imagem google
Início do conteúdo

Setor de aquicultura tem potencial para crescer, acredita Nelson Pereira dos Reis

Para o vice-presidente da Fiesp, marco regulatório é um importante passo regularização do setor

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

“O licenciamento ambiental deve ser entendido como um instrumento para o desenvolvimento sustentável”, afirmou o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da instituição, Nelson Pereira dos Reis, nesta quarta-feira (06/03), durante a abertura do Seminário Licenciamento Ambiental da Aquicultura.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537287432

Nelson Pereira dos Reis, vice-presidente da Fiesp, durante abertura do Seminário Licenciamento Ambiental da Aquicultura. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Reis destacou o papel da Fiesp como um espaço de diálogo construtivo, onde o setor produtivo se organiza para debater as questões relacionadas ao desenvolvimento do país. E ressaltou: “Foi esse espirito que nos guiou para a realização deste evento, com especialistas que discutem em todos os aspectos o novo marco regulatório, um importante passo para a efetiva regularização do setor”.

Multiplicação

O vice-presidente da Fiesp acredita que há um potencial de multiplicação da produção do setor de aquicultura. “O Estado de São Paulo representa hoje 20% da produção nacional. Isso pode ser expandido e, certamente, será agora que estão destravando os empecilhos para o desenvolvimento”, pontuou.

Segundo o diretor-titular do DMA, o mercado de consumo interno também tem potencial para se expandir. “O peixe é a proteína animal mais consumida no mundo”, salientou, observando que no Brasil, este consumo representa apenas 10%, apesar de 12% da água doce do planeta estar concentrada em nosso território.

“Temos condições para que esse setor cresça de maneira bastante forte, trazendo aumento de riqueza, de empregos e de inclusão social”, concluiu.