imagem google
Início do conteúdo

Tocantins busca novos investimentos em São Paulo

Em seminário realizado na Fiesp, nesta quarta-feira (26/09), secretário da Indústria e Comércio do Estado frisa vantagens nas áreas de agronegócio e construção civil

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

“Terra de oportunidades e da livre iniciativa”. Foi assim que o secretário da Indústria e Comércio de Tocantins, Paulo Ferreira Massuia, apresentou seu Estado aos empresários paulistas durante o seminário “O Brasil no Tocantins”, realizado nesta quarta-feira (26/09), na sede das Federações das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O Brasil no Tocantins - Paulo Massuia. Foto: Everton Amaro (640x440)

Paulo Massuia, secretário da Indústria e Comércio de Tocantins aponta vantagens de investimento no Estado

Ao expor as vantagens de investimento no Estado, Massuia ressaltou que as empresas que aplicam ali contam com um dos menores encargos tributários do país – estimado em 2% –, linhas de crédito especiais com juros negativos e formação local de mão de obra especializada para os mais variados segmentos do setor produtivo.

“Trata-se de uma região promissora no setor de agronegócio, com uma área disponível de sete milhões de hectares”, destacou o secretário que apontou, ainda, a farta oferta de energia elétrica. “Nos próximos anos, o rio Tocantins abrigará sete usinas hidroelétricas. Destas, quatro já estão em funcionamento. E o Estado consome apenas 6 ou 7% da energia que as usinas produzem”, frisou Massuia.

Também presente no seminário, José Roberto Fernandes, chefe do gabinete da presidência dos conselhos do Sistema da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), sublinhou o desenvolvimento local contínuo.

Segundo dados apresentados por ele, entre 2002 e 2009, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado registrou um crescimento acumulado de 52,6%, enquanto a média nacional foi de 27,5%.

“Estamos em busca de novos parceiros, competências e recursos. Por isso, é fundamental que a indústria aproveite este momento de desenvolvimento do Estado e da parceria com o governo do Tocantins”, enfatizou Fernandes.

Investimentos

Nos últimos anos, Tocantins recebeu empreendimentos como a Braxcel (papel e celulose), que deve investir cerca de R$ 4 bilhões no Estado; a Itafós (mineração e produção de super fosfato), com investimento de R$ 500 milhões; e BR Distribuidora (centro de distribuição da Petrobrás), o maior em pátios de ferrovia do país, com aporte previsto de R$ 125 milhões.

Para Marcelo Chammas, diretor do grupo Votorantim – outro empreendimento presente no Estado –, a posição geográfica e os recursos minerais disponíveis ali foram os grandes atrativos para implantação da fábrica na cidade de Xambioá (região norte), cujo investimento foi de R$ 300 milhões. Em funcionamento há pouco mais de três anos, a unidade fabril é responsável pela fabricação de um milhão de palais de cimento por ano.

“Consideramos a experiência no Estado extremamente positiva. A fábrica trouxe o retorno dos investimentos que nós realizamos. Retorno este sólido e não oportunistas. Além disso, à medida que a indústria cresce e se consolida, percebemos que o mesmo acontece com o entorno. Essa posição geográfica e mais o sistema logístico nos dá segurança de que vale a pena estudar com muita profundidade um novo investimento”, concluiu Chammas.