imagem google
Início do conteúdo

Senai-SP marca presença na Francal 2010

O vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, participou da abertura da 42ª Feira Internacional de Moda em Calçados e Acessórios

Agência Indusnet Fiesp,

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537933387

João Guilherme Sabino Ometto,vice-presidente da Fiesp

A Francal 2010 foi aberta oficialmente na manhã desta segunda-feira (5), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, com a presença de várias personalidades de peso. Entre elas a prefeita interina de São Paulo, Alda Marco Antônio, e o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), Alessandro Teixeira.

Em seu discurso na abertura do evento, o vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, exaltou o bom momento do segmento: “A Francal é uma grande prova da pujança desse importante setor industrial brasileiro”. A Feira acontece em um momento de recuperação do setor após a crise financeira mundial e reúne mais mil empresas de calçados e acessórios do País.

Ometto também destacou as ações do Senai de São Paulo, que tem escolas voltadas ao segmento na Capital, em Franca, em Presidente Prudente, em Jaú, em Birigui e em Santa Cruz do Rio Pardo.

“Temos realizado um importante trabalho na formação e aprimoramento da mão de obra especializada para o setor. Só nestes últimos anos, o nosso presidente licenciado Paulo Skaf realizou um investimento de R$ 35 milhões na ampliação e modernização de escolas do setor coureiro-calçadista”, ressaltou Ometto.


Números
O segmento de calçados responde pela geração de 325 mil empregos e uma produção anual de aproximadamente 814 milhões de pares. Deste total, 127 milhões de pares foram vendidos a outros países no ano passado, o que trouxe para o Brasil cerca de R$ 2,4 bilhões (US$ 1,360 bilhão), segundo a Associação Brasileira de Indústrias de Calçados (Abicalçados).

Nos primeiros cinco meses deste ano, a indústria calçadista nacional registrou elevação de 12,1% em faturamento e de 21,4% no número de pares produzidos para exportação, em relação ao mesmo período de 2009. Para ajudar, o mercado interno está aquecido, o que leva à criação de novos postos de trabalho no setor.