“Temos que ser otimistas, acreditar nas novas ideias, na iniciativa, na inovação”, diz Skaf ao abrir o FestEmp

Com mais de 4.000 inscritos, Festival de Empreendedorismo da Fiesp oferece palestras, atividades práticas e serviços

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

“Temos que ser otimistas, acreditar nas novas ideias, na iniciativa, na inovação”, disse o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, ao abrir neste domingo (12 de novembro) o FestEmp (Festival de Empreendedorismo da Fiesp).

“Largar a possibilidade de praticar esporte ou relaxar neste domingo mostra que todos nós queremos é oportunidade, todos nós queremos mudar esta agenda de crise. As pessoas querem um novo horizonte, querem entrar no século 21”, afirmou ao dar as boas-vindas aos empreendedores no Teatro do Sesi-SP, no Centro Cultural Fiesp. “O Brasil está num momento de grandes mudanças” e é preciso empreender, apesar das dificuldades. “Não há nada que caia do céu, mas vale a pena.”

Skaf lembrou que a economia está em processo de recuperação, e mesmo o desemprego começa a ceder. O presidente da Fiesp e do Ciesp mencionou também a importância da modernização da legislação trabalhista. Antes, exemplificou, não era permitido o trabalho em casa. “Não estamos mais em 1943”, afirmou. “As pessoas querem buscar caminhos, vencer, ter auto-estima. Querem oportunidade. Tenho muita confiança no Brasil, que é um pais maravilhoso. Espero que o país encontre esse caminho da inovação.”

“Este dia que vamos passar é o Brasil verdadeiro, do trabalho, do desenvolvimento. É o Brasil dos nossos sonhos.”

Skaf relatou viagem recente à Califórnia, numa missão empresarial. “Sentimos no Vale do Silício o clima do empreendedorismo, da inovação”, disse. A cultura é diferente nos EUA, afirmou Skaf. Empresas são criadas, quebram, o empreendedor tenta de novo, até ter sucesso. E a vida da empresa não contamina a vida da pessoa física, estimulando o investimento.

Tesla, Intel, Apple, empresas visitadas por Skaf, foram exemplos citados por ele ao falar aos empreendedores.

“Estamos na era da inteligência artificial”, lembrou Skaf. Carros autônomos, até motos autônomas, são possíveis graças a ela. “As transformações estão por todo lado, na educação, nos costumes, no processo industrial”, afirmou o presidente da Fiesp e do Ciesp. “Há uma revolução na vida de todos nós”, como aconteceu no surgimento do avião, inventado por Santos Dumont, e do carro, há mais de 100 anos. “Nossa agenda tem que ser a do olhar para o futuro”, que é o que a indústria paulista faz. Skaf destacou a escola de mecânica avançada do Senai-SP, inaugurada este ano e citou inovações como a escola sem paredes do Sesi-SP visitada por ele na véspera, em Limeira.

Ouça boletim sobre essa notícia

Luiz Hoffman, diretor titular do CJE, disse ao dar as boas-vindas aos participantes do FestEmp, que o Brasil impõe muitas dificuldades ao empreendedor. O desafio, ressaltou, move os empreendedores, que tentam vencer todos os obstáculos. Lembrou que o FestEmp tinha em sua programação mais de 15 eventos simultâneos – atividades lúdicas mostrando na prática como empreender entre eles.

Hoffmann destacou a utilidade do aplicativo do FestEmp, que continuará depois do dia do festival a ser uma ferramenta de networking.

Paulo Skaf na abertura do FestEmp. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp