imagem google
Início do conteúdo

Unidade de Alumínio da Votorantim Metais reutiliza água de barragem em produção

Companhia recebeu Menção Honrosa na 9ª edição do Prêmio Fiesp de Reúso da Água

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A Votorantim Metais – Unidade de Alumínio reduziu em 60,3 milhões de litros a captação de água fluvial para o processo de refino do minério do alumínio. A iniciativa foi reconhecida pelo 9º Prêmio Fiesp de Reúso da Água, em março deste ano.

Segundo o consultor da unidade, Eduardo Escobar, houve uma recuperação de pelo menos R$ 1,6 milhão em termos de valores. Ele acrescentou que foram investidos R$ 500 mil na compra de equipamentos de laboratório.

Este ano, um total de 21 empresas inscreveu projetos no Prêmio de Reúso da Água, organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A premiação reconheceu práticas em duas categorias: médio/grande e micro/pequeno porte.

Confira abaixo entrevista com Escobar:

A Companhia Brasileira de Alumínio da Votorantim recebeu uma menção honrosa pelos esforços em reutilizar água da barragem de resíduos de bauxita em sua produção. Como funciona esse processo?

Quando a bauxita, que é o minério de alumínio, é digerido com soda cáustica para extração da alumina, sobra o resíduo de bauxita que é depositado na área de disposição de resíduo. A água sobrenadante desta área de disposição, que era utilizada apenas para transporte do resíduo de bauxita, passou a ser utilizada também no processo da Refinaria de Alumina em substituição à água industrial, reduzindo a captação de água fluvial.

Quanto a companhia investiu para otimizar a produção e usar menos água?

A Votorantim Metais investiu R$ 500 mil na compra de equipamentos de laboratório e estão previstos mais R$ 50 mil na instalação de equipamentos de filtragem e de troca térmica, permitindo aumentar ainda mais a utilização desta água.

Quais foram os resultados positivos?

A Recuperação dos produtos químicos presentes na água da área de disposição do resíduo de bauxita no valor de R$ 1,6 milhão e A redução de 60,3 milhões de litros na captação de água fluvial.

Houve algum impacto negativo com a adoção das medidas?

Não. Apesar desta água possuir algumas impurezas, como humatos  (matéria orgânica), indesejáveis no processo de refino de alumina, o sistema de monitoramento desenvolvido preveniu qualquer impacto negativo.