Em 2017, indústria paulista tem menor fechamento de vagas desde 2011

Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, realizada pela Fiesp e pelo Ciesp, apontou 35 mil postos de trabalho perdidos no ano passado

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A indústria de São Paulo teve 35 mil postos de trabalho fechados em 2017. Foi o melhor resultado desde 2011 (quando registrou saldo de – 1.500), sendo consequência de um menor fechamento de postos em relação aos anos anteriores. Os números fazem parte da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, realizada pela Fiesp e pelo Ciesp. A variação acumulada do ano foi de – 1.62%, sem ajuste sazonal. Já a variação apontada para o mês de dezembro de 2017, quando foram fechadas 33 mil vagas, foi de -1,53 em relação a novembro, também sem ajuste sazonal.

Para entender o impacto dos números atuais no que se refere ao emprego na indústria paulista, basta dizer que, entre 2014 e 2016, foram fechadas, em média, 173 mil vagas por ano, ante os 35 mil postos perdidos em 2017. Um desempenho puxado pela retomada da produção industrial.

“Temos que ser cautelosos, o país ainda precisa da aprovação das reformas que estão em andamento, mas esperamos uma modesta recuperação do emprego na indústria em 2018”, afirma o  segundo vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho.

De acordo com Roriz Coelho, a expectativa é de geração de 20 mil postos de trabalho na manufatura no estado até o final deste ano. “Esperamos que a recuperação observada da economia em 2017 siga em 2018”, diz.

Ouça boletim sobre esta notícia

[audiofiesp id=”242480″]

 

Desempenho por setores

Na análise por setores, a pesquisa apontou que, das 22 áreas avaliadas, 17 tiveram resultado negativo em relação ao emprego neste ano, quatro tiveram desempenho positivo e uma ficou estável.

A melhor performance foi a do setor de produtos de borracha e material plástico, com um saldo positivo de 4.152 vagas, seguido pelo de produtos químicos (281 vagas) e de metalurgia (273).

As áreas mais afetadas foram as de produtos de metal, com exceção de máquinas e equipamentos, com uma perda de 10.107 postos, produtos alimentícios (-4.550) e impressão e reprodução de gravações (-4.252).

Indicadores regionais

Das 36 regiões do estado consideradas na pesquisa, 8 tiveram desempenho positivo em relação ao emprego e 28 ficaram negativas.

Os destaques ficaram com Limeira, com uma alta de 7,51% no ano, Araraquara, com 3,09% de expansão e Mogi das Cruzes (1,93%). O resultado está relacionado a produtos diversos e veículos automotores e autopeças em Limeira, outros equipamentos de transporte e produtos de borracha e plástico em Araraquara e produtos têxteis e alimentícios em Mogi das Cruzes.

As piores performances ficaram com Botucatu, com uma perda de 15,72% de vagas, Araçatuba (-9,38%) e São João da Boa Vista (-8,29%). Isso em decorrência dos setores de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos e produtos minerais não metálicos em Botucatu, confecção de artigos de vestuário e acessórios e móveis em Araçatuba e produtos de minerais não metálicos e produtos de borracha e material plástico em São João da Boa Vista.

Para ler a pesquisa completa, só clicar aqui.