Workshop de comércio eletrônico encerra agenda da missão da Fiesp e do Ciesp em Shanghai

Delegação acompanhou evento sobre as complexidades e oportunidades do e-commerce para empresas brasileiras

Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp, de Shanghai

A comitiva de 120 empresários da Fiesp e do Ciesp na China encerrou nesta sexta-feira (9 de novembro) sua agenda de atividades em Shanghai. Após uma intensa manhã de visitas técnicas, a delegação brasileira participou de um workshop sobre e-commerce realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Após a abertura do encontro, com a presença do diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, Harry Chiang, e do vice-presidente da CNA, Gedeão Silveira, especialistas falaram de suas experiências envolvendo plataformas digitais de comércio e serviços na China.

De acordo com o sócio da Kung Fu Data James Fron, uma das primeiras impressões que se tem sobre a China é de um país das maravilhas. No entanto, ele chamou a atenção dos empresários brasileiros para um ambiente regulatório complicado, em que as empresas locais levam muitas vantagens em relação aos estrangeiros que tentam seu lugar ao sol. Além disso, segundo Fron, “o mercado quer o melhor e muda o tempo todo. É importante ter um bom contato local para um acompanhamento dessas mudanças”.

Mark Ray, diretor da Sovereign China, disse que a economia chinesa atual está baseada em plataformas online, um dos motivos do grande sucesso do grupo Alibaba. Na visão dele, os consumidores chineses buscam não apenas bons produtos, mas experiências inovadoras. Nesse sentido, o co-fundador da WalktheChat Thomas Graziani detalhou como a geração mais jovem na China utiliza o aplicativo WeChat de forma intensa, seja para enviar mensagens, fazer compras ou galerias com seus produtos favoritos.

O vice-presidente da única afiliada do Alibaba para produtos refrigerados, a Ex-Fresh, Ifeng Wan falou sobre os avanços em inovação e câmaras frias no novo varejo de alimentos frescos. “Dentro da China estamos em cinco cidades e buscamos constantemente soluções logísticas que garantam a qualidade do produto em todo processo”, defendeu. Wan mostrou também o mapeamento da origem das produções que entrega. Atualmente, o grupo possui 300 armazéns de estoque para distribuição dentro do país.

Na sequência, os participantes puderam conhecer o trabalho de gestão da cadeia de fornecimento do comércio eletrônico na Win-Xhain. O gerente sênior de contas John Liu contou como o sistema de entrega da empresa está habituado a funcionar com diferentes estratégias e horários.

Finalmente, o diretor de comércio eletrônico da Jumore, JC Liu, tratou das vendas na plataforma online para o setor de commodities e ofereceu seus serviços em nível internacional para resolver problemas e superar os desafios para entrada e conquista do mercado consumidor chinês.

delegação brasileira participou de um workshop sobre e-commerce realizado em parceria com a Apex-Brasil e a CNA. Foto: Fiesp/Divulgação

Delegação brasileira em workshop sobre e-commerce realizado em parceria com a Apex-Brasil e a CNA. Foto: Fiesp/Divulgação