imagem google

Workshop sobre concessões traça oportunidades de financiamento para novas empresas

Evento debateu pontos críticos nos contratos e no modelo de infraestrutura brasileiro

Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp

O Departamento de Infraestrutura da Fiesp (Deinfra) realizou nesta segunda-feira (5 de junho) o workshop “Concessões para destravar o Brasil”. Mediado pelo diretor adjunto da Divisão de Logística e Transportes da Fiesp, Luís Felipe Valerim Pinheiro, o encontro trouxe para debate pontos críticos dos contratos e do modelo de financiamento de infraestrutura brasileiro, assim como oportunidades de financiamento para novas empresas.

Para a subsecretária de Parcerias e Inovação na Secretaria de Governo do Estado de São Paulo, Karla Bertocco, desde o fim de 2014 ficou claro que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não teria mais o papel que havia tido nos últimos anos. “Não dá para depender só do BNDES, é preciso buscar novos investidores para os projetos do setor”, afirmou. Segunda ela, o Brasil tem que entender que compete com outros países da América Latina por financiamento. “Não é fácil, não é trivial, mas podemos trazer novas fontes de financiamento”, defendeu.

Da Praxys Consultoria Financeira e Negócios, Raphael Vilardi, falou sobre o papel dos fundos de investimentos e dos participantes do mercado mais experientes na realização direta dos projetos no país. Vilardi explicou que, na ausência de agentes que pudessem transformar as demandas existentes em oportunidades, players antigos dos segmentos em questão capitanearam muitos projetos. “Financiamento exige marco regulatório, previsibilidade da economia, aspectos nos quais nós (Brasil) voltamos aos anos 90”, lamentou. Além disso, na visão de Vilardi, os projetos precisam de planejamento intenso, com dados confiáveis, para que as propostas sejam consistentes e competitivas.

Na análise do diretor executivo de project finance em Infraestrutura do Banco Santander, Thiago Figueira, o Brasil deve deixar de ter um setor dependente de transações corporativas, muito alavancadas e com ênfase em financiamento subsidiado para “alguma situação em que as taxas de mercado e do BNDES estejam mais alinhadas” e os segmentos envolvidos comecem a ver um cenário parecido com o que acontece no exterior. Atualmente, o banco espanhol possui uma equipe de 20 pessoas no país para tratar apenas de estudos e projetos em logística e transportes.

Sócio de Arap, Nishi & Uyeda Advogados, Massami Uyeda, afirmou que o mercado de infraestrutura é bastante complexo, mas que tem solução e atratividade. “Precisamos endereçar as tarefas e os desafios a serem realizados”, completou.

Também participaram do evento o Secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelisioni, o sócio da Campos Inovação, Engenharia & Construção (CIEC), José Ayres de Campos, e o superintendente de Garantia da Marsh Brasil, Luís Guilherme Menezes.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540127471

Workshop do Deinfra teve como tema Concessões para Destravar o Brasil. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp