História do Calçado

A história do calçado em Jaú começou no século XIX, com a chegada de um italiano chamado Guiseppe Contatore por volta de 1.900, que ao se mudar para cidade instalou a primeira sapataria da cidade. Foi com Guiseppe que muitos sapateiros aprenderam o ofício e se especializaram anos mais tarde. Com o desenvolvimento da cidade, em meados de 1930 já existiam muitas casas de couros e pequenas oficinas de pesponto como a Casa Arthur Bernardi, que empregava senhoras e adolescentes que costuravam os sapatos na profissão de calçadista. Muitos dos industriários pioneiros começaram a se profissionalizar nestas oficinas.

Na década de 1940, o trabalho no setor era restrito a empresários Romeu Muzegante, Galvanini, Carboni e Bernardes, os quais fazem os cortes de calçados masculinos e os vendiam para sapateiros.

Em 1950 começava o desenvolvimento das fábricas de corte. Surgiram em Jaú as pequenas indústrias de calçados, chamadas de “fabriquetas”. Os pioneiros dessas novas “ fabriquetas” foram Romeu Muzegante, Pompeu Crozera, Dionísio Momesso, Jarbas Faracco e Santo Rossignolli. Mesmo com escassez de mão-de-obra qualificada – os funcionários eram treinados e capacitados para a produção de calçados. Com o passar dos anos, alguns desses funcionários montaram as suas próprias empresas, dando início a um polo que atualmente dá a Jaú o titulo de Capital do Calçado Feminino.

O destaque desse polo industrial, no entanto, foi obtido a partir da década de 1980 e acarretou uma profunda transformação no espaço urbano de Jaú. O polo calçadista possui uma presença significativa na economia local e regional, sendo composto por aproximadamente 200 empresas que empregam cerca de 10 mil pessoas entre empregos diretos, indiretos e terceirizados. A produção de 60 mil pares/dia extrapolou o mercado nacional e foi parcialmente exportada para países como Estado Unidos, Emirados Árabes, Cuba, Mexico, Canada, França e toda América do Sul.

Atualmente cerca de 30 fabricantes de Jaú expõe seus produtos, semestralmente, nas duas maiores feiras de moda e negócios do setor em toda América Latina, a FRANCAL e a COUROMODA. Evento mais importante do ano para os fabricantes brasileiros junto ao mercado interno e o melhor cenário para as relações comerciais com o mercado internacional, a FRANCAL está consolidada como a mais internacional feira do continente americano destes segmentos, pelo grande volume de compradores internacionais que vem ao Brasil em busca de qualidade e do design brasileiro. A COUROMODA – Feira Internacional de Calçados, Artigos Esportivos e Artefatos de Couro – é o mais importante evento para negócios e lançamento de moda no mercado de calçados e artigos de couro. É também a mais prestigiada e representativa feira deste setor. Seus 1.200 expositores respondem por 90% da produção brasileira, oferecendo a lojistas e importadores a mais completa amostragem da moda, da tecnologia e do marketing do setor de calçados e artefatos de couro, com a presença de mais de 3 mil marcas. A feira atrai uma visitação muito profissional, influenciando as vendas do setor nos primeiros meses do ano. Na edição de 2009, a feira recebeu 65 mil visitas profissionais entre lojistas de todo o Brasil, compradores nacionais e internacionais, além de empresários da cadeia couro-calçados. Este números representa 30.000 razões sociais.

Fonte: PREFEITURA JAHU/ REVISTA POLO