Em artigo, Paulo Skaf relembra os 90 anos do rádio

Agência Indusnet Fiesp

“É o amigo certo do brasileiro, onde quer que ele esteja nos quatro cantos do mundo!”. Desta forma, o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, definiu o rádio.

Em artigo publicado nesta segunda-feira (1/10) no Diário de S. Paulo e em jornais da Rede Bom Dia, Skaf também faz sua homenagem aos profissionais de radiodifusão, relembrando a importância social deste que é um dos meios de comunicação de maior alcance no país. “É o primeiro a dar as notícias e proporciona conhecimento, música, entretenimento e emoção”.

“Agora, com a internet, o rádio rompeu todas as fronteiras, tornando-se global. Depois de 90 anos, é o amigo certo do brasileiro, onde quer que ele esteja nos quatro cantos do mundo! Parabéns a todos que fazem do rádio a razão de ser de suas vidas, informando e prestando serviços à sociedade”, diz o presidente das entidades.

Clique aqui para ler o artigo publicado no jornal.

90 anos de rádio

90 anos de rádio

Paulo Skaf

A partir da primeira transmissão no Brasil, há 90 anos, em 7 de setembro de 1922, nas comemorações do Centenário da Independência, o rádio tornou-se fundamental. Informa, presta serviços, é o primeiro a dar as notícias e proporciona conhecimento, música, entretenimento e emoção.

A pioneira transmissão, em equipamento da Westinghouse Eletric International instalado no Corcovado, na Cidade Maravilhosa, foi de um discurso do então presidente da República, Epitácio Pessoa. A primeira emissora do país é de 1923: a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada por Roquete Pinto.

O rádio comercial surgiu em 1932, com a regulamentação da publicidade. Na década de 30, fundaram-se várias das emissoras importantes que ouvimos atualmente. Nas décadas de 30 e 40, surgiram os antológicos programas de música popular e os de auditório, ídolos como Carmem Miranda, Linda Batista e Orlando Silva e as novelas (a primeira foi “Em Busca da Felicidade”, na Nacional).

Em 28 de agosto de 1941, às 12h55, entrava no ar, na Rádio Nacional, a edição inaugural do Repórter Esso, marco do radiojornalismo, hoje um dos principais meios de informação. No histórico programa, o locutor Romeu Fernandes anunciava o ataque da Real Força Aérea Britânica (RAF) à Normandia, na Segunda Guerra.

Com a chegada da TV, em 1950, dizia-se que o rádio acabaria. Pelo contrário! Ficou mais forte, desenvolvendo sua vocação para prestar serviços e explorando a imbatível agilidade de noticiar. Cada nova tecnologia, como os telefones celulares, é utilizada com inteligência para tornar as emissoras mais eficientes.

Agora, com a internet, o rádio rompeu todas as fronteiras, tornando-se global. Depois de 90 anos, é o amigo certo do brasileiro, onde quer que ele esteja nos quatro cantos do mundo! Parabéns a todos que fazem do rádio a razão de ser de suas vidas, informando e prestando serviços à sociedade.