imagem google

Setor da construção é o 4ª maior gerador de empregos do país, diz consultora da LCA

Claudia Viegas detalha proposta do estudo Compete Brasil, elaborado pela Fiesp e a LCA, que oferece soluções para alguns entraves do setor na área de planejamento, segurança jurídica e mão de obra

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Responsável por 8% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a indústria a construção é dos grandes expoentes da economia brasileira. O setor é o 4º maior gerador de empregos e contabilizou um crescimento de 101% de trabalhadores formais no período de 2005 a 2010.

Os dados fazem parte do estudo Compete Brasil, apresentado nesta segunda-feira (03/12), durante o Construbusiness 2012 – 10º Congresso Brasileiro da Construção, evento organizado pelo Departamento da Indústria da Construção (Decomcic) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Construbusiness 2012 - Claudia Viegas, da LCA. Foto: Julia Moraes

Claudia Viegas, da LCA: 'Temos uma janela de oportunidade favorável ao ganho da produtividade, mas para isso precisamos investir na área da educação'. Foto: Julia Moraes

O estudo, demonstrado pela diretora da consultoria LCA, Claudia Viegas, oferece soluções em Planejamento e Gestão; Aspectos Institucionais e Segurança Jurídica; Funding; Mão de Obra; Impactos Tributários e Custos Produtivos; além de Sustentabilidade.

De acordo com Claudia, a cadeia da produção civil é um “grande motor” de aceleração de crescimento, onde, segundo ela, para cada R$ 1 produzido são gerados R$ 1,88 na produção do país. Para que o setor se torne ainda mais competitivo, a diretora da LCA afirmou que é preciso ampliar os investimentos na área de educação: “Temos uma janela de oportunidade favorável ao ganho da produtividade, mas para que isso aconteça precisamos investir na área da educação”, avaliou.

Uma das alternativas apontadas pelo estudo da Fiesp é a adoção de uma política de incentivo fiscais para empresas do setor de construção civil que investem na formação e capacitação dos seus funcionários. Mecanismo este adotado por países como Estados Unidos, França e Canadá.

Investimentos

O documento Compete Brasil traz também alternativas para captação de recursos e linhas de financiamento para o setor da construção civil. Entre as propostas, a diretora da LCA destaca o uso dos recursos oriundos da liquidação de créditos públicos convertidos em investimentos de infraestrutura.

“A complexidade das regras faz com que o ambiente de negócios não fique tão favorável para novos investimentos”, finalizou. No entendimento da especialista, os novos recursos podem ser utilizados na área de habitação, que hoje registra um déficit de 5,8 milhões de moradias.