‘Se trata de colocar os estádios a serviço das pessoas’, diz diretor da Fiesp em seminário

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Aconteceu na tarde desta terça-feira (25/02) o encerramento do 2º Seminário Geral de Segurança para a Copa do Mundo Fifa 2014, no Teatro do Sesi São Paulo. O evento contou com a participação do diretor do Departamento de Segurança (Deseg) da Federação das  Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Ricardo Franco Coelho.

“Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais, com um grande desafio de governança, que exige forte integração entre todos os participantes”, disse. “Isso de modo tal que as competências sejam preservadas, mas que o público e os convidados enxerguem um único processo”, avaliou.

Para ele, a análise conjunta dos planos desenvolvidos para as diferentes cidades-sede é uma importante ação de integração. “Os princípios, práticas e conceitos aplicados no planejamento da segurança desse grande evento representam uma consolidação, pela entidade organizadora, das melhores práticas internacionais”.

Coelho: “Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Coelho: “Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Coelho acredita que essas práticas estão em uso em inúmeras instituições públicas e privadas no Brasil, mas sua aplicação nem sempre é cotidiana. “A Copa coloca tudo isso na mesa, diante dos tomadores de decisão, como condição para a estruturação inteligente de grandes ações”, destacou.

Na visão do diretor do Deseg há um paralelo entre a Copa de 2014 e as escolas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). “Nas ações educacionais do Sesi-SP, o que está em jogo não é colocar as crianças na escola, mas sim colocar a escola a serviço da criança”, explicou. “Com relação à Copa, não se trata de colocar pessoas nos estádios, mas sim de colocar os estádios a serviço das pessoas, mantendo como política as ações de planejamento, organização, mobilidade e segurança desenvolvidas nessa grande jornada”, ponderou.

Ao finalizar, Coelho aconselhou: “A vida é um grande evento. Como estratégia sem ação não é nada, mãos à obra”.

O seminário na Fiesp: debate sobre a necessidade de integração das ações de segurança para a Copa. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O seminário na Fiesp: debate sobre a necessidade de integração das ações de segurança para a Copa. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Também presente na cerimônia, o gerente geral de Segurança do Comitê Organizador Local (COL), Hilário Medeiros, agradeceu à Fiesp pela oportunidade de realização do evento. E falou sobre os próximos passos, fazendo um balanço positivo sobre o encontro. “O chamado padrão Fifa de Copa, no Brasil, vai ser um modelo de integração, profissionalismo e alegria”, encerrou.