Vencedores do 6º Hackathon vão ao Vale do Silício, anuncia Skaf - FIESP

Vencedores do 6º Hackathon vão ao Vale do Silício, anuncia Skaf

Equipes desenvolveram em dois dias aplicativos contra corrupção e pedofilia

Patrícia Ribeiro e Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

A equipe Fiscal Cidadão venceu neste domingo na categoria Combate à Corrupção de criação de aplicativos do 6º Hackathon da Fiesp. Na categoria Combate à Pedofilia ganhou o DevinhX. O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, anunciou os vencedores e revelou que, como parte do prêmio, um integrante de cada equipe ganhará uma viagem ao Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Eles acompanharão missão, em setembro, do Comitê Acelera Fiesp (CAF), responsável pela organização do Hackathon, que nesta edição foi feito em conjunto com o grupo de estudos Inteligência Artificial a Serviço da Investigação, que tem a participação da Associação Nacional da Polícia Federal (ADPF), do Instituto de Direito Público de São Paulo (IDP), da própria Fiesp, da IBM e do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer e do Instituto Federal de São Paulo/Campinas (CTI-IFSP).

O objetivo do grupo é envolver a sociedade na criação de tecnologias para a detecção e prevenção da corrupção e da pedofilia infantil. Durante o 6º Hackathon, realizado neste fim de semana, o desafio era criar um aplicativo com código aberto que integrasse conceitos de análise de big data e o uso de novas tecnologias, especialmente a inteligência artificial, para o combate a esses crimes.

Paulo Skaf anuncia vencedores do 6º Hackathon da Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Paulo Skaf anuncia vencedores do 6º Hackathon da Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

“Com o avanço da tecnologia, a pedofilia tem aumentado seu alcance e suas possibilidades de ação, tanto com relação aos criminosos quanto com relação às vítimas. Por isso, é de suma importância que especialistas se unam para combater seu avanço, criando novas ferramentas e formas de combate”, diz o diretor titular do CAF, Sylvio Gomide.

Já a corrupção, outro tema desta maratona, afeta todas as áreas e segmentos de nossa sociedade, em âmbitos público e privado. Segundo Carlos Eduardo Sobral, Presidente da ADPF, “a escolha desse tema foi inspirada na necessidade das instituições em utilizar novas ferramentas tecnológicas que auxiliem na identificação, no levantamento de informações e na prevenção da corrupção, para que se diminua seu impacto nas atividades do setor público e na vida da população.”

Nos dois dias de programação, no prédio da Fiesp, as equipes tiveram acesso a tecnologias de última geração e foram orientadas por grandes especialistas da área. Os vencedores terão agora mentoria especializada do CAF.

Para Alexandre Zavaglia Coelho, Diretor Executivo do IDP | São Paulo e um dos coordenadores do evento, “diferentemente de outros Hackathons, essa é uma maratona para envolver a sociedade civil na criação de soluções tecnológicas que serão disponibilizadas para utilização de qualquer órgão público ou entidades não governamentais dedicados direta ou indiretamente ao combate da corrupção e pedofilia”.