imagem google
Início do conteúdo

Para Ministério do Desenvolvimento, indústria precisa tirar proveito da biodiversidade brasileira

Representantes do governo federal participam de painel sobre produção e consumo sustentáveis na Semana do Meio Ambiente da Fiesp

Anne Fadul, Agência Indusnet Fiesp

“Estamos focados na melhoria da competitividade da indústria nacional. O país possui uma grande biodiversidade, e a indústria precisa tirar proveito disso para promover seus produtos internacionalmente”, afirmou Beatriz Carneiro, coordenadora geral do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC). A afirmação foi feita nesta terça-feira (9/6), no painel Perspectivas Nacionais / Produção e Consumo Sustentáveis, da 17ª Semana do Meio Ambiente, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), realizada na sede da entidade.

O Ministério tem projetos ligados à compra sustentável. Um deles é uma cooperação entre MDIC, Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) para promover o diálogo entre os setores público e privado por meio do estabelecimento de parcerias para mobilização das partes interessadas e desenvolvimento de estudos sobre o tema de Produção e Consumo Sustentáveis. “Precisamos reconhecer que os padrões de consumo estão deteriorando o meio ambiente. É preciso ter consciência sobre consumo sustentável”, disse.

Jhessica Cardoso, representante do Ministério do Planejamento e Gestão (MPGO), também falou sobre o tema, mas com foco nas compras públicas sustentáveis no âmbito do governo federal. Ela exemplificou com os planos de logística sustentável (PLS). “São ferramentas de planejamento com objetivos e responsabilidades definidas, ações, metas, prazos de execução e mecanismos de monitoramento e avaliação, que permitem ao órgão ou entidade estabelecer práticas de sustentabilidade e racionalização de gastos e processos na Administração Pública”, afirmou.

Segundo ela, as regras para os PLS foram estabelecidas pela Instrução Normativa SLTI/MP nº 10, de 12 de novembro de 2012, que define também a necessidade de composição da Comissão Gestora do Plano de Gestão de Logística Sustentável, com membros designados pelos respectivos titulares dos órgãos ou entidades.

“Eles devem conter, minimamente, a atualização do inventário de bens e materiais do órgão e identificação de similares de menor impacto ambiental para substituição; as práticas de sustentabilidade e de racionalização do uso de materiais e serviços; as responsabilidades, metodologia de implementação e avaliação do plano; e ações de divulgação, conscientização e capacitação”, afirmou Jhessica.

Raquel Breda dos Santos, diretora do Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis do Ministério do Meio Ambiente, também fez parte do painel e enfatizou que é hora de retomar parcerias com ONGs, academias e setor privado para dar continuidade nos 15 temas eleitos como estratégicos pelo ministério para mudar os padrões de consumo e torná-lo cada vez mais sustentável tanto na produção quanto no país.

Durante o painel foram apresentados cases da Associação Brasileira de Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins (Abipla) e da Associação Brasileira da Indústria de Eletroeletrônicos (Abinee).