Panozon Ambiental S.A. – reúso de água com tecnologia à base de ozônio


Em parceria com pesquisadores que vinham estudando o uso do ozônio para promover o desbotamento de tecidos utilizados na confecção de peças de vestuário, genericamente conhecido como estonagem ou “stone washed”, a Panozon Ambiental S.A. desenvolveu o sistema Desbot Clean (patente requerida).

Este sistema possibilita o desbotamento do tecido de denim, malha, meia-malha e outros, usando apenas a água ozonizada e, paralelamente, tratando a água dentro da própria máquina lavadora onde o processo se realiza, fazendo com que ao final do processo o efluente final seja apenas água clarificada e isenta de resíduos sólidos.

Medida adotada

Como alternativa mais eficiente e menos poluente, o DesbO3t Clean é um sistema inédito no Brasil. Desenvolvido com tecnologia à base de ozônio para processos de remoção da cor de tecidos, utiliza como agente de desbotamento apenas água ozonizada, em temperatura ambiente e livre de resíduos poluentes.

Investimentos

Investimento inicial:
– Projeto/Instalação: R$ 200 mil;
– Novas tubulações/reservatórios para água potável: R$ 70 mil.

Custos mensais:
– Produtos químicos e energia elétrica: R$ 2 mil;
– Redução dos gastos com o fornecimento de água externo: R$ 12 mil (após custo operacional, manutenção e depreciação).

Economia mensal na implantação:
– R$ 35 mil na compra de água
– Retorno do capital: 16 meses

Média mensal de economia atual: R$ 98,8 mil

Resultados ambientais e econômicos

Redução de até 90% do volume de água consumido no processo (com consequente redução de efluentes): esta redução se deve à menor quantidade de banhos de processamento na fase da remoção de cor, que passa de três volumes para apenas um em cada batelada. Existe, ainda, a possibilidade de reaproveitar a água de processamento da batelada para a produção da próxima, sendo necessário repor apenas o volume de água incorporado ao tecido. As peças serão centrifugadas e a água lançada da centrífuga para o sistema coletor de efluentes líquidos.

Redução de 100% no consumo de energia para geração de calor: uma vez que o tratamento com ozônio se processa a temperatura ambiente, os custos com geração de vapor para aquecimento da água de processo são eliminados. Com isso, são economizados recursos e, nos casos em que a energia é obtida via combustíveis fósseis, o processo colabora para minimizar também a queima desses combustíveis, trazendo enormes ganhos ambientais e econômicos para o usuário. Para novas instalações, o uso da tecnologia possibilita investimentos menores em sistemas de aquecimento.

Redução do desgaste dos tecidos: O uso de pedras provoca danos em costuras, bolsos, aviamentos etc. Como o ozônio ataca os corantes e não os tecidos, praticamente estes danos deixam de existir.

Aumento da vida útil das lavadoras: as máquinas lavadoras que utilizam pedras precisam ser construídas com materiais reforçados para resistir melhor ao desgaste provocado pelas mesmas. Mesmo assim, a manutenção constante e a substituição periódica dos cestos (aço inoxidável) das máquinas é uma realidade entre as empresas que trabalham com este sistema.

Economia nas Estações de Tratamento de Efluentes: devido ao menor volume de água consumido e melhor qualidade do efluente gerado, obtém-se economia tanto no projeto quanto na operação das estações. Poderá, em alguns casos, existir a necessidade de remoção de alguns compostos químicos oriundos dos processos oxidativos, que dependerão apenas de um processo físico-químico para redução de DQO (se necessário, dependendo do volume das máquinas e da quantidade de reuso da água de processo).