Indicador de Incerteza da Economia tem menor nível desde março, mostra FGV

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas recuou 11,2 pontos, indo de 121,5 pontos em setembro para 110,3 pontos em outubro, segundo dados divulgados nesta terça-feira (30). Com o resultado, o indicador passa a registrar o menor patamar desde março de 2018, mas ainda possui um comportamento de incerteza alta.

A queda do IIE-Br em outubro foi disseminada pelos seus componentes. O componente Mídia cedeu 10,5 pontos, contribuindo com 9,1 pontos para queda do índice no mês; o IIE-Br expectativa diminuiu 9,5 pontos, mas sua participação relativa no resultado agregado foi menor, 2,1 pontos.

“A incerteza atingiu seu menor valor em sete meses. Contudo, permanece em um patamar elevado. Neste mês, as pesquisas eleitorais que apontavam para a vitória do candidato Jair Bolsonaro contribuíram para a queda do indicador, uma vez que sua equipe econômica se mostra comprometida em conduzir um ajuste fiscal e políticas pró-mercado. O foco no pleito eleitoral fez com que o noticiário e o mercado financeiro no Brasil se descolassem do cenário externo, o que permitiu uma forte valorização do Ibovespa e do real durante o período de coleta deste indicador”, diz a pesquisadora Raíra Marotta, da FGV.

Em vista do cenário atual, complementa ela, “espera-se que o movimento de queda só seja sustentável se o presidente eleito conseguir aprovar as medidas necessárias para a retomada da sustentabilidade fiscal e de um crescimento econômico mais robusto”.

Fonte: G1