A democratização da cultura

A democratização da cultura

Paulo Skaf 

Construir uma sociedade independente, livre e democrática passa pela qualidade da educação que todos recebem desde a infância. É nisso que a indústria acredita. Por isso investe em escolas que têm como prioridade o cidadão. Escolas que unem o ensino à arte, à música, ao teatro, ao esporte e à ciência.

Nós acreditamos que a educação só é completa quando o cidadão tem a oportunidade de conhecer outras expressões de arte, pois elas trazem conhecimento e estimulam as pessoas a fazer diferente, a ousar, a criar.

Quando formamos a orquestra Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins,  levamos à população a oportunidade de ver os mais variados concertos de música clássica. Foi um estrondoso sucesso. Só em 2012, a orquestra foi vista por mais de três milhões de pessoas.

Nos teatros e anfiteatros das escolas do Sesi-SP, sempre estimulamos as apresentações de grupos profissionais e amadores que pudessem disseminar cultura e informação entre nossos alunos.

Dentro dessa filosofia, criamos o Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical, com o objetivo de oferecer aos alunos oficinas de vivência, capacitar atores para os musicais e também formar plateia para espetáculos deste gênero.

A estreia do musical “A Madrinha Embriagada”, dirigido por Miguel Falabella, no sábado passado, veio coroar esse importante movimento da indústria para oferecer à população o que há de melhor em cultura.

Durante onze meses, mais de 150 mil pessoas poderão assistir gratuitamente a um espetáculo que até agora estava restrito apenas aos que podiam pagar. Estamos mudando este cenário. Agora os musicais estarão ao alcance de todos. Isso é democratizar a cultura! Você é nosso convidado. Acesse o site www.sesisp.org.br/ingressomadrinha e reserve o seu ingresso.