Indicador de Nível de Atividade da indústria paulista sobe 12,1% em junho

Sensor, também apurado por Fiesp e Ciesp, segue acima dos 50 pontos

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria de transformação paulista cresceu fortemente em junho (12,1%) em relação a maio, na série com ajuste sazonal. O resultado indica que a atividade industrial paulista recompôs as perdas sofridas em maio (-10,8%) por conta da greve dos caminhoneiros. A principal influência dessa recuperação veio da variável total de vendas reais, que subiu 24,7% após ceder 16,6% em maio, seguida por horas trabalhadas na produção (0,9%), Nível de Utilização da Capacidade Instalada (1,2p.p.) e a projeção para a PIM-SP (15,7%). Na série sem ajuste, o indicador também mostrou variação positiva no mês (7,2%), na comparação com junho do ano anterior (4,2%) e no acumulado em 12 meses (5,5%). Os dados foram divulgados nesta terça-feira (31 de julho) pela Fiesp e pelo Ciesp.

Segundo José Ricardo Roriz Coelho, presidente em exercício da Fiesp e do Ciesp, esse resultado positivo do INA em junho não indica recuperação da atividade da indústria paulista. “O que se verificou foi uma recuperação das perdas do último mês em razão da greve dos caminhoneiros.  Em relação a projeções futuras, nos preocupam ainda as incertezas constantes. Elas afetam os empresários, que ficam receosos para investir. Sem investimento não temos recuperação do emprego, que é fator determinante para recuperação de renda e melhora da situação da capacidade ociosa das empresas, hoje perto de 30%. Estamos longe de começar uma recuperação.”

Entre os setores pesquisados, os destaques ficaram por conta de móveis, cuja atividade cresceu 15,9% em junho no Estado de São Paulo, na série com ajuste sazonal. As horas trabalhadas na produção, o total de vendas reais e o Nuci subiram 0,6%, 11,5% e 0,7p.p., respectivamente.

O INA do setor de produtos farmacêuticos avançou 2,0% no mês. As horas trabalhadas na produção, o total de vendas reais e Nuci subiram 0,7%, 2,4% e 0,2 p.p., respectivamente.

Ouça o boletim de áudio dessa notícia:
[audiofiesp id=”247592″]

Sensor

A pesquisa Sensor de julho, também produzida pelas entidades, voltou a mostrar força, marcando 53,8 pontos, ante os 50 pontos em junho. A marca mantém o Sensor acima dos 50 pontos pelo 12º mês consecutivo. Leituras acima de 50 pontos sinalizam expectativa de aumento da atividade industrial paulista para o mês.

Dos indicadores que compõem o Sensor, a variável de vendas avançou 9 pontos, para 60,1 pontos em julho. O indicador de estoques subiu 4,8 pontos ante junho (45,9 pontos), marcando 50,7 pontos no mês de julho; de tal forma, indica que os estoques estão próximos do nível desejado.

Para a variável que capta as condições de mercado, o avanço foi de 4,2 pontos, passando de 51,8 pontos em junho para os 56,1 pontos no mês de julho. Acima dos 50,0 pontos indica expectativa de melhora das condições de mercado.

Apenas o indicador de emprego mostrou recuo, passando de 50,6 pontos para 50,2 pontos no mês, sendo que resultados acima dos 50,0 pontos indicam expectativa de contratações para o mês.