imagem google
Início do conteúdo

Rússia e China são mercados que chamam atenção do setor de calçados do Brasil, afirma novo presidente de Abicalçados

Em reunião com membros de comitê da Fiesp, Heitor Klein diz estar otimista com a retomada de mercado nos EUA e na França

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) acompanha um projeto para incursão de 12 empresas no mercado chinês.  Também estão no radar da entidade os mercados russo, norte-americano e francês. A informação é do presidente-executivo da entidade, Heitor Klein.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537940515

Heitor Klein, presidente da Abicalçados, participa da reunião do Comcouro. Foto: Everton Amaro

“Começamos na China há cerca de três anos um trabalho procurando já introduzir algumas de nossas marcas no mercado e percebemos imediatamente uma oportunidade muito grande na para produtos de alto valor agregado”, afirmou Klein em encontro com empresários do setor na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

“Hoje estamos com 12 empresas nesse processo de inserção na China e essas empresas estão colhendo resultados cada vez mais consistentes e animadores”, completou o presidente-executivo da Abicalçados na reunião do Comitê da Cadeia Produtiva de Couro (Comcouro) da Fiesp.

No caso da Rússia, Klein disse que, depois de duas tentativas com resultados abaixo das expectativas, desta vez há uma percepção de interesse maior por parte de compradores russos.  “A Rússia é um caso típico. Com essa nova tentativa é possível que agora tenhamos alguma coisa mais sustentada ao longo do tempo”, afirmou.

EUA

O presidente da Abicalçados projeta uma recuperação da demanda norte-americana por calçados brasileiros.

“Em 2011, nós exportamos US$236 milhões e no ano de 2012 caímos para US$197 milhões. Mas há um sinal muito claro de que os Estados Unidos da América [EUA] voltem a integrar posições que estamos buscando aqui de uma forma mais intensa do que a gente tinha observado nos últimos anos, essa é uma perspectiva positiva em termos de exportações”, avaliou.

Apesar da crise econômica ainda comprometer a situação financeira na Europa, Klein observou que o consumo de calçados na França tem aumentado e a demanda pelo produto brasileiro acompanhou o crescimento.

“Tivemos US$65 milhões de dólares exportados em 2011, US$75 milhões em 2012. Em termos físicos foram 4,3 bilhões de pares em 2011 e 8 bilhões em 2012”, informou.