Nota oficial: para a Fiesp e o Ciesp, 1º de maio é Dia do Trabalho – e da produção também

Nota oficial

A indústria brasileira chega a este 1º de Maio lutando pela igualdade de condições para concorrer com a produção dos demais países. As empresas brasileiras arcam com custos exorbitantes: excesso de tributação, burocracia, alto custo do capital e infraestrutura deficiente que, somados, impõem um custo adicional de 34% pra se produzir no Brasil. A concorrência com importados prejudica o parque nacional e exporta milhares de empregos, que deveriam ficar aqui.

“A indústria gera os melhores empregos, tem a maior participação de trabalho formal no total das vagas do país e é o setor que melhor recompensa, com aumentos salariais, o avanço da escolaridade do trabalhador”, diz o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf. “Produção e emprego caminham de mãos dadas, e nossa luta é a mesma, por um Brasil mais competitivo, mais justo e com oportunidades iguais para todos”.

O governo tem avançado na agenda da competitividade: apesar do recente aumento, a Selic se encontra em nível historicamente baixo, o BNDES possui linhas para financiamento a juros baixos, inúmeros setores tiveram desoneração da folha de pagamentos, a presidente Dilma anunciou recentemente a isenção de PIS/Cofins para a cesta básica, o aumento do teto de faturamento para empresas que optam pelo lucro presumido e a redução do preço da energia. Todas essas são bandeiras erguidas pela Fiesp e pelo Ciesp, com a mobilização da sociedade e dos setores produtivos.

Entretanto, os problemas permanecem. “Se pegarmos a empresa mais eficiente do mundo e colocarmos no Brasil, ela terá que arcar com os custos que só existem aqui e perderá sua competitividade”, diz Skaf. “A concorrência internacional exige respostas mais rápidas”.

Para a Fiesp e o Ciesp, é preciso avançar nas reformas: aprovar a MP dos Portos, a reforma do ICMS que deverá levar ao fim da guerra fiscal, e uma ampla simplificação tributária que possa derrubar custos de produção.

“Os trabalhadores e o setor produtivo podem fazer, juntos, um Brasil com mais produção e emprego. Por isso, nosso 1º de Maio é o Dia do Trabalho, mas também da produção”, diz Skaf.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)