Braskem – Reutilização de efluentes

A Braskem é a maior empresa petroquímica da América Latina e está entre as três maiores indústrias brasileiras de capital privado. A empresa produz petroquímicos básicos como eteno, propeno, benzeno, caprolactana e dimetiltriptamina (DMT), além de gasolina e gás liquefeito de petróleo (GLP). No segmento de resinas termoplásticas, em que é líder na América Latina, produz polietileno, polipropileno, policloreto de vinila (PVC) e polietileno tereftalato (PET).

Medidas adotadas

A Unidade produtora de PVC em SP decidiu, em parceria com a empresa Geoplan – especializada em gestão de águas e com base em tecnologia disponível –, fazer o aproveitamento de parte de seu efluente industrial para obtenção de água pura, para reúso nos processos de produção de PVC.

Optando por investimento tipo BOT (sigla em inglês para construir, operar e transferir), na qual a Geoplan entra com o capital para o empreendimento e cobra tarifa pelo fornecimento do serviço, em 2006 deu-se início à construção da estação de reúso de efluentes, com o objetivo de tratar biologicamente cerca de 7,2 m³/hora (62.000 m³/ano) de efluentes provenientes das atividades industriais da Braskem.

Esse efluente já recebia tratamento físico-químico para separação de sólidos. Em maio de 2007, deu-se início às operações da estação de reúso, que deve elevar, gradativamente, o volume de água de reúso produzida até atingir os valores contratados de 3.000 m³ mensais.

Investimentos

Por se tratar de um projeto BOT, não houve nenhum investimento além das obrigações referentes à demanda contratada. Para a Geoplan, que faz o investimento e cobra tarifa por metro cúbico de água fornecida, o payback é estimado em cerca de 40 meses.

Resultados ambientais e econômicos

1) Redução de 85% no consumo de água da empresa concessionária;

2) Redução de 50% no volume de efluente descartado com uma economia de cerca de R$ 300.000 por ano, referente ao custo do tratamento deste efluente;

3) Redução do uso de água nova é da ordem de 1.650 L/ton de PVC, passando esse indicador de 6,08 m³/ton em 2006 para 4,43 m³/ton em 2007;

4) Redução da geração de efluente: de 2,9 para 1,4 m³/ton PVC produzido.