Incertezas econômicas devem dar lugar a câmbio estabilizado e investimentos em logística, avalia presidente do BNDES

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A economia internacional ainda enfrenta turbulência e incertezas, mas, quando a atual política monetária norte-americana cumprir o seu ciclo e se estabilizar, o câmbio deve alcançar um patamar mais competitivo e estimular um ciclo de investimentos em logística, afirmou nesta terça-feira (03/09) o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico Social (BNDES), Luciano Coutinho. Ele participou do 5º Congresso Nacional de Inovação da Indústria, no Centro de Convenções WTC Sheraton, na capital paulista. O evento é organizado pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Coutinho: novo ciclo de produtividade. Foto: Divulgação

Luciano Coutinho no congresso: dólar a um patamar mais competitivo daqui para a frente. Foto: Divulgação

 

Segundo o  presidente do BNDES, o Brasil ainda deve enfrentar outras turbulências, mas “há perfeitas condições de administrabilidade dessa transição e provavelmente sairemos dela com um patamar (do câmbio) mais positivo”, avaliou.

Para Coutinho, a combinação do esforço do Banco Central para mitigar a volatilidade dólar gerada pelo cenário externo com a provável retirada dos estímulos monetários pelo Federal Reserve (o banco central norte-americano) nos Estados Unidos, pode “descortinar uma perspectiva de sustentabilidade do processo de ganho de competitividade e produtividade para economia brasileira”.

 

Dilma assina decreto que permite funcionamento da Embrapii

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, anunciou, na manhã desta terça-feira (03/09) que a presidente Dilma Rousseff assinou nesta segunda (02/09) um decreto que estabelece a Associação Brasil de Pesquisa e Inovação Industrial (Emrapii) como uma organização social. A informação foi dita na abertura do 5º Congresso Nacional de Inovação da Indústria, no Centro de Convenções WTC Sheraton, na capital paulista. O evento é organizado pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

“A partir de agora podemos prosseguir como contrato de gestão que está sendo preparado para colocarmos a Embrapii em funcionamento”, afirmou Raupp.

No mês passado, o Conselho de Administração da Embrapii confirmou a eleição do engenheiro João Fernando Gomes de Oliveira como diretor-presidente da entidade.

Raupp em sua apresentação no congresso, ao lado do ministro Fernando Pimentel: mais competitividade. Foto: Divulgação

Raupp (à esquerda), ao lado do ministro Fernando Pimentel: mais competitividade no país. Foto: Divulgação

 

Para a CNI, a criação da Embrapii deve fortalecer um novo ciclo de políticas de investimentos públicos em uma fase pré-competitiva do processo de inovação, uma medida decisiva para o desenvolvimento tecnológico da indústria.

Com a assinatura do decreto pela presidente Dilma, a Embrapii poderá receber recursos públicos e, ao mesmo tempo, ter agilidade administrativa para aplicação do dinheiro, explicou Raupp.“Um aspecto da Embrapii que merece consideração é a questão da burocracia zero”, afirmou o ministro.

O Congresso

Centenas de empresários e autoridades se reuniram nesta terça-feira (03/09), no 5º Congresso Nacional de Inovação da Indústria, para discutir caminhos para criar melhores políticas públicas e parcerias para estimular a inovação no país.

Em seu discurso de abertura no evento, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, afirmou, no entanto, que “a importância desse congresso não é só discutir as condições para tonar a indústria mais inovadora, mas também levar exemplos às empresas do que a inovação é capaz de fazer pela indústria”.

“Essas parcerias entre os grandes empresários e o governo brasileiro tem dado frutos significativos”, concluiu.