imagem google
Início do conteúdo

Valor Econômico destaca Índice de Confiança Agronegócio da Fiesp e da OCB

Segundo reportagem do jornal, levantamento apontou cautela no campo

Agência Indusnet Fiesp

A confiança do agronegócio ocupa um patamar de otimismo moderado. A conclusão é de um indicador inédito apurado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). No primeiro levantamento, que dá início à série histórica do Índice de Confiança do Agronegócio (IC Agro), a leitura foi de 104,5 pontos em um escala que varia de 0 a 200, sendo até 100 pessimismo e acima otimismo.

Em matéria de uma página, o jornal Valor Econômico destacou o IC Agro na edição desta segunda-feira (24/2).  Segundo a reportagem, o cenário incerto da economia global e acomodação dos preços das commodities para baixo “esfriaram os ânimos do campo brasileiro”.

Baseada nos primeiros números do IC Agro, a reportagem ainda citou que a maior parte da preocupação com o agronegócio ronda os produtores de café, laranja e cana-de-açúcar, enquanto os agentes dos setores de soja e algodão puxaram o índice para cima.

“O IC Agro será uma ferramenta essencial para toda a cadeia produtiva. É um material de referência e sem dúvida será usado para auxiliar a tomada de decisões de indústrias, empresários e cooperativas”, disse o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ao jornal.

Cautela

O primeiro IC Agro da Fiesp e da OCB ficou em 104,5 pontos, indicando uma confiança cautelosa por parte dos produtores agropecuários. Na variável Antes da Porteira (indústria de fertilizantes, máquinas e implementos, defensivos, nutrição e saúde animal, cooperativas, revendas, entre outros), a confiança também expressou um tímido otimismo, com 109,8 pontos.

O produtor agropecuário (Dentro da Porteira) se mostrou mais pessimista, segundo apurações do IC Agro, e o índice fechou o período de novembro do ano passado a janeiro deste ano com leitura de 97,5 pontos. Enquanto o indicador Depois da Porteira (indústria de alimentos, energia, tradings, cooperativas, armazenadores e operadores logísticos) apontou 109,3 pontos na levantamento do trimestre.  

O gerente do Departamento de Agronegócio da Fiesp (Deagro), Antonio Carlos Costa, avaliou que a média de 104,5 pontos do índice geral indica um “otimismo moderado” no setor, segundo a reportagem do Valor.

Para compor o IC Agro, foram realizadas 1500 entrevistas para a formação de um painel com 645 produtores agropecuários de diversas culturas, localizados em 16 estados brasileiros. Foram considerados na pesquisa o porte, a cultura e a região dos produtores.

Para ler a reportagem no site do jornal, clicar aqui. (Sujeito a cadastro e a paywall)

Conheça o site do IC Agro.