imagem google

Terceirização não barateia custo, mas busca especialização, afirma Paulo Skaf

Presidente da Fiesp se reuniu com empresários em São Carlos, interior de São Paulo

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Nenhuma empresa tem vocação para tudo e precisa recorrer a serviços especializados por meio da terceirização, afirmou nesta quarta-feira (29/4) o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, antes de se reunir com empresários no interior do estado.

“Na verdade, a terceirização não barateia, custa igual ou mais caro. Mas ela busca a solução da especialização”, disse Skaf a jornalistas antes do encontro na sede do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de São Carlos.

Skaf voltou a afirmar que o projeto de lei 4330, que regulamenta a contratação de serviços terceirizados para todas as atividades profissionais, preserva os direitos do trabalhador.

“A terceirização não mexe com nenhum direito dos trabalhadores. No Brasil só tem uma CLT, então estar registrado numa prestadora de serviço, indústria ou comercio pela CLT é tudo a mesma coisa, tem direito a férias, décimo terceiro salário, fundo de garantia”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542249583

Paulo Skaf em encontro com empresários no Ciesp de São Carlos. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Desoneração da folha
Questionado sobre as dificuldades de retomada de crescimento por parte da indústria, Skaf reiterou que a desaceleração do setor está diretamente ligada a crise econômica e política do país.

“O problema da indústria é falta de competitividade, que está ligada também à desoneração da folha de pagamento, que o governo fez para aumentar a competitividade das empresas brasileiras e agora quer recuar. Isso tem influência” .

Agenda em Ribeirão Preto

Em Ribeirão Preto, Skaf lançou, durante a 22a Agrishow, a unidade de Manutenção de Máquinas Colhedoras de Cana.

A nova escola móvel do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) leva cursos da instituição a diversos municípios.  Formada por dois semi-reboques, a unidade terá a cidade de Araraquara como base. Quando acopladas, as duas carretas somam 165 metros quadrados e têm capacidade para atender, simultaneamente, até duas turmas com 12 alunos cada.