imagem google
Início do conteúdo

Retrospectiva 2013 – Educação como fator de desenvolvimento econômico

No Sesi-SP e no Senai-SP, ano foi de inaugurações, campeonatos mundiais e locais, investimentos e novos laboratórios e centros. E o que é melhor: 2014 promete muito mais

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Para  a indústria paulista, educação é um fator de desenvolvimento econômico. Por meio do trabalho do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional da Atividade Industrial de São Paulo (Senai-SP), muito foi feito em nome da formação de crianças e jovens no estado.

“Em 2013, as ações educativas realçaram o incentivo ao estudo da ciência e da tecnologia a partir do ensino fundamental e, posteriormente, no ensino médio”, disse o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves. “Esse aprendizado foi fortalecido nas oficinas e laboratórios. Assim, vamos ampliar a difusão da ciência, da tecnologia e de conceitos de engenharia e matemática também aos jovens do ensino fundamental”.

Segundo Vicioni Gonçalves, o Sesi-SP e o Senai-SP se empenham e seguirão empenhados na oferta de educação de qualidade, o que também é uma forma de “estimular o desenvolvimento econômico”. “Em 2015, teremos 90 mil alunos na educação fundamental em regime integral no Sesi-SP”, disse.

Vicioni na coletiva de imprensa: educação de qualidade para “estimular o desenvolvimento econômico”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vicioni: educação de qualidade para estimular o desenvolvimento do Brasil. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Ele lembrou ainda que o Sesi-SP fez intervenções no currículo para estimular as áreas de ciência e tecnologia na rede. “E isso para os alunos desde os seis anos de idade”, explicou. “Temos laboratórios de química e física, por exemplo”.

Assim como as unidades móveis do Senai-SP sobre áreas como nanotecnologia, robótica aquática e aviônicos. “Para a Fiesp a educação é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”, disse Vicioni Gonçalves.

Projetos como o Teatro Musical, de formação de atores na área, ligado ao setor de Cultura do Sesi-SP, também foram lembrados.

Assim como as unidades móveis do Senai-SP sobre áreas como nanotecnologia, robótica aquática e aviônicos. “Para a Fiesp a educação é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”, disse Vicioni Gonçalves.

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf também destaca o empenho dos empresários do setor na área. “A gente consegue fazer as coisas porque tem o apoio da indústria de São Paulo”, disse. “Há nove anos todas as nossas votações são unânimes. Existe união e a gente deixa de lado as coisas pequenas em nome de um objetivo maior”, afirmou.


Skaf com os alunos do Sesi-SP em Hortolândia: comprometimento da indústria. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Skaf com os alunos do Sesi-SP em Hortolândia: comprometimento da indústria. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Cátedra Fiesp-Sorbonne

A Fiesp e a Universidade de Paris 1 Pantheon-Sorbonne lançaram, em abril, a cátedra “Globalização e mundo emergente Fiesp-Sorbonne”, resultado de um acordo de cooperação firmado em novembro de 2012 entre as duas instituições.  A parceria prevê treinamento e capacitação de pessoas, cooperação científica, técnica e consultiva e atividades de visibilidade institucional.

“É um trabalho conjunto da academia com o setor privado. É a primeira vez que este tipo de acordo é feito fora da França”, comentou, na ocasião, o 2º diretor secretário da Fiesp e coordenador da cátedra no Brasil, Mario Eugenio Frugiuele.

“A Fiesp é uma entidade que, pela forma como está atuando – principalmente em função da posição segura, decidida e dinâmica de nosso presidente Paulo Skaf –, tem a confiança da própria Sorbonne, fundada no ano de 1200. O acordo com uma instituição desse nível é uma grande honra”, disse Frugiuele.

A seguir, acompanhe as principais ações do Sesi-SP e do Senai-SP ao longo do ano.

Sesi-SP a todo vapor

Foram inauguradas 22 escolas do Sesi-SP em 2013. Assim, receberam novas unidades da rede as seguintes cidades: Presidente Epitácio, Mococa, Tambaú, Guararapes, Votuporanga, Vinhedo, Americana, Bragança Paulista, Pirassununga, Descalvado, Jacareí, Avaré, Sumaré, Porto Ferreira, Jardinópolis, Santa Cruz do Rio Pardo, Presidente Prudente, Cajamar, Lençóis Paulista, Osvaldo Cruz, Barra Bonita e Hortolândia.

Como prova do comprometimento da indústria com a área, Paulo Skaf esteve presente nas cerimônias de abertura de todos esses espaços.

Assim, no saldo do ano, o Sesi-SP tem 175 escolas, 55 centros de atividades, 115 bibliotecas, 229 laboratórios e oito unidades móveis.

Em número de matrículas, foram 93.962 no ensino regular até setembro, 920 no MBA, 136.158 na educação continuada, 62.286 na educação de jovens e adultos e 241 nos cursos técnicos até outubro.

Em quantidade de alunos por modalidade de ensino, temos 177 estudantes no infantil, 34.436 do primeiro ao sétimo ano do ensino fundamental integral, 20.013 do primeiro ao sétimo ano do ensino fundamental parcial, 20.133 do oitavo e nono ano do parcial, 74.582 do fundamental, 19.203 do ensino médio, 4.786 do articulado e 93.962 do ensino regular.

Mais destaques de 2013 dignos de nota: 34 laboratórios inaugurados, dos quais 17 de química e biologia e 17 de física, 20, 1 milhões de refeições servidas na rede, 2 milhões de pessoas atendidas em eventos culturais de teatro, cinema e exposições, entre outras, 72.146 alunos no programa Atleta do Futuro.

Quer mais? O Sistema Sesi-SP de Ensino é adotado por 135 escolas municipais de 12 municípios paulistas, com 32 mil alunos beneficiados.

Ao todo, foram planejados R$ 544,1 milhões de investimentos para a rede ao longo do ano.

Em 2014

Os números do Sesi-SP na educação não serão menos animadores em 2014. A expectativa é de ter 95.056 matrículas no ensino regular, com 173 escolas na rede. Ao todo, devem ser beneficiados 52 mil alunos.

Só no ensino integral devem ser 43.559 matrículas, oferecidas em 104 unidades.

Em termos de laboratórios, devem ser implantados 17 de química e biologia e outros 17 de física.

Mais 22 novas escolas devem ser inauguradas nas cidades de Agudos, Alumínio, Alvares, Andradina, Bariri, Barretos, Campo Limpo Paulista, Carapicuíba, Igaraçu do Tietê, Itapira, Jandira, Jundiaí (com duas unidades), Mirandópolis, Monte Alto, Penápolis, Piracicaba, Regente Feijó, Registro, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Valinhos.

Com vocês, o Senai-SP

Já no Senai-SP, o saldo do ano é de 165 unidades no estado, das quais 91 fixas e 74 móveis. O número total de matrículas, até outubro, é de 901.705.

Foram inauguradas três escolas da rede nas cidades de Ourinhos, Pompeia e Mirassol, além de um núcleo de joalheria em São José do Rio Preto.

Merece registro ainda a inauguração, em 21 de junho, em Rio Claro, do Laboratório de Ensaios em Implantes da Escola Senai Manoel José Ferreira. O espaço foi criado para apoiar a competitividade do segmento e tem como objetivo oferecer ensaios físicos e químicos para as indústrias da região. Desde 2008, Rio Claro – município a aproximadamente 180 kms da capital paulista – vem se projetando como polo de fabricação e desenvolvimento de implantes e instrumentais cirúrgicos para os setores de ortopedia, neurologia e bucomaxilofacial.

Em número de cursos, são 88 na área de aprendizagem industrial, 40 técnicos de nível médio e 40 de educação à distância. Isso além de 16 faculdades, 17 cursos de graduação tecnológica e 25 de pós-graduação lato sensu (especialização).

WorldSkills

Os alunos do Senai-SP brilharam no maior torneio do ensino profissionalizante do mundo, o WorldSkills, realizado na cidade de Leipzig, Alemanha, entre os dias 2 e 7 de julho.

Na média, 50% dos estudantes brasileiros que participaram do evento eram do time da instituição.

Ao todo, esses jovens voltaram para o Brasil com sete medalhas, das quais duas de ouro, quatro e prata e uma de bronze.

Em tempo: a próxima edição da disputa será realizada em 2015, na capital paulista.

São Paulo Skills

Maior competição de ensino profissionalizante das Américas, a São Paulo Skills foi realizada entre os dias 25 e 29 de setembro no Anhembi, em São Paulo.

Participaram do torneio 737 alunos de 83 escolas do Senai-SP de 61 municípios paulistas. Isso em 55 modalidades de 19 áreas tecnológicas. Um sucesso total.

Aluno em prova da São Paulo Skills, no Anhembi, em São Paulo, em setembro. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Aluno em prova da São Paulo Skills, no Anhembi, em São Paulo, em setembro. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


Dentro das atividades da São Paulo Skills, destaque para o Inova Senai, premiação que destaca projetos inovadores desenvolvidos nas escolas da rede. A iniciativa registrou 80 trabalhos, diante e 262 inscritos. Foram premiados projetos em nove categorias.

E tem mais

Além de todas essas ações, é impossível não citar o programa Proeducador, que em 2013 teve oito cursos concluídos até o mês de novembro.

O Pronatec, com 80.603 matrículas em cursos de qualificação profissional e 1.643 em cursos técnicos, também é digno de aplausos.

Em parceria com o AfroReggae

Por meio de parceria com o grupo cultural AfroReggae  apoiada pelo Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan), o Senai-SP ajudou a qualificar profissionalmente e assim preparar para o mercado egressos do sistema prisional.

Dessa forma, foram dez formandos como padeiro.

No ano que vai nascer

Além de todos os destaques de 2013, a boa notícia é que, em 2014, o Senai-SP vai fazer ainda mais pela educação no estado.

A estimativa de matrículas, por exemplo, é de 998.853.

Em matéria de novas escolas, há a previsão de abertura de mais cinco unidades nas cidades de Araras, Bragança Paulista, Cruzeiro, Mauá e São Caetano do Sul.

Serão implantados ainda dois núcleos de design, um na capital e um no interior. Será oferecido ainda um curso superior de tecnologia de design de produto.

Outra novidade que virá para fazer a diferença: a abertura de mais três escolas móveis para o setor de aviação, nas áreas de célula (estruturas metálicas), motores e materiais compósitos.

Está prevista ainda a conclusão de dois centros: um de nanotecnologia, o Centro Senai-SP  de Novos Materiais Avançados e Nanocompósitos, na Escola Senai Mario Amato, em São Bernardo do Campo, com investimentos de R$ 17,5 milhões, e o Centro Senai-SP de Manufatura Avançada e Microfabricação, na Escola Senai Suíço-Brasileira, em Santo Amaro, na capital paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537919460