Queda da Selic precisa ser acompanhada por mais crédito e ‘spread’ menor

Taxa básica de juro vai a 7%, seu valor mais baixo, mas ainda precisa cair mais

O Banco Central fixou em 7% ao ano a taxa Selic na reunião do Copom desta quarta-feira (6 de dezembro), com redução de 0,5 ponto percentual.

É o menor valor da Selic em toda sua história, mas isso não é o bastante. A inflação está baixa e sob controle, deixando espaço para reduções adicionais em 2018. E é preciso que a queda dos juros chegue ao tomador final, para aumentar o consumo e o investimento, levando à geração de empregos.

O BC e o Ministério da Fazenda precisam agir para aumentar o crédito e reduzir o spread bancário, barateando a tomada de financiamentos.

Paulo Skaf

Presidente da Fiesp e do Ciesp