Entrevista – A soja na sua vida

A soja possui proteínas de origem vegetal de excelente qualidade e de alto valor biológico, o que se acreditava, até algum tempo atrás, que fosse característica exclusiva dos alimentos de origem animal.

O benefício da soja na saúde atua diminuindo o colesterol sangüíneo total e o LDL, popularmente conhecido como “mau” colesterol, é também uma fonte de ácidos graxos essenciais que, aliados as isoflavonas, protegem a camada interna que recobre as artérias, prevenindo a arteriosclerose e a trombose, que são processos de obstrução das artérias.

As isoflavonas são apontadas como os principais compostos presentes na soja capazes de prevenir o aparecimento de vários tipos de câncer, como também evita o surgimento dos sintomas indesejáveis da tensão pré-menstrual e do climatério.

O consumo da soja, bem como de cálcio, ajudam na prevenção da osteoporose, ressaltando que o consumo deve ser regular para que o benefício seja efetivo.

A soja é considerada um alimento funcional por conter substâncias que podem auxiliar na prevenção e redução dos riscos de algumas doenças.

O alimento funcional além de fornecer os nutrientes tradicionalmente conhecidos (proteínas, carboidratos, lipídeos, vitaminas e minerais) possui compostos bioativos que proporcionam algum benefício á saúde. Segundo a Anvisa, é aquele alimento que contém substância com propriedade funcional que é relativa ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção e outras funções normais do organismo.

A soja pode ser consumida de diversas maneiras:
· Farinha de soja (Kinako): obtida a partir do grão torrado e triturado. Pode ser usada para substituir 1/3 de farinha de trigo comum em produtos tradicionais da culinária brasileira, como bolos e tortas doces e salgadas, sem alterar o sabor e o aspecto.
· Floco de soja: grão processado com aparência semelhante ao tradicional “sucrilhos”. Pode ser consumido com leite de soja ou de vaca, pedaços de frutas ou até mesmo puro.
· Leite de soja (extrato): é feito do grão de soja fervido em água e depois processado. Insento de lactose é usado por crianças e adultos que não toleram leite de vaca. Tem baixo teor de gordura.
· Molho de soja (soyu): produzido a partir da soja fermentada. Contém aminoácidos, minerais, vitamina B e ácido glutâmico.
· Pasta de soja (missô): alimento fermentado, preparado a partir da soja integral combinada com outros grãos, como arroz e cevada. Muito rico em proteínas, vitaminas B12, aminoácidos essenciais e minerais como cálcio e ferro. Tem baixo teor de gorduras e de calorias. È usado para temperar sopas, cereais, leguminosas, vegetais, peixes e frutos do mar.
· Proteína texturizada de soja (PTS ou carne de soja): resíduo da soja após a extração do óleo e que consiste, basicamente, em carboidratos e proteína. No processo industrial a que é submetido esse “bagaço”, formam-se pequenos pedaços que, para o consumo, devem ser hidratados.
· Queijo-de-soja (Tofu): preparado com extrato da soja fermentada. È muito rico em proteínas, possui aminoácidos essenciais, cálcio, ferro, fósforo e vitaminas B e E. Pode ser usado em sopas, cozidos com macarrão, em saladas, conservas e molho.
· Soja “in natura” (grão): pode ser consumido cozido, ou em saladas. È imprescindível deixar de molho para tornar sem efeito os fatores antinutricionais que as leguminosas presentão.

O Sesi, Serviço Social da Indústria, através de suas nutricionistas criaram inúmeras receitas que foram incluídas no livro do “Programa Alimente-se Bem”, (que orienta a manipulação e ingestão de uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo), com o objetivo de estimular o incentivo ao consumo da soja em preparações como saladas, prato principal, guarnição, sobremesas, entre outros.

A utilização do extrato de soja para preparo de bebidas ou ainda bebidas prontas a base de soja melhoram a qualidade de vida dos que têm intolerância à lactose. Além da eficácia no controle dos distúrbios gastrointestinais causados pela intolerância, ameniza a sensação de restrição na alimentação, uma vez que ela está presente em vários produtos em substituição ao leite.

Quando praticamos atividades físicas há um grande gasto energético, para a reposição destes nutrientes precisamos de uma alimentação equilibrada, com quantidades adequadas de proteínas, carboidratos, gorduras, minerais e vitaminas. A soja oferece proteínas com aminoácidos essenciais, indispensáveis para a manutenção e regeneração do tecido muscular.

Os ácidos graxos provenientes da gordura da soja auxiliam na redução dos níveis de colesterol ruim (LDL), evitando a formação de placas na corrente sanguínea, reduzindo incidência de doenças cardiovasculares. As atividades físicas exigem muita oxigenação e aumentam o fluxo sanguíneo, por isso a boa circulação sanguínea se torna fundamental.

A soja possui boa quantidade de potássio, que auxilia na melhoria do trabalho muscular (contrações), sendo também uma grande fonte de vitamina E, que tem propriedades antioxidantes, atuando sobre os radicais livres.

Constatamos que a soja promove inúmeros benefícios à saúde e tem se revelado uma importante alternativa alimentar.
Entrevista com: Silmara Hidemi Murakami
Nutricionista do Sesi – Serviço Social da Indústria
Texto: Ana Paula do Nascimento

Fotos:
http://www.tao-yin.com/cuisine/img – foto 1
http://www.padariamoderna.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=402 – foto 2
http://www.celeiroalimentos.com.br/artigos.php?id=21 – foto 3