Estimular setores produtivos é o que fortalece o Brasil, afirma Skaf no 22° Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Campos do Jordão

“Estimular os setores produtivos é o que fortalece o Brasil”. Com essas palavras, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, abriu, nesta quarta-feira (09/10), em Campos do Jordão, o 22° Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais, evento realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam).

Skaf chamou a atenção para a importância do debate sobre o novo marco regulatório do setor da mineração, tema que foi amplamente discutido durante a reunião do Comitê da Cadeia Produtiva da Mineração (Comin) da Fiesp, realizada nesta terça-feira (08/10), na sede da entidade.

Segundo Skaf, alguns pontos do novo marco podem prejudicar os investimentos e o crescimento do setor. “Precisamos trabalhar com seriedade a questão do marco regulatório da mineração, que afeta diretamente a cadeia produtiva”, disse.

Paulo Skaf: “Novo marco regulatório proposto tem alguns pontos que precisam ser corrigidos. E esperamos que eles sejam”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

“Precisamos defender o que é bom para o Brasil. E qualquer marco que prejudique investimentos, como esse, é contra o interesse da sociedade. O novo marco regulatório proposto tem alguns pontos que precisam ser corrigidos. E esperamos que eles sejam”, afirmou. “Estamos juntos. A Fiesp, Ciesp, o Senai-SP e o Sesi-SP estão – e sempre estarão – ao lado da sociedade”, completou.

Além de Skaf, participaram da cerimônia o presidente da Abinam, Carlos Alberto Lancia, Frederico Scaranello, prefeito de Campos do Jordão e Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Gouvêa Vieira agradeceu o convite e aproveitou apara elogiar o trabalho que o presidente da Fiesp realiza à frente da instituição paulista. “Como líder, Skaf é generoso. A Fiesp procurou a Firjan para estabelecer alianças densas, fundamentais para as indústrias do país”, disse. “Dessa forma, trazemos à pauta coisas importantes para o crescimento nacional”, afirmou.

Foi a primeira vez que os dois líderes participaram juntos de um evento no interior paulista.  “A união da Firjan e da Fiesp é fundamental e um exemplo de aliança transformadora. É uma parceria que traz benefício às pessoas e a toda a sociedade”, completou.

O prefeito da cidade paulista, Scaranello, agradeceu a Abinam pela escolha da cidade para sediar o evento. “Aqui temos a melhor água do país. Somos uma estância turística que até um ano atrás tinha deficiências de tratamento de esgoto e resíduos sólidos”, contou. “Neste ano, com investimento de R$ 106 milhões, inauguraremos, em dezembro, uma estação de tratamento de esgoto – a mais moderna da América Latina”, disse.

Lancia encerrou a cerimônia e ressaltou a importância da união do setor pela redução do ICMS [ Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação] pago pelas indústrias. “Precisamos da redução da carga tributária, que é 2,5 vezes maior que a do setor energético. Não é possível que um recurso importante como a água pague 18% de ICMS. Queremos a carga em torno de 7%”, afirmou.