Novo patamar cambial propicia conforto e será importante para alavancar investimento, diz ministro Pimentel

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O país superou a defasagem cambial que tem prejudicado a indústria desde 2009 e o câmbio alcançou um patamar confortável para o setor manufatureiro, além de importante para estimular investimentos, avaliou nesta terça-feira (03/09) o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel.

Na ocasião, o ministro participou do 5º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, no Centro de Convenções WTC Sheraton, na capital paulista. Esta edição do evento tem realização conjunta da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

“Sentimos uma marola de pessimismo, mas eu não estou junto com esse sentimento. O novo patamar (do câmbio) propicia o conforto que não tivemos esses anos”, afirmou Pimentel.

Pimentel: mais otimista em relação ao desempenho da economia. Foto: Divulgação

O ministro Fernando Pimentel: mais otimista em relação ao desempenho da economia. Foto: Divulgação

 

Ele ainda afirmou que está otimista com o desempenho da economia do Brasil, uma vez que as contas públicas estão controladas e a possibilidade de qualquer salto da inflação foi afastada por uma política monetária bem executada.

“O juro pode cair quando for adequado e subir quando necessário, é isso que está sendo feito, não devemos nos surpreender porque a taxa de juros deve ser administrada para surtir esse efeito”, afirmou.

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumentou a Selic em 0,50 ponto percentual para 9% ao ano. Analistas estimam que a taxa deve chegar ao final de 2013 com 9,5 %, mas a projeção para 2014 foi elevada para 9,75% contra 9,50% previsto na semana anterior. As informações são do relatório Focus do Banco Central.

Questionado sobre a queda de 2% da produção industrial em julho versus junho registrada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pimentel afirmou que o comportamento da indústria ainda é instável “mas se olharmos a curva de longo prazo,  estamos crescendo, isso que é importante”.

Segundo o IBGE, no acumulado dos sete primeiros meses do ano, a produção industrial subiu 2% na comparação com o mesmo período do ano anterior.


Inovação da Indústria

Ainda no evento, o ministro Pimentel informou que está previsto para este mês o lançamento do Pronatec  Brasil Maior. O projeto deriva do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e é fruto de uma parceria da indústria com o Ministério da Educação e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para formação profissional com base em pesquisa sobre as principais necessidades de mão-de-obra no país.

“Utilizamos os conselhos de competitividade do Plano Brasil Maior e fizemos um mapeamento das necessidades de qualificação no país. São mais de 120 mil vagas que estão levantadas nesse mapeamento”, informou. “O Pronatec não é um programa extenso de qualificação profissional, agora ele é um programa que vai atender às necessidades de qualificação da indústria em todo o país”, completou.