imagem google

Presidente da Coreia do Sul vem à Fiesp buscar parceria em infraestrutura e energia

Park Geun-hye cumpre agenda no Brasil se reúne com a presidente Dilma Rousseff

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, manifestou nesta sexta-feira (24/4) interesse por parcerias entre o Brasil e o país asiático em projetos de infraestrutura e energia.

“É preciso diminuir a distância entre estes dois países, estabelecendo aportes financeiros para investimentos nas áreas de infraestrutura, energia e, principalmente, no intercâmbio das relações entre as culturas”, afirmou Park  Geun-hye.

Ela se reuniu com empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para falar da relação bilateral e oportunidades de crescimento entre Brasil e Coreia.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, também participou do encontro e afirmou que este é o momento certo para que estrangeiros aproveitem oportunidades de negócios no Brasil.

“Diferente do que se imagina, esta é a hora para e investir com mais facilidades no mercado brasileiro, com grandes possibilidades de supervalorização no futuro”, disse Skaf.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542774421

Paulo Skaf e presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Relação Bilateral

A Coreia do Sul é a quarta maior economia da Ásia, com um atividade baseada no setor industrial de alta tecnologia. Sua corrente de comércio passou de US$ 1,1 trilhão em 2013. A China, os Estados Unidos e o Japão foram seus principais parceiros na ocasião, responsáveis conjuntamente por 40% do fluxo comercial. O Brasil foi o 17º parceiro, com participação de apenas 1,4% do comércio sul-coreano.

O vice-presidente do Instituto de Economia de Energia da Coreia, Hyun Jae Kim, acredita que os sul-coreanos e os brasileiros podem colaborar para fomentar o desenvolvimento de tecnologias para a indústria automobilística e de energias sustentáveis.

“A energia renovável contribuiu muito para o crescimento econômico da Coreia. Gostaríamos de dividir nossa experiência com o Brasil”, sinalizou Kim.

O diretor-adjunto do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, José Augusto Correia, apresentou um panorama do momento atual da indústria brasileira.

“Apesar da nossa capacidade industrial ter perdido fôlego nos últimos dois anos, acreditamos nas parcerias bilaterais dos dois países e no crescimento de novos negócios no Brasil.

Mão de obra especializada

O vice-presidente da Hyundai Motor Brazil, Eui Hwan Jin, também participou do encontro com empresários. Ele ressaltou a importância do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) na formação de mão de obra especializada para o setor produtivo.

“Há alguns anos estive nesta entidade e pedi ao Paulo Skaf que desenvolvesse um curso no Senai-SP que atendesse às necessidades da Hyundai”, disse Hwan Jin. Ele lembrou que a solicitação foi atendida e a nova capacitação foi essencial para a instalação da montadora em Piracicaba.

“Este compromisso foi importante para nosso crescimento no Brasil. E, por outro lado, nossa contribuição para o mercado foi a abertura de mais de cinco mil empregos no país”, enfatiza.