imagem google

Sesi-SP fica com o vice-campeonato da Superliga feminina

Equipe foi derrotada pelo Unilever/Rio por 3 sets a 1 em partida no Rio de Janeiro; campanha é a melhor da história

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, do Rio de Janeiro

A equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) ficou com o vice-campeonato da Superliga 2013/1 ao ser derrotada na manhã deste domingo (27/04), no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, pelo Unilever/Rio. O time carioca venceu por 3 sets a  1 (21/11, 21/12 e 13/21, 21/16).

É o  melhor resultado do Sesi-SP na competição desde que a equipe foi criada em 2011.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1542730819

Equipe e comissão técnica com taça e medalhas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“O Rio jogou muito bem taticamente e tivemos os dois primeiros sets ruins. A gente fez o que deu. O Sesi-SP veio no campeonato numa crescente depois de um primeiro turno muito ruim. Agora é pensar no Mundial”, disse a líbero Suelen ao final da partida.

Na avaliação do técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, o Sesi-SP esteve apático em alguns momentos do jogo e o Rio conseguiu impor sua marcação. “Temos que aprender a jogar uma final. É o primeiro ano que jogamos a final da Superliga. É um glamour diferente, um foco diferente. Nós temos jogadoras que nunca passaram por essa experiência como protagonista. É um aprendizado do qual, com certeza, vamos sair mais fortes”, disse o treinador, que faz um balanço positivo da campanha, considerando que a equipe é muito jovem.

Para a ponteira Pri Daroit, que começou o jogo no banco e depois entrou no lugar de Ivna, a equipe está de parabéns pela campanha. “Ninguém acreditava na gente. Agora é lutar para no ano que vem chegar à final de novo. A equipe se uniu muito, mesmo. Isso foi fundamental para a gente chegar aonde chegou.”

De acordo com a experiente central e capitã Fabiana Claudino, bicampeão olímpica, foi possível perceber que algumas jogadoras mais novas sentiram o nervosismo de uma final. “Acho que bateu um pouco de nervosismo. Eu já passei por isso e sei que não é fácil chegar num ginásio lotado, jogar contra um grande time como o Unilever, na casa deles.”

Fabiana, no entanto, ponderou que não faltou vontade. “Dava para ver no rostinho de cada uma [das companheiras] que eles queriam o tempo inteiro, que estavam tentando da melhor forma ajudar. E eu saio daqui muito orgulhosa desse meu time e de toda a comissão técnica.”

De acordo com a ponteira Suelle, o título da equipe carioca foi merecido. “É um time que não erra. E a gente errou muito.”

As jogadoras receberam as medalhas das mãos do presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e do superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves.

Antes da partida, a Confederação Brasileira de Vôlei prestou uma homenagem ao narrador Luciano do Vale, falecido no final de semana anterior (19/04). No intervalo entre o primeiro e segundo set, veteranos da geração que ganhou a medalha de prata no Mundial de 1982 e nos Jogos Olímpicos de Los Angeles-1984 entraram em quadra para uma homenagem à memória do jornalista, um incentivador do esporte. Entre eles, José Montanaro, gestor do vôlei do Sesi-SP. A viúva do narrador recebeu uma placa com a seguinte mensagem: “Não basta criar uma grande história; é preciso contá-la”.

O Unilever/Rio do técnico Bernardinho jogou com Fofão, Sarah Pavan, Mihajlovic, Gabi, Juciely e Carol, além da líbero Fabi. Entraram: Bruna, Roberta, Amanda e Régis.

O Sesi-SP atuou com Dani Lins, Ivna, Dayse, Suelle, Fabiana e Bia, além da líbero Suelen. Entraram: Carol Albuquerque, Mariana e Pri Daroit.


O jogo

No primeiro set, empurrado pela sua torcida e bem no bloqueio, o Unilever/Rio abriu 04/00, o que levou o técnico Talmo a pedir tempo. No retorno, Dayse aproveitou o ataque e fez o primeiro do Sesi-SP, mas as donas da casa mostraram mais volume de jogo e foram para a primeira parada técnica com ampla vantagem: 07/01. O Sesi-SP voltou mais equilibrado e o jogo da central Fabiana começou a aparecer em dois pontos seguidos (08/04). Dani Lins, em bola de segunda, reduziu para quatro pontos a diferença (09/05). Depois de um rali, a sérvia Brankica Mihajlovic voltou a ampliar: 11/05. Com Fofão no saque, o Unilever/Rio chegou ao segundo tempo técnico obrigatório com oito pontos na frente (14/06). Na volta, Dayse explorou o bloqueio e diminuiu (14/07), mas a central Carol logo retomou o serviço para as donas da casa. As equipes trocaram pontos até que Suelle, em bloqueio simples, fez o nono ponto (16/09). Com 18/09, Talmo pediu tem para conversar com a equipe. Ivna fez um ponto pela saída de rede e Talmo aproveitou para fazer uma inversão de 5-1, substituindo Ivna e Dani Lins por Carol Albuquerque e Mari. O Unilever/Rio manteve o controle do jogo e fechou em 21/11 em erro de ataque do Sesi-SP ao final de 20’08”.

No segundo set, a oposta Ivna foi bloqueada logo no início do jogo. O Unilever/Rio abriu três pontos, mas o Sesi-SP retomou o saque em ataque de Suelle. Em erro de recepção, o Sesi-SP sofreu mais um ponto (05/01) e Talmo pediu tempo. Ivna fez o segundo ponto pela saída de rede e em erro de Sarah Pavan, o Sesi-SP fez o terceiro (06/03). No saque de Fabiana, a contagem foi reduzida para dois pontos a favor das donas da casa, que chegaram ao primeiro tempo técnico com 07/04. Na volta, o jogo ficou mais equilibrado e o Sesi-SP passou a rodar a cada ataque. Mas Fofão foi para o saque e fez ace em indecisão da linha de passe do Sesi-SP. Bia diminuiu para 10/07. Com Pri Daroit no saque no lugar de Ivna, o Sesi-SP fez o 10º ponto, encostou no placar (12/10) e forçou o primeiro pedido de tempo de Bernardinho. A sérvia Mihajlovic deu uma largadinha e o time azul chegou ao segundo tempo técnico com quatro de diferença (14/10). O Sesi-SP reduziu com Fabiana pela saída de rede (15/11), mas Sarah Pavan retomou a vantagem (16/11). Fabiana errou uma largadinha e as donas de casa abriram seis de diferença: 17/11. Talmo solicitou mais um tempo, quando o placar apontava 18/12 a favor das adversárias. O Unilever/Rio seguiu pontuando e fechou em 21/12 em 21’31” em erro de recepção do Sesi-SP.

No terceiro set, o Sesi-SP conseguiu pela primeira vez ficar em vantagem na partida, abrindo 04/01, o que levou Bernardinho a pedir tempo. Na volta, Dayse continuou sacando bem e desestruturando a linha de recepção do time carioca, chegando a 07/01 na primeira parada técnica. Na volta, o Sesi-SP aproveitou dois contra-ataques e fez três pontos seguidos com Suelle e Fabiana (dois), chegando a 10/01. No bloqueio, mais um ponto: 11/01. O Unilever conseguiu rodar, mas a confiança do Sesi-SP estava em alta e Suelle retomou a vantagem: 12/02. Pri Daroit aproveitou mais uma chance de contra-ataque e fez 13/02. A torcida do Sesi-SP começou a gritar “eu acredito” e o Sesi-SP fez mais um: 14/03, na segunda parada técnica. Pri Daroit parou duas vezes no bloqueio e as donas de casa reduziram para 15/06. Sem Fabiana em quadra, o Unilever/Rio aproveitou e fez três pontos seguidos, reduzindo a diferença para seis pontos (15/09). Pri Daroit fez o 17º (17/09) e Bia, o 18º. A jovem central do Sesi-SP fez mais um: 19/11. No bloqueio, Suelle garantiu mais um: 20/11. Pela saída de rede, Dayse garantiu  a vitória na parcial por 21/13 em 20’56”, diminuindo para 2 sets a 1.

No quarto set, o Sesi-SP aproveitou erro de saque para abrir o placar, mas o Unilever/Rio virou e fez 03/01 com Sarah Pavan. A canadense bloqueou Suelle para ampliar (04/01) e Talmo pediu tempo. O time carioca seguiu pontuando e chegou ao 6º. Com a central Juciely, as donas da casa chegaram ao primeiro tempo técnico com cinco de diferença: 07/02. O Sesi-SP retomou a vantagem erro de Sarah. Fabiana foi para o saque, a bola voltou a Pri Daroit aproveitou, reduzindo para 08/04. A ponteira Gabi retomou o saque para o Unilever/Rio. Dayse, bem pela saída, diminuiu. Com Dani Lins no saque, o Sesi-SP fez mais um. Em belo rali, Bia finalizou e fez o 8º (11/08). Pela ponta, Pri Daroit fez o 11º e o Sesi-SP encostou no placar: 13/11. No bloqueio, as donas da casa chegaram ao segundo tempo técnico obrigatório: 14/11. O Unilever/Rio aproveitou mais duas bolas e chegaram a 16/11, levando Talmo a pedir tempo.  Pri Daroit, bem pela entrada de rede, fez o 12° e o 13º. Com três de vantagem (16/13), Bernardinho decidiu parar o jogo para conversar com suas jogadoras. Deu certo e o time carioca ampliou para cinco (18/13). O Sesi-SP chegou a diminuiu para três pontos, mas ataque da sérvia Mihajlovic deixou o Unilever/Rio a dois pontos de fechar o jogo (19/15). A europeia fez mais um e deixou as donas de casa com quatro oportunidades de fechar a partida (20/16). Carol aproveitou contra-ataque e fechou o jogo.