Senai-SP Superação: ‘Me realizo ao ver os meus alunos fazendo sucesso’

Senai-SP Superação: ‘Me sinto realizado ao ver os meus alunos fazendo sucesso’

Instrutor de Formação Profissional da instituição em Bauru, Alessandro Junior Bento conta como transformou seu sonho numa realidade que mudou a vida de toda a sua família

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A cada caminhão de areia carregado com a ajuda da enxada, crescia a vontade de mudar de vida. Aos 17 anos, ele já sabia até como isso seria feito: fazendo a matrícula em algum curso do Senai-SP em Lençóis Paulista. A questão era conseguir levar o plano adiante sem comprometer as finanças da família, que dependiam do seu trabalho para fechar as contas da casa. A solução veio quando a mãe se ofereceu para ficar no seu lugar durante um turno, de modo que ele pudesse estudar. E assim foi feita a matrícula no curso de Desenho Técnico Mecânico que há tempos estava no radar do hoje instrutor de Formação Profissional do Senai-SP em Bauru, Alessandro Junior Bento.

“Comecei a trabalhar com o meu pai aos 11 anos”, diz Bento. “Nessa época, um amigo do colégio me falava muito do Senai, por isso eu sempre quis estudar lá”.

Assim, ele não perdeu tempo quando a mãe se ofereceu para encher o caminhão de areia em seu lugar todos os dias, na primeira viagem da manhã. “Quando ela chegava em casa, eu já tinha voltado e estava com o almoço pronto”.

O passo seguinte foi emendar o curso de Desenho Mecânico com o de Mecânica Geral. “Foi quando consegui um emprego e passei a dar aulas no Senai à noite”.

O movimento de mudança foi além de Bento, mexendo com toda a família. “Meu pai e meu irmão também se matricularam no Senai, foram estudar Marcenaria”, conta. “Meu pai chegou a ser instrutor da escola de Macatuba e meu irmão é funcionário da instituição em Lençóis Paulista até hoje”.

Em 2003, apareceu a oportunidade de prestar um concurso para uma vaga de instrutor na unidade do Senai de Bauru, no qual Bento foi aprovado. “Com muito orgulho, tive a oportunidade de ajudar a preparar três alunos para as provas da WorldSkills, que é a olimpíada mundial do ensino profissionalizante”, diz. “Dos três, um conseguiu uma medalha de bronze na Finlândia, em 2005, outro um diploma de excelência no Canadá em 2009 e o terceiro uma medalha de prata na Inglaterra, em 2011”.

Para ele, uma das maiores motivações profissionais é justamente acompanhar o desenvolvimento de jovens que um dia sonharam em fazer carreira no Senai como ele. “Me sinto realizado ao ver esses alunos fazendo sucesso e ajudando as suas famílias”, afirma. “Aprendi tudo aqui, os valores que tento passar para os meus dois filhos, Bruno e Felipe”.

Entre esses valores, estão a conquista pelo esforço e pela persistência. “Procuro estar sempre motivado, gosto de ver os resultados do meu trabalho”.

Alessandro: “Procuro estar sempre motivado, gosto de ver os resultados do meu trabalho”. Foto: Divulgação

 

Entre esses resultados, está o exemplo dado aos filhos. O mais velho, Bruno, estudou Mecânica de Usinagem no Senai em Bauru. Hoje, aos 20 anos, está no terceiro ano de Engenharia. O caçula, Felipe, de sete anos, é aluno do Sesi-SP. “Também está encaminhado”, diz o pai. “Acorda sozinho todos os dias para ir para a escola, é independente”.

No saldo de tantas conquistas, prevalece a gratidão. “O Senai-SP mudou a minha vida e a da minha família”.