O que é Biotecnologia


A Biotecnologia explora processos celulares e biomoleculares para desenvolver tecnologias e produtos que ajudam a melhorar a vida e saúde das pessoas.

A definição, bem simplificada, é da maior associação mundial do setor: a Organização das Indústrias de Biotecnologia (BIO).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544661006

Uso de processos biológicos na produção de bebidas desde a Antiguidade

Mas essa área do conhecimento humano não é recente. Estima-se que o uso de processos biológicos de microrganismos tenha começado há mais de 6.000 anos, com a produção de alimentos, como pães e bebidas fermentadas, em diversas civilizações.

Atualmente, os avanços da Biotecnologia gera benefícios em diversas áreas, como saúde, meio ambiente, agricultura e infraestrutura, entre outros.

São produtos e inovações que contribuem para combater doenças, alimentar os famintos, usar energia mais limpa e em menor quantidade, reduzir o passivo ambiental e proporcionar processos industriais mais seguros, limpos e eficientes.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544661006

Desvendar a estrutura do DNA possibilitou inúmeros avanços científicos

Na área da Saúde, a biotecnologia aproveita recursos da natureza e a própria composição genética dos seres humanos para orientar linhas de pesquisa que ajudarão a: reduzir as taxas de doenças infecciosas; minimizem os riscos à saúde e efeitos colaterais; criar instrumentos mais precisos de detecção de doenças; e combater doenças graves e outras ameaças do cotidiano.

Outro benefício está no uso de mecanismos biológicos para melhorar os processos de produção industrial. Essas aplicações contribuem, por exemplo, para reduzir o uso de recursos naturais e a dependência de produtos petroquímicos; desenvolver biocombustíveis para reduzir as emissões de gases de efeito estufa; diminuir o consumo de água e a geração de resíduos: entre outros.

Na produção de alimentos, a biotecnologia facilita o uso de práticas agrícolas ambientalmente mais sustentáveis e ajuda a alimentar o mundo, gerando maior produtividade das culturas com menos insumos, produzindo alimentos livres de alérgenos e toxinas, desenvolvendo culturas com perfis nutricionais avançados que ajudam a resolver deficiências de vitaminas e nutrientes e reduzindo o uso de produtos químicos agrícolas, entre outros.

Fonte: www.bio.org