de 2013 foi intenso, com diversas exposições, espetáculos teatrais, apresentações musicais e bate-papo com personalidades da cena cultural no Inteligência PontoCom.

O ano também foi marcado pelo lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical – que incluiu o espetáculo ‘A Madrinha Embriagada’, dirigido por Miguel Falabella.

Segundo o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves, as ações culturais das entidades da indústria visam abarcar o maior número de pessoas. “O incentivo, fomento e difusão das diversas linguagens artísticas, democratizou o acesso de milhares de pessoas às manifestações culturais, destacando o Sesi-SP como uma das mais proeminentes entidades apoiadoras da arte e cultura no país”, ressalta.

Veja os destaques da área cultural ao longo do ano.


Agenda cultural em um clique

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499Uma das novidades para o público que acompanha as atrações do Centro Cultural Fiesp Ruth Cardosos e nos espaços culturais do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), espalhados por todo os estado, foi o lançamento do aplicativo mobile do Sesi-SP Cultura.

Gratuitamente o dispositivo disponibiliza, na tela do celular ou tablete, toda a programação cultural nas categorias Cinema, Dança, Exposições, Música e Teatro, em cartaz nas 54 unidades do Sesi-SP.

Teatro Musical e ‘A Madrinha Embriagada’

Uma iniciativa pioneira nas áreas cultural e de educação foi o lançamento, no mês de maio, foi lançando o projeto Teatro Musical.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Atriz Stella Miranda e integrantes do elenco de 'A Madrinha Embriagada' cumprimentam Paulo Skaf. Ao fundo, nas poltronas, Walter Vicioni e maestro João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro.

Na ocasião do lançamento, o presidente das entidades, Paulo Skaf, ressaltou que os investimentos que a indústria faz em cultura busca beneficiar o maior número de pessoas. “Educação é única forma de dar oportunidade a todos,” afirmou.

A iniciativa foi elogiada por representantes da classe artística – como as cantoras Fafá de Belém e sua filha Mariana Belém, os atores Tiago Abravanel, Rosi Campos e Odilon Wagner, entre outros que estiveram no lançamento. A novidade despertou também o interesse de estudantes e profissionais da área artística.

Com investimentos de R$ 12 milhões, bancados pelas entidades da indústria paulista sem utilização de leis de incentivo.

O projeto Teatro Musical contemplou oficinas de vivência em Teatro Musical, curso de formação de atores e a montagem do musical A Madrinha Embriagada”, que estreou em agosto e ficará 11 meses em temporada no Teatro do Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Oficinas de vivências no Centro Cultural Sesi Vila Leopoldina

As oficinas de vivências foram realizadas no mês de agosto, no Centro Cultural Sesi Vila Leopoldina, e deverão ser realizadas em outras unidades.  O curso de formação de atores terá início no mês de março de 2014, com duração prevista de três anos.

O ator Miguel Falabella, que dirigiu o musical “A Madrinha Embriagada” é fez a adaptação do premiadíssimo musical “The Drowsy Chaperone” é um grande entusiasta do projeto e considerou a iniciativa da Fiesp e do Sesi-SP sem precedentes na história dos musicais. “É a realização máxima de poder abrir a porta do sonho e da possibilidade para meninos como eu fui um dia. Tenho certeza que vários meninos vão sentar aqui na temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ e sair transformados”, afirmou.

O musical “A Madrinha Embriagada”, desde sua pré-estreia, foi marcado pela emoção.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Figuro impecável assinado por Fause Haten e elenco de grandes estrelas do musical brasileiro

Com figurinos de Fause Hauten, o espetáculo reúniu no palco uma orquestra com 15 músicos e um elenco composto por uma constelação de grandes nomes do teatro musical brasileiro, como Stella Miranda, Saulo Vasconcelos, Frederico Reuter, Sara Sarres, Paula Capovilla, Ivan Parente e Kiara Sasso.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499No dia 08 de novembro, o espetáculo comemorou a sua 100ª apresentação, com direito a bolo no palco e muita festa! Após um breve recesso de fim de ano, as apresentações retomam ao ritmo normal no dia 08 de janeiro e fica em cartaz até julho de 2014.

Com sistema de reserva on-line de ingressos, o espetáculo tem tido sucesso de público e crítica.

O projeto Teatro Musical  foi destaque na mídia nacional, como nos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo; e internacional, como o site Broadway World. E o espetáculo “A Madrinha Embriagada foi indicado Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como um dos melhores espetáculos teatrais de 2013.


Sucessos nos Teatros do Sesi-SP

No início do ano, o palco do Teatro do Sesi-SP teve uma estreia pra lá de especial: a peça teatral “A Viagem do Capitão Tornado”, dirigida por Leonardo Cortez e encenada por atores com Síndrome de Down do Grupo ADID de Teatro. Após a sessão gratuita, que emocionou a plateia, Leonardo Cortez e o elenco participaram de um bate-papo com o público.

O sucesso de público foi tanto, que a peça retornou ao palco do Teatro do Sesi-SP em abril. O espetáculo, que havia sido encenado em três cidades do interior paulista do Estado no ano passado, ganhou apresentação extra na capital paulista.


Inspirados na campanha do ator Ariel Goldberg para trazer o astro norte-americano Sean Penn à estreia do longa Colegas no Brasil, o elenco do grupo ADID de Teatro também criou sua própria mobilização (#VemAriel) para levar o próprio Ariel à estreia da peça  A Viagem do Capitão Tornado.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

O ator Cassio Scapin (em primeiro plano) é o narrador que faz o fio condutor da história

Em março, o musical ‘Lampião e Lancelote’  abriu temporada teateal no Teatro do Sesi-SP. A montagem, que teve direção musical de Zeca Baleiro, contou com a participação dos atores Cássio Scapin, Leonardo Miggiorin, Daniel Infantini e Vanessa Prieto.

Sucesso de público e de crítica, o espetáculo recebeu três prêmios Bibi Ferreira, ganhou Prêmio Arte Qualidade Brasil e, também, foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Cena da peça 'Crônicas de Cavaleiros e Dragões – O Tesouro dos Nibelungos'. Foto: Vivian Fernandez P

Para o público infanto-juvenil, o destaque da programação foi a montagem ‘Crônicas de Cavaleiros e Dragões – O Tesouro dos Nibelungos’, baseado na obra de Tatiana Belinky (1919-2013), que ficou em cartaz no Teatro do Sesi-SP da avenida Paulista de março a junho.

No mês de maio,  o espetáculo “Poema Bar” voltou ao palco do Teatro do Sesi-SP, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, com o ator Alexandre Borges declamando versos dos poetas Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa.

Encerrando a temporada de peças teatrais no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, “Fogo Azul de um minuto”, de Daniel Graziane, autor do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, ficou em cartaz no Espaço Mezanino, de agosto a dezembro, com entrada gratuita.  A direção foi de Zé Henrique de Paula e o elenco formado por atores do Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP Cultura.

Exposições

Os  espaços expositivos do Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso — a Galeria de Arte do Sesi, Espaço Fiesp e Galeria de Arte Digital — receberam, ao longo do ano, exposições nacionais e internacionais e de temáticas diversas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Exposição Fundição Artística no Brasil. Foto: Julia Moraes/FIESP

Como um presente à cidade de São Paulo, que comemorou os seus 459 anos no dia 25 de janeiro, a exposição Fundição Artística no Brasil, no mês de fevereiro, propôs uma visita pela história de quinze esculturas em bronze presentes no dia a dia do paulistano.

A mostra “Evita: paixão e ação” foi o destaque de maio no Centro Cultural Fiesp –Ruth Cardoso. Seis vestidos usados por Eva Perón,  além de acessórios e fotografias em situações diversas que expressam seu carisma,  estavam disponíveis durante a exposição.

A mostra ‘A Arte da Tapeçaria – Tradição e Modernidade’ reuniu, pela primeira vez no Brasil, 48 tapeçarias de Portalegre, do Alentejo. A região é conhecida por suas tapeçarias murais decorativas que reproduzem obras de pintores famosos, por meio de uma técnica manual. A mostra ficou em cartaz até março.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Paulo Skaf e ministro Aldo Rebello. Exposição tem 1.330 obras de arte. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A exposição “Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana”, na Galeria de Arte do Sesi-SP, que estreou em outubro, foi uma parceria entre o Sesi-SP e o Fomento Cultural Banamex, do México. A exposição trouxe 1.330 obras de arte. No total, foram mais de 2.300 peças de cerca de 600 artistas da América Latina, Espanha e Portugal.

Em novembro, foi inaugurada com a presença do Rei da Suécia, Carl XVI Gustaf, a exposição ‘O Prêmio Nobel – Ideias Mudando o Mundo’, mostra que celebrou os benefícios que as criações dos laureados com o Prêmio Nobel proporcionaram à humanidade. “Tais esforços ecoam e continuaram a ecoar para sempre”.

De cunho social, exposição fotográfica do projeto #Adotei, no mês de dezembro, reuniu 17 imagens de personalidades, artistas e anônimos com seus animais adotados. A iniciativa teve a participação ativista e protetora dos animais Luisa Mell e homenageou o Dia dos Direitos Animais;

No mês de abril, no Espaço Fiesp deu lugar à duas exposições alusivas ao mundo do esporte: a mostra interativa “Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte” e exibição de 48 fotos denominada “Olhar a toda prova”.

Arte digital 

A capital paulista sediou mais uma edição do principal evento de arte e tecnologia do Brasil, o 14º Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), que aconteceu durante o mês de julho. Os organizadores destacaram o estímulo à arte digital promovido pelo evento.


A programação ocupou quatro espaços no prédio da Fiesp, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso:  a Galeria de Arte, Galeria de Arte Digital Sesi-SP (que participou pela primeira vez do File, com a mostra File Led Show); o Espaço Fiesp I e o Espaço Mezanino,  além da estação Trianon-Masp do metrô, localizada em frente ao prédio. Com programação inteiramente, o principal evento de arte e tecnologia do Brasil promoveu também encontros com artistas, mesas redondas e workshops.

Um dos destaques da Galeria de Arte Digital do Sesi-SP do ano foi a  “Mostra Play!”, dedicada ao mundo dos games, exibida em março.  A edição reunindo trabalhos de consagrados criadores de videogames e abrindo espaço para a interação com o público, que pôde jogar clássicos na fachada do edifício-sede da Fiesp, ícone da arquitetura paulistana.

No mês de maio, por  celebração pelo ano Alemanha + Brasil 2013-2014, a Galeria de Arte Digital inaugurou a mostra “Brasil-Alemanha: Culturas Conectadas“.

“Vivacidades: Poéticas Socioambientais”, foi a atração do mês de setembro. De forma inédita, a mostra reuniu obras visuais e interativas, a fim de se comunicar quem passou pela Avenida Paulista sobre as ações do homem no meio ambiente.

Em novembro, foi inaugurada a segunda edição do SP_Urban Digital Festival, composta por animações, obras de arte interativas, vídeos e performances integradas a dispositivos visuais.

Para encerrar o ano, em exibição desde o dia 9 de dezembro, a Galeria de Arte Digital do Sesi-SP, apresenta uma programação especial de Natal e Ano Novo. As imagens ficam em exibição até o dia 2 de janeiro de 2014, na fachada do edifício-sede da Fiesp.

Além das mostras, o Sesi-SP também realizou, em junho, workshop sobre criação digital em telas urbanas multimídias. E, em outubro, oficinas gratuitas de arte multimídia.


Música e dança
 

A temporada 2013 do Sesi Música começou com uma atração internacional: a banda Budapest Bár, uma das mais expressivas da atualidade na Hungria. O repertório mesclou a música tradicional húngara ao pop, rock, jazz e tango – incluindo composições autorais e releituras de sucessos como “Milonga del Angel”, do compositor argentino Astor Piazzolla, e “Carinhoso”, do mestre Pixinguinha.


Em abril, o Grupo Patérnope, de música erudita, apresentou-se no Centro Cultural Fiesp. A Banda Sinfônica do Estado de São Paulo apresentou-se, em junho, no palco do Teatro do Sesi-SP, que também recebeu o ‘Quarteto Nó na Madeira’, em agosto.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Mais de 500 alunos participaram do coral de alunos dos Novos Núcleos de Música do Sesi-SP


Para encerrar o ano, ao menos 3.500 pessoas assistiram na noite de 14 de dezembro a uma apresentação da orquestra Bachiana Sesi-SP, sob regência do maestro João Carlos Martins, interpretando peças de compositores como Beethoven, Mozart e Villa-Lobos no Ginásio Municipal de Esportes Castelo Branco, em Araraquara. O evento contou com a presença de Paulo Skaf.

Na ocasião, o coral de alunos dos Novos Núcleos de Música do Sesi-SP, projeto que deve formar ao menos 22 orquestras de cordas até o final de 2014, apresentou-se pela primeira vez. O projeto inova pelo método Alla Corda, desenvolvido pelo violinista e educador Ênio Antunes. É o primeiro método nacional de ensino de instrumentos de cordas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Paulo Skaf retribui homenagem recevida do maestro João Carlos Martins

Além disso, 2013 foi um ano de homenagens da Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins, ao presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

Em fevereiro, Skaf recebeu uma placa de homenagem pelo incentivo das entidades da indústria paulista à cultura musical. Em março, recebeu uma placa de ouro durante apresentação na Sala São Paulo. Em novembro, nova homenagem durante a última apresentação da Bachiana na capital paulista, no Masp.

O fim de ano também contou com o projeto Concertos Natalinos – somam dez no total -, do Sesi-SP, na esplanada do edifício-sede da Fiesp.

A segunda edição do Encontro de Dança do Sesi-SP, realizado em São José do Rio Preto, em outubro, reuniu cerca de 630 alunos de 31 unidades do Sesi-SP.

Outubro foi marcado pelo Festival Sesi Música 2013 – Edição São Paulo, concurso estadual direcionado aos trabalhadores da indústria paulista. O evento contou com show de Chico Cesar, no Teatro do Sesi-SP, em Campinas.


Videoarte e Cinema

O Sesi-SP e a Fundação Bienal de São Paulo anunciaram, em abril, o lançamento da 1ª Bienal no Sesi-SP: Mostra Itinerante de Videoarte.

De maneira inédita, a 1ª Bienal no Sesi-SP: Mostra Itinerante de Videoarte foi exibida simultaneamente em 55 unidades do Sesi-SP pelo estado, permitindo que mais pessoas tivessem acesso a essa seleção de obras contemporâneas. E, no segundo semestre, foram realizadas atividades nas unidades móvel de arte e cultura do Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Cao Hamburguer: prêmios de melhor diretor e melhor filme por 'Xingu' no IX Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Ao longo de todo ano, o Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso recebeu diversas mostras de cinema. Em maio, exibiu filmes do cinema francês; em junho, realizou um festival de curtas; e em dezembro, exibiu a mostra inédita de cinema alemão.

De agosto a outubro, realizou-se uma mostra gratuita e itinerante de cinema, com sessões semanais e entrada gratuita, em 53 unidades do Sesi-SP, com exibição de oito filmes finalistas da edição 2013 do Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema. Além disso, de junho a agosto ofereceu a mostra “Cinema e Trabalho”, um projeto que envolveu 52 unidades na capital e no interior do Estado.

Os grandes vencedores do IX Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema, anunciados em junho, foram os filmes “Xingu”, que recebeu prêmios em três categorias: longa-metragem de ficção, direção (Cao Hamburguer) e trilha sonora, e “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, também com tripla premiação: atriz (Camila Pitanga), ator coadjuvante (Zé Carlos Machado) e fotografia (Lula Araújo).

A cerimônia de premiação contou com a presença de personalidades do cinema nacional.

Debates sobre cultura e arte  

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Uma expedição ao lado de Amyr Klink no InteligênciaPontoCom. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

A programação “Inteligência PontoCom” trouxe bate-papos mensais entre o público e principais criadores e pensadores das artes, cultura, sociedade e mundo. Nomes expressivos da literatura, artes visuais, cinema, filosofia, sociologia, esporte, teatro e música participam dos fóruns.

Passaram pelo InteligênciaPontCom, em 2013, a diretora Beth Lopes e do autor e dramaturgo Paulo Rogério Lopes. o poeta Sergio Vaz, criador do Sarau da Cooperifa, os cineastas Gregorio Bacic e Ugo Giorgetti  Maria Thereza Vargas, especialista na obra de Cacilda Becker, foi a convidada de setembro.

Chacal convidou o público a experimentar a diferença entre a poesia escrita e a poesia falada, em outubro; e o rapper Emicida e o jornalista Paulo Terron, e o navegador Amyr Klink. 

Literatura

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Obras das editoras Sesi-SP e Senai-SP indicadas ao Prêmio Jabuti

A Sesi-SP Editora e Senai-SP Editora realizaram diversos lançamentos ao longo do ano, com destaque para o livro “Programa Sesi-SP Trilha dos Saberes”, de Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP),  em dezembro, na Livraria Cultura no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista.

O grande feito das editoras, foram os cinco títulos indicados ao Prêmio Jabuti, o mais tradicional e conhecido na área de literatura no Brasil. Além disso, as editoras promoveram duas feiras do livro. A primeira, em maio; e a segunda, em novembro.

‘A Madrinha Embriagada’ está no ranking dos melhores espetáculos do ano, anuncia APCA

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540042499

Elenco, equipe e produção posam para foto oficial da 100ª apresentação de "A Madrinha Embriagada", ocorrida em novembro. Foto: Ayrton/Vignola/Fiesp

A Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) indicou a comédia musical “A Madrinha Embriagada” – iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) – está entre os melhores espetáculos teatrais de 2013.

O Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP também foi indicado ao Prêmio Especial. A peça com direção de Miguel Falabella é parte integrante da ação multidisciplinar do Sesi-SP como instrumento de formação de plateia.

Em cartaz no Teatro do Sesi-SP, no Centro Cultural Fiesp, “A Madrinha Embriagada” já foi assistida por mais de 46 mil pessoas. Em 2013, a peça fica em exibição até o dia 22/12 e retoma as atividades no dia 8 de janeiro de 2014.

A entrada do espetáculo é totalmente gratuita e as reservas são feitas via internet, mas o público ainda tem como alternativa disputar os 50 ingressos que são distribuídos a partir da abertura da bilheteria do teatro (quarta a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h) no dia do espetáculo. Há ainda convites não retirados, que são liberados 15 minutos antes de as sessões começarem.

As reservas para janeiro de 2014 podem ser feitas a partir do dia 20 de dezembro no site do Sesi-SP.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’
Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

‘A Madrinha Embriagada’: musical em cartaz no Centro Cultural Fiesp é elogiado em crítica da Folha de S. Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O jornal Folha de S. Paulo, publicou, nesta quinta-feira (05/12), no caderno Ilustrada, crítica elogiosa ao musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista, e financiado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A peça foi adaptada e dirigida por Miguel Falabella a partir do espetáculo canadense “The Drowsy Chaperone”.

Em seu texto, o crítico Marcio Aquiles destaca o tom de paródia da trama e afirma que “Falabella se sai bem ao transpor a história para São Paulo. Adapta nomes e lugares, brinca com sotaques paulistas e regionaliza o enredo sem fazê-lo perder o charme”.

Os figurinos, assinados pelo estilista Fause Haten, também mereceram elogios: “O belo figurino de Fause Haten tem trajes femininos com silhuetas tubulares e cós baixo, fidedignos ao vestuário do final da década de 1920”.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, típicas dos anos 1920. Foto: Everton Amaro/Fiesp


E isso não foi tudo: o elenco também foi destacado. “Além de técnica vocal, o elenco tem versatilidade. Frederico Reuter canta, dança, sapateia e anda de patins. Cleto Baccic destaca-se com uma interpretação hilária para Aldolpho, conquistador argentino cheio de trejeitos.”

Para ler a crítica completa, só clicar aqui.

“A Madrinha Embriagada” é um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’
Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

‘A Madrinha Embriagada’ é destaque em site de teatro internacional

Agência Indusnet Fiesp

O musical “A Madrinha Embriagada”, produzido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi destaque no site Broadway World (www.broadway.com), um dos maiores site de teatro do mundo, que reúne dicas de peças e musicais que acontecem em diversos lugares.

A matéria, escrita Marilia Di Dio e Michelle Camhaji, criadoras do site Cena Musical – dedicado exclusivamente à musicais brasileiros – chama atenção para a iniciativa do Sesi-SP de viabilizar o espetáculo de forma gratuita para o público e também ressalta a qualidade do elenco envolvido na produção.

O espetáculo “A Madrinha Embriagada” é uma adaptação feita por Miguel Falabella do premiado musical da Broadway “The Drowsy Chaperone”. O espetáculo estreou no dia 17 de agosto no Teatro Sesi-SP e já completou mais de 100 apresentações.

Em 2013 o público poderá conferir a produção até o dia 22 de dezembro, domingo. O espetáculo volta a ser apresentado em 2014, no dia 8 de janeiro, quarta-feira. Sempre com entradas gratuitas no Teatro Sesi-SP.

Para assistir, é preciso fazer reserva on-line dos ingressos pelo site Meu Sesi. As apresentações de janeiro só terão ingressos disponíveis a partir de 20 de dezembro.

Clique aqui para ler a publicação sobre o musical no Broadway World.