Termogal Tratamento de Superfícies Ltda. – sistema de recuperação para descarte zero de efluentes industriais


Galvanoplastia é a denominação genérica para designar a atividade de tratamento de superfícies quando se utilizam processos químicos e eletroquímicos e os processos produtivos ocorrem em equipamentos individuais dispostos em linha ou células, cuja operacionalização pode ser automática ou manual.

O processo consiste de um agrupamento de operações unitárias que normalmente se iniciam com a montagem de peças em gancheiras ou sua colocação dentro de tambores rotativos apropriados para receberem a seqüência operacional química e eletroquímica que permitirá ao final, obtenção do revestimento metálico ou não, sobre as peças, com diversa finalidade que poderá ser técnica ou decorativa. Para revestir um objeto qualquer, são necessárias etapas diversas no processo e sempre há necessidade das etapas de lavagens intermediárias com elevado consumo de água.

Quando há movimento da peça de um passo ao outro do processo, a peça arrasta em sua superfície um volume da solução de trabalho daquela etapa, contaminando a água de lavagem com a solução do estágio anterior. O que normalmente ocorre é que nas linhas de produção, são inseridos pelo menos dois tanques de lavagens, sendo que o primeiro tanque é de um volume estático e o segundo tanque de lavagem é de água corrente. Ou seja, há excessivo consumo de água.

Medida adotada
A Termogal elegeu modelo para implantar o sistema de lavadores cascata em contra-fluxo do processo segregando o conjunto ao sistema de troca iônica e circulando o efluente do lavador de menor concentração em circuito fechado com retorno do drag-out ao tanque de processo.

Sistemas segregados para os processos de: Prata Cianídrica (com remoção total de Cianetos e recuperação do metal precioso), Cobre Cianídrico, Estanho Ácido, Níquel Watts e água da saída do filtro-prensa da ETE foram desenhados para a Termogal, dimensionados especificamente a cada caso. A proposta contemplou redução de até 95% no uso de água da rede pública, no consumo de matéria-prima que passou a ser reutilizada de forma segregada ao passo de processo gerador do desperdício e conseqüentemente a minimização do uso da Estação de Tratamento de Efluentes pelo método físico-químico com redução na geração de resíduo sólido para a disposição legal, redução de 92%.

Também houve aproveitamento das águas de chuva, de um telhado com 115m2, representando em um ano o volume de 161m3 que se houvesse regularidade nas chuvas, seria equivalente ao volume diário de água nova de reposição necessária para repor os volumes evaporados nos processos galvânicos.

Atualmente o consumo de água nova nos pontos segregados do projeto origina-se na evaporação da mesma durante a fase de secagem, eluato da troca iônica e reposição de nível de água dos tanques de pré-tratamento do alumínio, anodização e selagem.

O sistema de recuperação e reuso de água em circuito fechado na planta galvânica da Termogal é monitorado por instrumentação analógica, com três hidrômetros instalados, sendo um para água de reposição da rede pública, o segundo para monitoramento do efluente bruto gerado nos processos e o terceiro para monitoramento do uso do conjunto de trocas iônicas para reuso de água da ETE.

Investimentos
Foram investidos R$ 250 mil no projeto, com estimativa de amortização em 19 meses. O início dos investimentos ocorreu em janeiro de 2004 e seu término foi em dezembro de 2006. Ou seja, o prazo de implantação foi em 36 meses.

Resultados ambientais e econômicos
A empresa obteve os seguintes resultados:

  • Linha de Estanho Ácido – A linha de Estanho Ácido reduziu o consumo de água em 98,3% equivalentes a 778,5m³/ano e reduziu o desperdício de Estanho metálico em torno de 100 kg/ano.

  • Linha de Prata Cianídrica Tambor Rotativo – A linha de Prata Cianídrica Rotativa reduziu o consumo de água em 99% equivalentes a 392m3/ano e eliminou o desperdício de cerca de 5 kg de Prata metálica ano, com eliminação da etapa de oxidação total de Cianetos na ETE.

  • Linha de Cobre Cianídrico Tambor Rotativo – A linha de Cobre Cianídrico reduziu o consumo de água em 97% equivalentes a 640m³/ano e eliminou o desperdício de cerca de 10 kg de Cobre metálico ano, com eliminação da etapa de oxidação total de Cianetos.

  • Linha de Níquel Watts Tambor Rotativo – A linha de Níquel Watts Rotativa, reduziu o consumo de água em 95% equivalente a 627m³/ano e eliminou o desperdício de cerca de 15 kg de Níquel metálico ano.