imagem google
Início do conteúdo

Sesi-SP vence Volero Zurich e conquista o terceiro lugar no Mundial de Clubes

Equipe chegou a todos os pódios da temporada 2013-2014

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Zurique (Suiça)

Das seis competições que disputou na temporada, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) chegou à final de cinco. No Mundial, a derrota na semifinal contra o Dínamo Kazan impediu os 100% de aproveitamento, mas o time se recuperou e conquistou lugar no pódio, ao derrotar neste domingo (11/05), o Volero Zurich por 3 sets a 2 (25/18, 20/25, 25/21, 23/25 e 13/15), na Arena Saalsporthalle, em Zurique.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537443558

Jogadoras comemoram temporada, a melhor da história do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


A medalha de bronze fechou a melhor temporada de uma equipe feminina do Sesi-SP desde que o projeto foi implementado, em 2011. Foram seis competições, cinco finais e dois títulos: os da Copa São Paulo e do Sul-Americano.

E sabendo da responsabilidade de terminar por cima, as Meninas da Vila Leopoldina comandaram as ações no jogo desde o início, bem diferente da partida da estreia na competição, em que o Sesi-SP foi derrotado por 3 sets a 2.

O SESI-SP começou o jogo sem novidades na formação titular: a central Fabiana, a levantadora Dani Lins, a ponteira Suelle, a oposta Ivna, a ponteira Dayse e a central Bia, além da libero Suelen.

O jogo

O primeiro set foi todo do Sesi-SP. Com o passe na mão, Dani Lins explorou bem suas opções de ataque, alternando as jogadas e diminuindo as chances de defesa do time suíço. Ivna voltou a jogar bem e virar as bolas, mas foi Fabiana que brilhou com sete pontos. Com a  oposta ucraniana Olesia Rykhliuk bem marcada, só restava às adversárias utilizar a ponteira cubana Kenia Carcaces, que marcou cinco vezes. Mas não foi suficiente. No final, com ataque de Bia, o Sesi-SP venceu por 25/18 em 25 minutos e 1 set  a 0 na disputa pelo bronze.

O segundo set seguiu o ritmo do primeiro. Sesi-SP liderando e o Volero correndo atrás, mas dessa vez bem mais próximas no placar. O time brasileiro não conseguiu abrir vantagem tão expressiva. Com a proximidade, as anfitriãs encostaram até passar na frente com 20/19. A marcação sobre Rykhliuk não funcionou como no primeiro set e a gigante cresceu, marcando cinco pontos. Ivna, com seis, foi quem mais pontuou pelo Sesi-SP, mas o time ofereceu sete pontos de erros para as rivais. O time perdeu o controle do jogo e viu o time suíço fechar a etapa com a própria Rykhliuk em 25/20.

O terceiro set foi o mais equilibrado de todos. Sesi-SP e Volero se revezavam na frente do marcador, até o ataque certeiro de Bia pelo meio, que deu a vantagem por 11/10. A mesma Bia foi para o saque e o time deslanchou na etapa, abrindo 14/10 e forçando o pedido de tempo por Baltic Dragutin, técnico do Volero. O time suíço se reencontrou no jogo e diminuiu a diferença para um ponto (18/17) e foi Talmo quem pediu tempo. As instruções deram certo e as brasileiras abriram 22/18, após ataque para fora de Nadja Ninkovic. Aí foi o sérvio Dragutin que parou o jogo. Na volta, Dayse explorou o bloqueio, fazendo 22/18. Ivna, em mais um bloqueio, 23/18. Com 24/18, o Volero reagiu, principalmente com Carcaces no fundo, chegando a 24/21. Talmo parou o jogo para esfriar as rivais. Na volta, Bia soltou o braço no meio e marcou 25/21, fechando o terceiro set.

Com o mesmo equilíbrio dos demais sets o quarto foi ainda mais emocionante. O time de Talmo liderou o placar na maioria do tempo e esteve perto de fechar o jogo, mas um erro crucial mudou tudo. Quando estava 23/22 para o Sesi-SP, ataque de Ivna bateu no bloqueio suíço e foi para fora. Mas o árbitro de rede ignorou a marcação da auxiliar de linha e deu fora, colocando o time da casa no jogo, o que animou a equipe de casa, que virou para 25/23 e forçou o quinto set.

E no quinto set que a expressão “time de guerreiras” se fez valer. Com a marcação errada que provocou a etapa entalada na garganta, as Meninas da Vila jogaram com a última gota de suor para vencer. Ficaram atrás no marcador em 11/09, mas com calma, controle, talento e garra, buscaram e venceram por 15/13, conquistando o terceiro lugar no seu primeiro Mundial de Clubes.