Olimpíada do Conhecimento: veja quem no Senai-SP recebeu medalha de prata e de bronze e diplomas de excelência

Agência Indusnet Fiesp

Alunos do Senai-SP comemoram. Foto: Everton Amaro.

Na contagem do quadro principal de medalhas da 7ª Olimpíada do Conhecimento, os alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) conseguiram oito medalhas de prata e cinco de bronze, além de oito diplomas de excelência, concedidos a todos que atingiram mais de 500 pontos.

Veja os nomes dos medalhistas por ocupação (em ordem alfabética) e, ainda, outros medalhistas cujas conquistas não são contadas no quadro principal da competição para a definição das posições dos estados.

Quadro principal – Medalhas de prata

. Tornearia CNC – José Augusto Costa Ferreira (525 pontos)
. Pintura Automotiva – Erik Soares dos Santos (470 pontos)
. Funilaria Automotiva – Lucas Moreno Claro (470 pontos)
. Sistema de Construção Drywall – Rafael Lucas da Silva (520 pontos)
. Mecânica de Refrigeração – Felipe Barbosa Benicio (533 pontos)
. Caldeiraria – Kleber da Silva Santos (521 pontos)
. Mecânica de Manutenção – Emerson Costa Santos (548 pontos)
. Instrumentação e Controle de Processo – Henrique Lopes Peres (527 pontos)

Quadro principal – Medalhas de bronze

. Impressão Offset –Priscila Feriato da Silva (515 pontos)
. Eletrônica Industrial – Cleisson Tavares Brito (526 pontos)
. Tecnologia da Moda – Natália Silva de Santana (516 pontos)
. Estruturas Metálicas – Luiz Carlos Ferreira Junior (510 pontos)
. Metrologia Dimensional – Bruno de Jesus Souza (518 pontos)

 

Quadro principal – Diplomas de excelência

. STI – James Ferreira da Silva (507 pontos)
. Soldagem – Marcos Antonio da Silva Cavalcante (526 pontos)
. Aplicação de Revestimento Cerâmico – Láisa Melânye Martelini (510 pontos)
. Eletricidade Predial – Danilo Kazuhire Shimoda (518 pontos)
. Construção em Alvenaria – Allan Jefferson da Silva Barbosa (511 pontos)
.Confecção de Roupas – Perla Ramirez (524 pontos)
. Segurança do Trabalho – Amanda de Melo Freitas Miranda (511 pontos)
. Panificação – Wemerson Aparecido de Oliveira Silva (502 pontos)

Outras medalhas e diploma

Prata
. Tecnologia em Edificações – Equipe São Paulo (470 pontos)
.  Tecnologia em Edificações – Construção em Alvenaria – Amanda Marie Ribeiro dos Santos (470 pontos)
. Tecnologia em Edificações – Carpintaria – Victor Hugo Silva Flores (470 pontos)
. Tecnologia em Edificações – Aplicador de Revestimentos Cerâmicos – Nícolas Nogueira de Araújo (470 pontos)

Bronze
. Mecânica de Automóveis (Competidores cadeirantes) –
Josemar Mota Sales (516 pontos)

Diploma de excelência
. Panificação (Competidores com síndrome de down) –
Edmilson Luiz Lourenço da Silva (513 pontos)

Olimpíada do Conhecimento: em competição ‘masculina’, única moça na robótica móvel sonha com Leipzig

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Quem acompanhou a robótica móvel na Olimpíada do Conhecimento 2012, evento realizado de 14 a 17 de novembro no Anhembi, em São Paulo, dificilmente deixou de notar as expressões de Débora Batista da Silva. Ora apreensiva, ora ansiosa, ora aliviada, mas sempre concentrada, a jovem de 18 anos foi a única representante feminina na área de competição – inclua-se nessa conta os avaliadores, todos homens.

A dupla paulista Alexandre de Freitas e Débora Batista planejam apresentação. Foto: Everton Amaro.

Débora e o colega Alexandre de Freitas, ambos alunos do curso da Escola Senai Roberto Simonsen, no Brás, zona leste de São Paulo, formam a dupla que representou o estado na modalidade.

A expectativa dos campeões paulistas é de uma medalha de ouro na cerimônia programada para o final da tarde deste domingo (18/11), em Barueri, na grande São Paulo. Os principais oponentes, de acordo com um dos avaliadores, são dois rapazes de Minas Gerais.

A competição

Alexandre, sentado, cuida da programação, e Débora, do robô, durante apresentação. Foto: Everton Amaro.

A cada dia de disputa – e foram quatro –, os dois jovens do Senai-SP competiram com duplas de outros oito estados.

Na robótica móvel, os competidores recebem uma situação-problema para análise e solução. Interpretando a documentação técnica, precisam desenvolver um sistema robótico, instalando, integrando e mantendo dispositivos mecânicos, pneumáticos e eletrônicos e, claro, desenvolver a programação do robô, implementando soluções com o uso de sistemas de visão.

Débora cuida da parte mecânica e Alexandre, da programação. Antes de levar o robô para apresentação na pista, diante de uma banca de avaliadores, os alunos da Escola Senai Roberto Simonsen simulam a trajetória da engenhoca em aplicativos e fazem testes, correções e ajustes.

O objetivo é “gabaritar” a tarefa sorteada. Ou seja, não cometer erros na execução.
Aos olhos leigos, a missão remete ao dia a dia logístico em um centro de distribuição industrial. O robô precisa transportar – e às vezes empilhar – pequenas peças de madeira de um lado para o outro em uma pista de MDF de aproximadamente 3 metros por 1,5m.

Enquanto Débora cuida do equipamento na pista, inclusive segurando um  cabo, Alexandre monitora tudo via notebook.

Na missão de sábado (17/11), engenhoca transporta peças de madeira para lado oposto no menor tempo possível. Foto: Everton Amaro.

O procedimento exige precisão. Além de transportar as peças na ordem indicada, o robô deve evitar colisões com as bordas da pista e deve começar e concluir o percurso por uma das faces de um quadrado central. Em algumas provas, a velocidade é outro critério avaliado. São três exibições a cada dia.

Do lado de fora, Philipe Borges, de 21 anos, namorado da moça e colega de faculdade, torce com as palmas das mãos coladas, rezando. Ao ver que tudo deu certo no último circuito da competição, comemora com outros colegas da dupla.

Treinamento intenso

Philipe Borges, namorado de Débora, torce sem disfarçar a tensão. Foto: Everton Amaro.

Para atingir a perfeição, Débora cumpriu estoicas 40 horas semanais de treinamentos a partir de novembro de 2011, quando ela e Alexandre ganharam o Estadual e o passaporte para a Olimpíada do Conhecimento em nível nacional. A dedicação foi tanta que ela chegou a trancar a faculdade – está no segundo semestre do curso superior de Mecânica do Precisão da Faculdades de Tecnologia de São Paulo (Fatec).

Mesmo assim, o nível de dificuldade da competição a surpreendeu. “A prova de sexta-feira foi bem mais difícil do que qualquer coisa que a gente viu no treinamento. Está tudo novo”, diz a estudante.

Mas o esforço não é em vão, segundo ela. “Com certeza está valendo a pena. O ambiente que a gente tem aqui [na Olimpíada] é muito bom.”

Seu sonho é participar da edição mundial da WordSkills que será realizada em março de 2013 em Leipzig, na Alemanha. E se a conquista vier, a promessa é de mais dias, semanas e meses dedicados aos treinamentos.

O objetivo é o ouro mundial? – questiona a reportagem.

“Com certeza”, responde, confiante, a moça.

Sonho da dupla é ir para Leipzig. Foto: Everton Amaro

 

Olimpíada do Conhecimento mostra que ensino profissionalizante é para todo mundo, diz diretor regional do Senai-SP

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O professor Walter Vicioni Gonçalves, diretor regional do Senai-SP e superintendente do Sesi-SP, concedeu entrevista à Agência Indusnet Fiesp logo após a visita da presidente da República Dilma Rousseff ao Anhembi, local da 7ª Olimpíada do Conhecimento.

Leia os principais trechos:

Importância da visita da presidente Dilma à Olimpíada do Conhecimento

Walter Vicioni: 'Eu queria ver 54 alunos nossos no pódio. São Paulo está buscando isso'

“Num país em que o sistema produtivo, na sua origem, era um sistema escravocrata, e que os trabalhos manuais eram para escravos, acho muito significativo. Valoriza a formação profissional. Que a gente consiga definitivamente acabar com esse preconceito, que é o do país da cultura dos engenheiros, dos cursos superiores. Sinto que a presença dela [presidente Dilma] e a própria realização da Olimpíada, que nós fazemos aqui no Estado, é de fato a valorização das profissões, do trabalho bem feito. É fundamental para os indicadores e para a formação profissional brasileira. Que saia um pouco dessa coisa, da hierarquia da educação. O ensino profissionalizante é para todo mundo.”

Discurso da presidente Dilma sobre parceria com Sistema S

“No comentário dela, mais importante do que a questão da parceria, dos números, é uma oferta de formação profissional orientada para o mercado do trabalho. Porque se formar para o desemprego é desperdiçar dinheiro. Acho que ela tem um entendimento claro de que há que ter uma correlação positiva entre a necessidade do sistema produtivo brasileiro – e não só da indústria, mas do sistema financeiro, do comércio – e essa necessidade ser atendida por um processo de planejamento. Ou seja, uma formação profissional orientada em função dessa demanda. O Brasil, com essa dimensão, precisa de grandes números, mas se esses números estão sintonizados com essas necessidades, os recursos serão bem gastos. Vai ser uma relação muito positiva, com retorno extraordinário para o desenvolvimento econômico brasileiro.”

Expectativa de resultado

“São 54 ocupações [640 estudantes de cursos técnicos e profissionalizantes competem em 50 ocupações industriais e quatro do setor de serviços]. Eu queria ver 54 alunos nossos no pódio. São Paulo está buscando isso. Sempre tivemos bom desempenho, mas, com a motivação de nossos alunos, a expectativa é que a gente amplie nossas medalhas de ouro e nossa participação. O que defini com nosso pessoal técnico é o seguinte: que a equipe brasileira em Leipzig [na Alemanha, sede da edição 2013 da World Skills, maior torneio mundial de educação profissional], seja formada por ‘senaianos’ de Sâo Paulo”.

Paulo Skaf

“O presidente Paulo Skaf tem sido uma pessoa extraordinária. Eu sempre digo que ele acaba recriando o orgulho das pessoas que fazem o Senai e que fazem o Sesi. Ele tem uma sensibilidade extraordinária para a educação e a formação profissional.”

Entusiasmo dos participantes

“É o que nos anima, o combustível do dia a dia. É pena que não possamos ter todos eles aqui. Eu me sinto muito bem. Gosto de ver essa alegria.”

Presidente Dilma dá início às provas da Olimpíada do Conhecimento nesta quarta-feira, 14/11

Agência Indusnet Fiesp, com informações do Senai

A presidente Dilma Rousseff abre na manhã desta quarta-feira (14/11),  no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo, as provas da 7ª Olimpíada do Conhecimento.

Trata-se da maior competição entre estudantes de educação técnica e profissional das Américas, realizada até 18 de novembro, no local, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Durante a visita, Dilma tem na agenda a assinatura de um protocolo oficial ratificando São Paulo como cidade sede da competição WorldSkills International. Em 2015, o Brasil receberá estudantes de nível técnico de mais de 50 países de todos os continentes para provas semelhantes às que acontecem agora.

Até o fim desta semana, 640 estudantes de cursos técnicos e profissionalizantes competem em 50 ocupações industriais e quatro do setor de serviços. Entre eles, 36 estão inscritos em modalidades para pessoas com deficiência: nove disputam em costura para surdos; 10 em panificação para pessoas com síndrome de Down; sete em mecânica de automóveis para cadeirantes; e dez em tecnologia da informação para deficientes visuais.

Nas provas elaboradas com base nas qualificações exigidas pelo mercado de trabalho e nos avanços tecnológicos, os competidores precisam resolver situações semelhantes às que enfrentariam no ambiente real de trabalho. Todos são avaliados em diferentes quesitos e vencem o torneio os alunos que conseguem as melhores notas. Os vencedores que vão representar o Brasil no WorldSkills, maior torneio mundial de profissões que, em 2013,  será realizado em Leipzig, na Alemanha.

O desempenho dos alunos, todos com até 21 anos, forma um conjunto de indicadores que o Senai utiliza para orientar a atualização dos currículos nas suas escolas.

Eventos simultâneos destacam inovação

No mesmo período da realização das provas, o público visitante pode acompanhar uma série de atividades no Pavilhão do Anhembi que apresentam tecnologias adotadas pela indústria brasileira. Confira:

Inova Senai: mostra de 50 projetos inovadores com soluções para indústrias desenvolvidos por alunos, técnicos e professores do Senai. A exposição fica aberta à visitação pública nos dias 14, 15 e 16 de novembro. Entre os inventos, há soluções para manejo de resíduos da indústria, automação para aumentar a acessibilidade de pessoas com deficiência, uso de materiais recicláveis na construção civil e novos produtos alimentícios e cosméticos. A exposição fica aberta das 9h às 18h.

Torneio de Robótica: no desafio Senior Solutions, tema da temporada 2012/2013 da FIRST® LEGO® League (FLL), o objetivo dos times é propor soluções inovadoras para manter a qualidade de vida das pessoas na terceira idade. Nos dias 14, 15 e 16, acontecem competições das 10h às 17h. As finais serão no dia 16, a partir das 14h50.

Futebol de robôs: WRO Gen II Football é a mais nova competição internacional de futebol de robôs. Oito times do ensino médio do Sesi-SP, com três integrantes cada, disputam partidas de futebol com 10 minutos de duração. Cada time deve construir dois robôs autônomos (um goleiro e um atacante) utilizando apenas os kits de tecnologia LEGO® Mindstorms. As competições começam às 9h40 do dia 14 de novembro e seguem até as 12h20. No dia 15, a manhã está reservada para treinos livres. As partidas começam ao meio dia. Às 15h, haverá apresentação da equipe Sesi-SP, que esteve em Kiev, capital da Ucrânia, e garantiu, no gol de ouro, o 4º lugar na categoria para o Brasil. As finais e a premiação serão no dia 16 de novembro a partir das 13h30.

Desafio de Resgate: um robô simula o comportamento de um bombeiro no resgate de vítimas de um incêndio. Cabe a ele entrar no ambiente, e, de forma autônoma, desviar de escombros, transpor áreas obstruídas e ajudar a resgatar as vítimas. Dez times do ensino médio do Sesi-SP, com quatro integrantes cada, disputam as provas. As competições começam às 10h do dia 14 de novembro e seguem até as 14h40. No dia 15, haverá treinos livres pela manhã e provas a partir do meio dia. Às 14h do dia 16 de novembro será o desafio surpresa e, logo depois, a premiação.

Indústria do Futuro: exposição didática que apresenta ao público uma mostra das tecnologias utilizadas nas diversas fases do ciclo de vida do produto industrial. Numa área de mil metros quadrados estarão os cinco estágios da produção ao longo das últimas décadas: Desenvolvimento do Produto, Prototipagem, Linha de Produção, Robótica e Metrologia.  A cronologia das tecnologias considera como início a década de 1970, com base na produtividade, culminando com um espaço sobre o papel da indústria do futuro, com a busca de soluções em automação com mínima ou nenhuma interferência humana, a partir da montagem de uma aeronave. O projeto utiliza dois robôs que manipulam a fuselagem da aeronave, para alinhar as peças. A exposição fica aberta de 14 a 17 de novembro, das 9h às 18h.

Educação para o Futuro: o visitante vai embarcar em um trem cenográfico e vivenciar uma viagem pela história da educação profissional desde a década de 1940 até o futuro. Ao entrar no espaço, uma projeção mistura elementos de computação gráfica, animação, edição de vídeos históricos e montagens fotográficas. O trem viajará pelas sete décadas do Senai, a principal instituição de formação profissional para a indústria. Ao saírem do trem, os visitantes desembarcarão em uma mostra que apresentará ferramentas de ensino do futuro, com destaque para os equipamentos tecnológicos que ilustram a visão do Senai e Sesi para a educação profissional. Visitação aberta de 14 a 17 de novembro, das 9h às 18h.

Cyber Senai: espaço reservado a palestras e exposição do acervo do Senai. Nesse ambiente será possível interagir com tecnologias educacionais, como realidade aumentada e simuladores. Há programação de palestras: Biografia de Jorge Amado e imagem do Brasil na obra de Jorge Amado, no dia 14 às 15h30; Como a robótica mudou a minha vida, dia 15, às 16h; Projeto Nanomumdo, no dia 16, às 11h; Os cinco sentidos na gastronomia, no dia 16, às 14h30; Geração Y: os leitores do futuro, no dia 17, às 11h; apresentação cultural com músicos da Orquestra Filarmônica Senai-SP, no dia 17, às 16h.

Campeonato Mundial de Jovens Confeiteiros: 14 participantes (dois da Alemanha, dois da Áustria, dois do Brasil, dois da Hungria, dois da Polônia, dois da Suíça, um do Japão e um de Taiwan) irão demonstrar habilidades na arte da confeitaria, exibindo técnicas, tendências e produtos para marcar e transformar esse segmento no Brasil. As provas são práticas e individuais, com duração de 16 horas e realizadas durante os dias 13, 14 e 15 de novembro. Os componentes das receitas devem ser comestíveis e fabricados durante o campeonato. Dentre os quesitos a serem avaliados estão: sabor, aparência, acabamento, grau de dificuldade, inovação, método de trabalho, higiene e limpeza.

WorldSkills Americas: 216 jovens de 24 países irão competir entre 14 e 17 de novembro em provas de robótica móvel, confeitaria, sistema de transporte da informação, jardinagem e outras 30 profissões da WorldSkills Americas. Com 38 competidores, o Brasil terá a maior delegação entre todos os países e supera, também, a quantidade de estudantes que participaram da primeira edição em 2010 no Rio de Janeiro. O WorldSkills Americas traz uma série de benefícios. É uma forma de sensibilizar as autoridades políticas, empresários, líderes educacionais e a sociedade da importância da educação profissional, como um instrumento eficaz de transformação social e econômica da família e do país.

Vicioni: Olimpíada do Conhecimento une tradição e progresso

Alice Assunção e Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Vicioni: expectativa é de vitórias do Senai-SP na competição. Foto: Junior Ruiz

A 7ª Olimpíada do Conhecimento, que começa esta semana, em São Paulo, deve desfazer um mito: o do antagonismo entre a tecnologia e os conceitos clássicos do ensino profissionalizante. A avaliação é do diretor regional do Senai São Paulo, Walter Vicioni, durante cerimônia de abertura do evento, na tarde desta segunda-feira (12/11).

A sétima edição do principal torneio de estudantes do ensino profissionalizante, vai testar conhecimentos de 640 alunos em 54 profissões que vão desde a manutenção aeronáutica até joalheria.

“Tradição e progresso não são inimigos. Eles andam junto. A tradição dos valores e da cultura e o progresso por responder às inquietações e avanços tecnológicos da indústria brasileira. São coisas que se associam e é isso que nós queremos mostrar nesta Olimpíada, que é possível conviver com o progresso e a tradição”, afirmou Vicioni.

De acordo com Vicioni, a expectativa é de vitórias do Senai-SP na etapa nacional desta Olimpíada.

“São Paulo vai ter um bom desempenho. E é natural, porque [o Senai-SP] é uma entidade que cuida bem do seu processo educacional e que usa bem a sua tecnologia. Evidentemente vamos colher os resultados deste processo”, completou.