imagem google
Início do conteúdo

Setor da construção precisa de mais incentivos governamentais, afirma vice-presidente da Fiesp

José Carlos de Oliveira Lima, que também é diretor do Consic/Fiesp, fala na abertura da Concrete Show 2012, maior feira do setor na América Latina

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Representando o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, na abertura da Concrete Show 2012, na capital, o vice-presidente da entidade e presidente do Conselho Superior da Indústria de Construção (Consic) da Fiesp, José Carlos de Oliveira Lima, parabenizou nesta quarta-feira (29/08) as organizações do setor reunidas no evento e fez algumas considerações sobre a situação atual da construção civil no Brasil.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537526736

José Carlos de Oliveira Lima discursa na abertura do Concrete Show South America 2012


“Este setor é importante, pois representa a base de toda a construção. E hoje a indústria de cimento merece nossos elogios porque se organizou, melhorou tecnologicamente e conseguiu reunir toda a cadeia do cimento”, analisou.

Oliveira Lima citou um dado da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), que aponta crescimento de 5% nas vendas na construção civil de janeiro a julho deste ano, em relação ao mesmo período do ano anterior. “Enquanto alguns falam de crise, nós falamos de crescimento e de investimento neste campo crescente no país”, afirmou.

Apesar deste aumento, o vice-presidente da Fiesp ressaltou que são necessários mais incentivos governamentais no setor da construção, como a desoneração da folha de pagamento dos trabalhadores, entre outros. “Assim como os automóveis, que devem ser contemplados com a prorrogação do IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados], temos que ter a prorrogação deste tributo em materiais de construção e a desoneração da folha de pagamento dos trabalhadores, para que o setor continue crescendo e investindo”, defendeu.

Competitividade

O vice-presidente da Fiesp disse, ainda, que o déficit habitacional no Brasil é de seis milhões de moradia: “Isso é resultante da falta de competitividade do país”, alertou, ao completar que o Brasil é o principal país dos BRICS (Brasil, Rússia, China e África do Sul). “Temos uma Copa do Mundo em 2014 e uma Olimpíada em 2016, e o país ainda tem problemas de mobilidade urbana, infraestrutura, aeroportos, estradas”, apontou, acrescentando que o setor da construção “é preponderante, e é fundamental que se melhore a tecnologia como um todo, porque não é apenas com tijolo sobre tijolo que vamos ter essa rapidez no atendimento dessa necessidade do mercado imobiliário, que está despontando e é uma realidade no Brasil”.

Ao final, Oliveira Lima convidou a todos os visitantes da Concrete Show 2012 a participarem do 10º Construbusiness, no dia 3 de dezembro próximo, na sede da Fiesp. “Vamos tratar de produtividade, qualidade e tratamento tributário diferenciado e sustentabilidade”, antecipou.

Cursos e serviços

O Concrete Show South America 2012 prossegue até o dia 31 de agosto, no Centro de Exposição Imigrantes (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5, São Paulo, SP). O Serviço Nacional de Aprendizado Industrial de São Paulo (Senai-SP) está presente no evento, por meio de sua escola Orlando Laviero Ferraiuolo (Tatuapé), com um estande na Rua H, nº 760, onde o visitante tem a oportunidade de conhecer ensaios técnicos voltados à área do concreto (esclerometria, ruptura de corpos de prova, pasta de consistência normal, granulometria e speedy test). Além disso, a entidade da indústria divulgará seus cursos e serviços relacionados ao setor.